Domingo, 18 de Novembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1013
Menu

ENTRE ASPAS >

TSE dá direito de resposta ao PT contra Veja

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 03/08/2010 na edição 601


Leia abaixo a seleção de terça-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


Folha de S. Paulo


Terça-feira, 3 de agosto de 2010


 


MÍDIA E POLÍTICA


TSE dá direito de resposta ao PT contra ‘Veja’


O Tribunal Superior Eleitoral concedeu, por 4 a 3, direito de resposta ao PT a ser publicado em uma página da próxima edição da ‘Veja’.


O pedido se refere a reportagem publicada pela revista depois da entrevista concedida pelo candidato a vice do tucano José Serra, Indio da Costa (DEM), ao site ‘Mobiliza Brasil’, na qual ele ligou o PT às Farc e ao narcotráfico.


A reportagem, da semana passada, é intitulada ‘Indio acertou o alvo’. Segundo o texto, ‘o episódio foi uma afobação de iniciante, mas o vice de José Serra está correto em se espantar com a ligação de membros do PT com as Farc e seus narcoterroristas’.


O relator do caso, Henrique Neves, entendeu que a revista praticou ofensa ao concordar com o teor da entrevista de Indio. Os ministros que votaram contra entenderam que o pedido pode se confundir com censura.


A revista ainda pode entrar com recursos chamados de ‘embargos de declaração’, mas eles não têm força para suspender a decisão antes de serem julgados.


A Folha não conseguiu ouvir ninguém do departamento jurídico da revista.


 


 


TODA MÍDIA


Nelson de Sá


PCC, UPP etc.


Manchete de eleições da Folha.com no fim do dia, ‘Dilma elogia a política de segurança do Rio e sugere falhas em SP’. No alto do Terra, Aloizio Mercadante acrescentou que, eleito governador, copiaria do Rio as UPPs, Unidades de Polícia Pacificadora. Também na Folha.com, ‘Marina diz que SP tem descontrole na segurança’, efeito da ‘hegemonia tucana’.


O ‘Brasil Urgente’, da Band, ressaltou no final que ‘Governador não descarta que ataque seja de facção’ _com repórter questionando Alberto Goldman sobre PCC e a repercussão na campanha de Serra. A home do jornal ‘O Estado de S. Paulo’, que já havia dado os ataques como ação do PCC na capa de papel, fechou o dia com a submanchete ‘Questionado por ataques do PCC, Serra vê melhora na segurança’.


SAIU DA SOMBRA


O ‘Financial Times’ Further reading linkou longa reportagem do canal de notícias France 24, sobre como Lula está ‘influenciando o eleitorado’ -e dizendo que ‘já há comoção em torno da candidata’, pois ‘todo mundo quer ver a escolhida que saiu da sombra de Lula para dividir o crédito do boom brasileiro’. Ao vivo no estúdio, o correspondente da ‘Veja’ na Europa, Antonio Ribeiro, disse que ‘José Serra é muito mais qualificado para ser presidente’, mas ‘ela é a favorita’.


PETROBRAS E A ESPECULAÇÃO


A Bloomberg despachou de Nova York que a Petrobras estaria ‘perdendo confiança dos investidores, temerosos de que sua nota seja cortada’. Um ex-analista da agência de classificação Fitch diz que, se se endividar mais, ‘isso poderia ter impacto sobre sua medida de crédito’. Já a Moody’s diz que ‘não há muitas empresas com seu potencial de crescimento’.


Na linha da Bloomberg, o ‘Wall Street Journal’ opinou ontem que a grande venda de ações programada pela Petrobras estaria ‘sob risco, a menos que o novo governo adote reformas fundamentais’.


Por outro lado, semanas atrás o ‘Barron’s’, que é do ‘WSJ’, aconselhou os investidores a ‘correr’ para comprar ações da Petrobras _o que voltou a ser defendido ontem pelo site financeiro Seeking Alpha.


NA TERRA


O site Tonic postou a longa reportagem ‘Brasil emerge: Uma agência espacial com um olho na Terra’, sobre o Inpe -que não ‘atira para a Lua’ como outras, priorizando ‘questões mais terrenas, como o desmatamento da Amazônia e o clima’


PÓS-COPENHAGUE


‘No momento em que os negociadores se preparam para nova rodada de negociações’, o ‘Guardian’ ouviu o representante do Itamaraty, sob o título ‘Financiamento, brigas e florestas: a visão do Brasil sobre a mudança no clima’.


O jornal destaca sua avaliação da derrubada da proposta de Barack Obama. ‘A má notícia do Senado dos EUA vai afetar. Definitivamente, não seremos capazes de fechar um acordo, pois os países desenvolvidos só vão aceitar um teto [de emissão] quando souberem qual será o dos EUA.’ Mas ‘o mais importante’, afirma ele, é o financiamento dos programas dos países em desenvolvimento, prometida em Copenhague pelos desenvolvidos.


EUA & Lula


No UOL, ‘EUA apoiam proposta brasileira de asilo à iraniana condenada a apedrejamento’. Foi o que disse o porta-voz do Departamento de Estado, que respondeu porém ser ‘questão distinta’ da mediação nuclear, em que os EUA negam apoio ao Brasil.


Lição de mídia


Gilberto Dimenstein postou na Folha.com que a oferta de asilo mostrou como uma campanha ‘nascida de um punhado de jovens sem apoio’, cobrando a intervenção brasileira, iniciou uma ‘avalanche’ que poderá, ‘quem sabe, salvar uma vida’.


‘FANTASTIC’


O ‘New York Times’ entrevistou Pelé e saudou ontem a volta do Cosmos, time em que o brasileiro jogou nos anos 70 e que vai tentar representar Nova York na liga americana de futebol junto com o Red Bulls


 


 


FALHA NA COMUNICAÇÃO


Veto a BlackBerry em Emirados gera críticas


DA EFE – O governo dos EUA se disse ‘decepcionado’ com o ‘precedente perigoso’ criado pela decisão dos Emirados Árabes Unidos de bloquear, a partir de outubro, o envio e recebimento de e-mails e outros serviços em ‘smartphones’. Os Emirados alegam questões de segurança e informaram que a proibição se estenderá a visitantes estrangeiros.


 


 


ONG critica lei russa que amplia poder de agência


DA FRANCE PRESSE – O Comitê para a Proteção de Jornalistas (CPJ) criticou ontem a lei russa que amplia os poderes da FSB, agência que substituiu a KGB. A lei, que prevê processo e prisão a suspeitos de planejar crimes contra a segurança russa e já aprovada no Legislativo e no Executivo, ‘contribuirá para o clima de medo entre críticos’ do governo, diz o CPJ.


 


 


TELEVISÃO


Audrey Furlaneto


Em Florianópolis, gravação de novela deve driblar turista


‘Insensato Coração’, de Gilberto Braga e Ricardo Linhares, vai sair do eixo Rio-São Paulo e usar como cenário Florianópolis, cidade bem menor que as capitais do Sudeste -e bem menos acostumada com as produções de novelas globais.


Para gravar em paz, a Globo precisa driblar os turistas da alta temporada: a gravação da trama, que substitui ‘Passione’ em janeiro, será adiantada para setembro.


O cronograma de produção, diz Ricardo Linhares, foi feito ‘para evitar as férias de final de ano, quando a cidade fica cheia de turistas’. Sem locações fora do país, a novela grava externas em Florianópolis até outubro.


Se em ‘Ti Ti Ti’, novela das 19h que tem Belo Horizonte entre os cenários, ainda foi possível ver curiosos (anônimos) espiando atrás das cenas, em ‘Insensato Coração’ o risco pode ser maior, já que o elenco tem galãs (como Fábio Assunção) e grandes nomes (como Antonio Fagundes).


É o núcleo dos dois, aliás, que ‘mora’ em Florianópolis. Haverá ainda um bloco carioca, com Ana Paula Arósio, Luigi Baricelli, Deborah Secco, entre outros.


Quase acabou Os créditos finais entraram no meio do último ‘Fantástico’. Às 21h30, o quadro ‘Jogo da Verdade’ ainda exibia entrevistas quando subiu a ficha do programa, interrompida em seguida para que o quadro seguisse.


Tempos modernos A edição do programa, aliás, parece reforçar uma espécie de ‘estética de reality’ do ‘Fantástico’: câmeras escondidas e documentais (grudadas ao personagem) e legendas em quase todas as entrevistas.


Calmante Recado de Xuxa, no último sábado, para o diretor de ‘Ti Ti Ti’ Jorge Fernando amplia a sensação de que a novela era alvo de muita expectativa para erguer a audiência das 19h: ‘Relaxa, Jorginho. Vai pegar. Já pegou’.


O tal ofício Não é só o apóstolo Valdemiro que pede dinheiro para manter o programa de TV no ar, na Rede 21. Nos programas de madrugada, Silas Malafaia e R.R. Soares pedem ‘auxílio para a manutenção do ofício religioso’.


Chapéu alheio Silvio Santos, que exibe ‘revival’ de si mesmo no dominical que leva seu nome, levou ao ar anteontem vídeo antigo de ‘Topa Tudo por Dinheiro’ com Adriane Galisteu -elenco da concorrente Band.


Líder da casa Boninho usa o Twitter para alertar (e manter, é claro) aspirantes ao ‘Big Brother Brasil’: ‘Ainda não começou a seleção para o ‘BBB 11’. É que pipocam endereços falsos para que candidatos enviem os ‘currículos’.


 


 


Lúcia Valentim Rodrigues


‘Lie to Me’ aposta em histórias pessoais em inéditos do 2º ano


A Fox retoma os episódios inéditos de ‘Lie to Me’ após um intervalo de três meses. No episódio ‘Vença o Diabo’, o dr. Cal Lightman (vivido pelo excelente Tim Roth) se surpreende em uma palestra com um jovem que ele não consegue diagnosticar quando está mentindo. Justo ele, que funciona como um polígrafo ambulante.


A partir daí -e da perda de uma aposta boba-, passa a defender que o rapaz é um psicopata.


Vai ter de ir contra uma ex-amante para manter suas convicções pessoais e arrisca a vida de outros integrantes de sua equipe. Mas o capítulo mais forte é o da semana seguinte, em que um terrorista procura Lightman para descobrir quem matou sua família num atentado há sete anos.


Segredos do passado dele e de sua sócia, a dra. Foster (Kelli Williams), vão destruir uma possível aproximação amorosa entre os dois. Nesta segunda temporada, Lightman se expõe mais, ultrapassa os limites da lei e até deixa sua filha de lado para lidar com seus próprios fantasmas. Vem mais coisa boa por aí até o 24º (e último) capítulo.


NA TV


Lie to Me – 2ª Temporada


Volta dos episódios inéditos


QUANDO ter., às 22h, na Fox


CLASSIFICAÇÃO 14 anos


 


 


EUA


Revista ‘Newsweek’ é vendida para magnata do equipamento de áudio


Quase 50 anos depois de comprar a ‘Newsweek’, a Wa- shington Post Co. (dona do jornal de mesmo nome) fechou a venda da revista semanal.


A publicação foi vendida para Sidney Harman, 91, fundador da Harman International Industries, do setor de equipamentos de áudio.


Detalhes como valor da venda não foram revelados. A dona do ‘Washington Post’ buscava um comprador para a ‘Newsweek’ desde maio.


‘Na procura por um comprador para a ‘Newsweek’, queríamos alguém que pensasse o mesmo que nós sobre a importância do jornalismo de qualidade’, afirmou Donald Graham, presidente-executivo da Washington Post Co. ‘Nós encontramos essa pessoa em Sidney Harman.’


A circulação nos EUA das revistas de interesse geral (como ‘Newsweek’ e ‘Time’) vem caindo, na medida em que os leitores estão buscando cada vez mais notícias on-line.


A ‘Newsweek’ acumulou só prejuízo entre 2007 e o ano passado, e a expectativa é a de que ela tenha novas perdas neste ano. A ação da Washington Post Co. subiu ontem 3,2%.


 


 


FRANÇA


Vaguinaldo Marinheiro


Jornais para jovens são sucesso na França


Uma editora na França tem conseguido provar que pode estar bem errada a máxima de que crianças e adolescentes não gostam de ler notícias em jornal impresso.


Com três títulos voltados para pessoas de 6 a 18 anos, a La Play Bac não enfrenta crise. Enquanto os jornalões franceses perdem leitores, ela mantém 150 mil assinantes em todo o país. Número que permanece estável há cinco anos.


Como comparação, é metade do que vende o ‘Monde’ hoje. Mas o ‘Monde’ perdeu cerca de 20% da circulação nos últimos cinco anos.


Qual o segredo? ‘Fazemos jornais que não são chatos. Que levam às crianças e aos adolescentes o que eles querem ler e com uma apresentação colorida e atraente’, afirma François Dufour, 42, um dos donos da editora e editor-chefe dos jornais.


‘Le Petit Quotidien’ (pequeno diário), ‘Mon Quotidien’ (meu diário) e ‘L’actu’ (últimas notícias) são jornais compactos (quatro páginas o primeiro, oito os outros dois), com gráficos coloridos, fotos grandes e textos pequenos.


No cardápio de assuntos, muita ecologia, curiosidades históricas, entretenimento e atualidades.


Na última quinta-feira, o ‘Le Petit Quotidien’, voltado para crianças de até dez anos, trazia na capa a história de um animal que se pensava extinto e que foi fotografado no Sri Lanka. Dentro, uma arte multicolorida com tudo sobre o bicho.


No ‘Mon Quotidien’, para crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos, o assunto principal era o projeto de uma agência britânica para criar um hotel de luxo nas alturas, dentro de um dirigível. Na página dois, uma arte com tudo sobre os dirigíveis.


‘L’actu’, cujo público-alvo tem de 14 a 18 anos, falava não só de ganhadores de loterias, mas também do vazamento de documentos sobre a guerra no Afeganistão. Na contracapa, uma entrevista com a atriz Cameron Diaz.


Dufour afirma que são os próprios jovens que escolhem os assuntos.


Todos os dias são levados à Redação dois meninos e duas meninas que funcionam como redatores-chefes convidados. Os jornalistas propõem as pautas, eles decidem o que será publicado.


São também os leitores que escrevem as críticas de jogos e livros.


INÍCIO


A história dos três jornais começa em 1995. Dufour e dois amigos pensaram que seria um bom negócio fazer jornais que fossem vistos pelos pais como parte do processo educativo dos filhos.


Na época, eles já eram donos de uma editora de livros e jogos infantojuvenis.


Os jornais não são vendidos em banca, é preciso ser assinante para recebê-los em casa, de segunda a sábado.


A assinatura custa 9 por mês, pouco mais de R$ 20.


Durante todo o mês de setembro, início do ano letivo na França, são distribuídos jornais nas escolas do país.


 


 


 


************


O Estado de S. Paulo


Terça-feira, 3 de agosto de 2010


 


MÍDIA E POLÍTICA


Mariângela Gallucci


TSE dá direito de resposta ao PT contra revista


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) condenou ontem à noite a revista Veja a publicar em sua próxima edição resposta do PT a uma reportagem que foi baseada na polêmica declaração do candidato a vice-presidente Índio da Costa (DEM) de que o partido teria ligações com o narcotráfico e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).


O placar do julgamento foi apertado: 4 ministros votaram a favor do direito de resposta e 3 contra. Relator do processo, o ministro Henrique Neves concluiu que a reportagem Índio acertou o alvo excedeu os limites. ‘A imprensa não tem o amplo, geral e irrestrito direito de ofender a outros, e o direito existe para punir eventuais excessos’, afirmou durante o julgamento o ministro Arnaldo Versiani.


Em sua defesa, a revista Veja alegou que exerceu seu direito legítimo de publicar informações de interesse da sociedade. Também sustentou que não seria competência da Justiça Eleitoral julgar um direito de resposta contra um veículo de comunicação.


Voto vencido. Os ministros Cármen Lúcia, Marco Aurélio Mello e Aldir Passarinho Junior ficaram vencidos no julgamento. Segundo eles, a revista repercutiu as declarações de Índio da Costa e exerceu o direito à liberdade de imprensa. ‘O que aparenta ofender fica num nível de subjetividade que eu acho que ultrapassa também o meu dever de juiz. Porque aquilo que aparenta para um não aparenta para outro’, argumentou a ministra Cármen Lúcia, ao discordar do voto do relator. ‘Não havendo clareza, o princípio que a meu ver deve prevalecer é o da liberdade de imprensa, que é exatamente o que a Constituição preceitua.’


‘O que transparece nisso é que simplesmente se mostrou elo, talvez do passado, do partido com as Farc, e se apontando fatos concretos’, disse o ministro Marco Aurélio Mello. Aldir Passarinho Junior, que é o corregedor eleitoral, afirmou que houve um fato político, que foi a declaração de Índio da Costa, e esse fato teve uma repercussão na imprensa.


Apesar de ter votado contra a concessão do direito de resposta, o ministro reconheceu que ‘a matéria, pela sua redação, foi desfavorável ao Partido dos Trabalhadores’.


 


 


ELEIÇÕES 2010


Corte decide quem pode ‘usar’ Lula na TV


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve definir hoje em quais situações os candidatos a governador, vice e senador poderão usar no horário eleitoral gratuito a imagem e a voz dos presidenciáveis e de militantes de partidos, como o presidente Lula (PT).


Em junho, o TSE decidiu limitar o uso da imagem e da voz dos políticos. Por aquela decisão, o candidato a cargo majoritário não poderia usar esse instrumento de campanha se os partidos forem adversários na disputa pelo Palácio do Planalto.


 


 


INTERNET


Jenna Wortham, The New York Times


Tumblr cresce entre o Twitter e o Facebook


NOVA YORK – Inúmeras empresas de mídia tradicionais aderiram às redes sociais, colocando notícias e atualizando-as no Facebook e no Twitter. Mas essas empresas terão tempo e recursos para trabalhar com mais um canal da internet na sua rotina diária?


É o que espera Mark Coatney, jornalista de 43 anos, que acabou de ser contratado pelo Tumblr, um serviço de blogs que conta com 6,6 milhões de usuários.


Até o mês passado, Coatney era editor-sênior da Newsweek, à frente de um projeto da revista para se inserir no Twitter e no Facebook. No ano passado, ele decidiu adicionar o Tumblr no seu repertório. ‘Vi o site como uma oportunidade para falar com nosso público de uma maneira nova’, diz Coatney, acrescentando que ‘no Twitter, o principal feedback vem principalmente do ‘retweeting’ (encaminhamento de uma mensagem para outras pessoas). ‘No Tumblr o tom é muito mais de conversa.’


O jornalista rapidamente atraiu seguidores no Tumblr com suas postagens provocadoras. Com frequência chegavam comentários, às vezes engraçados, outros um pouco duros – algo com que ele conseguia lidar bem porque ‘ninguém na Newsweek sabia o que eu estava fazendo’, diz. A credibilidade que ele criou entre os usuários e o fato de a revista ter sido uma das primeiras grandes publicações a aderir ao serviço basearam a decisão do Tumblr de contratá-lo.


Mas, nos últimos meses, outras empresas de mídia também se interessaram pelo Tumblr, cujo uso é gratuito. Entre as que aderiram mais recentemente estão The Atlantic, Rolling Stone, BlackBook Media Corporation, National Public Radio, The Paris Review, The Huffington Post, Life Magazine e The New York Times.


Muitos desses meios de comunicação, no entanto, apenas criaram uma página para marcar posição. No seu novo emprego como ‘evangelista da mídia’, o papel de Coatney, e também seu desafio, é ajudá-las a imaginar o que fazer depois. Ele descreve o Tumblr como ‘um espaço entre o Twitter e o Facebook’.


O website permite aos usuários carregar imagens, vídeos, clipes de áudio e citações para suas páginas. Como no Twitter, os usuários podem seguir outros usuários, cujas postagens aparecem cronologicamente numa página central conhecida como painel. Os usuários indicam que gostaram de um item clicando num coração vermelho ao lado, ou fazendo um ‘reblogging’ dele.


Uma das diferenças entre o Tumblr e o Twitter é que o novo site social não mostra quantos seguidores um usuário possui, diz David Karp, 24 anos, fundador e diretor executivo. ‘Não é tão importante quem o está seguindo. Não se trata de ter 10 mil seguidores. Tem a ver menos com a audiência e mais com a comunicação com uma comunidade.’ Além do que, diz ele, o site foi desenhado tendo a expressão criativa em mente. ‘As pessoas estão criando identidades e personalidades que o design do Facebook e do Twitter não permitem que você faça’, diz Karp.


Para o Tumblr, que recentemente levantou US$ 5 milhões de financiamento da Spark Capital e Union Square Ventures, o interesse dos meios de comunicação é como um marca de distinção do site. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO


 


 


TELEVISÃO


Keila Jimenez


Testes do novo medidor do Ibope atrasam


O primo-rico do peoplemeter está longe de assumir seu lugar. O DIB 6, novo medidor de audiência do Ibope que substituirá o DIB 4 – peoplemeter atual, criado em 1996 – regrediu em sua bateria de testes. Por conta de problemas técnicos, o DIB 6, que deveria estar instalado em 40 residências, sofreu ajustes e está instalado em cinco casas, em observação, antes de ter sua amostragem aumentada. Ainda sem data de estreia, o DIB 6 deve afetar as pesquisas de ibope, pois permitirá que a gravação de um programa seja traduzida como audiência, mesmo que vista em outro dia e horário. Ele mede audiência do conteúdo, independentemente da plataforma de veiculação.


97 expositores estarão na ABTA este ano, maior evento de TV por assinatura do País, que será realizado de 10 a 12 de agosto


‘Eu não quero passar o resto da minha vida apresentando telejornais’ Ana Paula Padrão em entrevista ao Vitrine, da Cultura, sobre a vontade de fazer outras coisas


Ti-Ti-Ti terá um novo casal gay. Afinal, o original, vivido por André Arteche e Gustavo Leão, acabou logo na primeira semana. Não será missão fácil, mas o cabeleireiro Julinho (Arteche) encontrará um novo amor.


Diretor de As Cariocas, nova série da Globo, Daniel Filho será também o narrador da produção.


Ary Fontoura deixou o elenco de Insensato Coração, de Gilberto Braga, para entrar em Dinossauros e Robôs, próxima trama das 7 da Globo, de Walcyr Carrasco. Ele faria uma participação em 60 capítulos no folhetim de Braga.


Fontoura estará em A Cura, de João Emanuel Carneiro, como dr. Turíbio.


Famosas como Ana Hickmann e Monique Evans estão pedindo votos no Twitter para o concurso das ‘100 Celebridades Mais Sexies do Mundo’, promovido por uma revista masculina todos os anos.


Eliana venceu Gugu em seu confronto direto no domingo, das 16h05 às 19h, registrando média de 10 pontos de ibope no horário, diante dos 9 pontos da Record.


Vale lembrar que Eliana exibiu entrevista exclusiva com o fenômeno teen Justin Bieber, que Gugu tentou durante meses – sem sucesso – para o seu programa.


O Fantástico levou ao ar anteontem, sob o título de ‘grande reportagem’ um especial sobre aborto. A novidade chamou a atenção da concorrência, que tem um quadro homônimo no Domingo Espetacular, no mesmo horário, na Record. Procurada, a Globo, via assessoria, garante que sua ‘grande reportagem’ não é um quadro, e sim uma matéria esporádica no dominical.


O Fantástico, por sinal, exibiu longa reportagem sobre o novo filme de Sylvester Stallone ignorando a participação da atriz brasileira Gisele Itiê, hoje na Record.


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem