Terça-feira, 16 de Julho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1045
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Torturador confirma acordo com âncora

28/09/2004 na edição 296

Como se não bastasse o escândalo dos documentos supostamente falsos apresentados contra George W. Bush por Dan Rather no 60 Minutes, o âncora e sua emissora, a CBS, agora são acusados de terem colaborado com um ex-boina verde americano que instalou uma prisão particular na capital do Afeganistão para torturar civis que julgava pertencerem à Al Qaeda.

O mercenário Jonathan Idema, condenado por autoridades locais a 10 anos de prisão, afirma que a CBS tinha conhecimento do cativeiro que mantinha, onde teria torturado oito prisioneiros, alguns deles encontrados pendurados no teto pelos pés. Seu advogado, John Edwards Tiffany, mostrou à reportagem do New York Observer [27/9/04] um trecho de 10 minutos de vídeo em que Idema aparece interrogando seus prisioneiros e fazendo ronda armado de rifle para prender novos suspeitos. Detalhes técnicos da fita evidenciam que o material foi transmitido via satélite com equipamento da CBS.

Fontes de dentro da emissora afirmam que Dan Rather sabia do que Idema vinha fazendo e que, por meio do ex-militar, esperava ter acesso a algum agente terrorista. Em 2002, o âncora já havia entrevistado o antigo boina verde como um especialista em Al Qaeda e Talibã. Oficialmente, a emissora nega que Rather chegou a assistir a fita a que o Observer teve acesso. O porta-voz da rede que falou a respeito afirmou que o âncora estava no Iraque quando o material chegou, mas admitiu que a ordem era para que o vídeo fosse mandado para seu escritório. Sendo assim, se havia ordem prévia para que Rather recebesse as imagens, é provável que ele já soubesse do que se tratava.

Tiffany afirma que um engenheiro da CBS chegou a visitar o centro de detenção montado em Cabul, versão corroborada por um correspondente free lancer no Afeganistão que não quis se identificar. Este jornalista teria conversado com o engenheiro, que se dizia preocupado com a possibilidade de também ser preso porque sabia do que Idema vinha praticando.

O ex-militar foi preso em julho junto com Brent Bennet e Edward Caraballo, quando forças de segurança afegãs invadiram a prisão particular. O videorrepórter Caraballo, condenado a oito anos de prisão, supostamente fazia uma reportagem sobre Idema. Bennet também era um militar veterano e recebeu condenação de 10 anos. Eles teriam sido encontrados em trajes militares americanos. O ex-boina verde é autor de um livro sobre a campanha das Forças Especiais americanas no Afeganistão em que afirma que ele pessoalmente esteve muito próximo de capturar Osama bin Laden nas montanhas de Tora Bora.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem