Sábado, 16 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

CADERNO DO LEITOR > IRAQUE

Tony Blair critica multa a correspondente

01/12/2009 na edição 566

O ex-primeiro-ministro do Reino Unido Tony Blair pressionou líderes do Iraque, na semana passada, a preservar a liberdade de imprensa pela qual os britânicos lutaram, depois que um correspondente do jornal Guardian foi multado por publicar críticas ao primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki. Blair, que tomou a atitude controversa de apoiar a invasão americana em 2003 para tirar Saddan Hussein do poder, afirmou ao Guardian que está acompanhando o caso. ‘A liberdade é essencial e precisa ser mantida. Mesmo que eu possa não concordar com o que o Guardian escreve, espero que as cortes respeitem a constituição iraquiana’, afirmou.

Uma corte iraquiana determinou, em novembro, ser difamatória uma matéria publicada em abril e assinada por Ghaith Abdul-Ahad que descrevia al-Maliki como cada vez mais autocrata. A sentença obrigava o jornal a pagar quase US$ 90 mil ao premiê. O artigo citava fontes anônimas do serviço de inteligência do Iraque, que afirmaram que o primeiro-ministro estaria administrando as relações do país com uma mão autoritária.

O gabinete de al-Maliki negou qualquer envolvimento com a ação contra o jornal e informou que o processo foi aberto pelo serviço de inteligência, por conta da citação de ‘três de seus funcionários’. Blair deve testemunhar em 2010 em uma investigação sobre a guerra do Iraque, que avaliará a preparação da invasão e os dados de inteligência usados. Informações da AFP [26/11/09].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem