Tribunal ordena bloqueio de sites por 'conteúdo extremista' | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Terça-feira, 21 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

ENTRE ASPAS > RÚSSIA

Tribunal ordena bloqueio de sites por ‘conteúdo extremista’

Por Leticia Nunes (edição e tradução) em 03/08/2010 na edição 601

Uma decisão de um tribunal na cidade russa de Komsomolsk-on-Amur ordenou que o provedor de internet Rosnet bloqueie acesso ao YouTube e a outros quatro sites a partir desta semana. O site de compartilhamento de vídeos do Google deve ser bloqueado por causa de um vídeo nacionalista intitulado ‘Rússia para os Russos’, que faz parte de uma lista de conteúdo extremista proibido pelo Ministério da Justiça. Os outros sites – as bibliotecas online Lib.rus.ec, Thelib.ru e Zhurnal.ru e o Web.archives.org, que mantém cópias de páginas da web antigas ou eliminadas – entraram na decisão por terem cópias do livro Mein Kampf, de Adolf Hitler.

O dono do provedor, Alexandre Ermakov, afirmou que iria apelar da decisão e não executaria a ordem porque, na sua opinião, ele não tem o direito de restringir acesso a informações sem que tenha havido alguma violação do serviço. Ermakov disse que propôs diversas saídas alternativas para o problema, filtrando o acesso ao conteúdo considerado ofensivo, mas sem bloquear os sites inteiros. O tribunal simplesmente ignorou suas sugestões.

O Google declarou que a ordem é ‘contrária à constituição’, e ressaltou que o vídeo ‘Rússia para os Russos’ poderia ter sido denunciado para o moderador do YouTube como uma violação das condições de uso do site.

A organização Repórteres Sem Fronteiras, com sede em Paris, criticou a decisão, afirmando que ela ‘viola a liberdade de informação’ e pode afetar todos os internautas russos. ‘As leis russas para extremismo são muito criticadas porque são usadas de maneira arbitrária e porque podem ter consequências terríveis’, declarou.

Propaganda

A internet se tornou o meio de troca de informações mais livre da Rússia depois que o Kremlin tomou o controle sobre a mídia do país nos últimos anos do governo do presidente Vladimir Putin. Ainda assim, a independência da rede vem sendo ameaçada por detenções e processos abertos contra blogueiros e pelo bloqueio a sites independentes sob a acusação de conteúdo extremista. O curioso é que as autoridades usam abertamente a internet para propaganda, e o YouTube tem muito conteúdo do país, incluindo o canal do presidente Dmitry Medvedev. Com informações da Repórteres Sem Fronteiras [30/7/10].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem