Segunda-feira, 22 de Maio de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº942

MONITOR DA IMPRENSA > WORLD PRESS PHOTO

Uma imagem e algumas palavras

02/03/2007 na edição 422

A máxima de que uma imagem vale mais que mil palavras foi rasgada em pedacinhos com a vencedora da última edição do World Press Photo, prestigiado concurso mundial de fotojornalismo. A fotografia laureada com o prêmio de Foto do Ano, de autoria do americano Spencer Platt (Getty Images), mostrava cinco jovens em um carro conversível passando por uma Beirute destruída pelo conflito com Israel. Os jovens, em primeiro plano, estão bem vestidos e contrastam com o fundo de caos. Uma das mulheres parece fotografar com seu telefone celular; outra coloca um pano no rosto para não sentir o cheiro do local. Parecem turistas ricos de passagem em meio ao desastre.


Foto premiada, assunto encerrado? Não: resolveram explicar a imagem. Antes mesmo do prêmio, o trabalho de Platt já havia causado polêmica. Os personagens do carro foram rotulados de jovens riquinhos e insensíveis, fazendo cara de nojo diante do feio. Alguns fotógrafos levantaram suspeitas sobre a veracidade da fotografia – o flagra era muito bom para ser verdade, devia ser encenado. Houve juiz do concurso que se opôs à escolha para o prêmio principal com a justificativa de que a imagem era um insulto aos outros fotojornalistas que arriscaram suas vidas para cobrir o conflito no Líbano.


Não era bem assim


Em artigo de Ulrike Putz no alemão Der Spiegel [28/2/07], é contada ‘a história verdadeira’. Encontraram Bissan Maroum, uma das mulheres no carro. Curtindo seu ‘momento celebridade’ e esperando ser chamada para a cerimônia de entrega do prêmio em Amsterdã, a jovem revela que não, não é rica, como pode parecer pela fotografia. Ela mora com sua família em um dos bairros destruídos e durante o bombardeio foi para um hotel em um bairro mais afastado e seguro. Junto com ela estão seu irmão, sua irmã e duas funcionárias do hotel, de quem ficaram amigos. O carro é emprestado de outro amigo. O teto estava abaixado porque fazia muito calor no dia. E o grupo estava na região para verificar se sua casa ainda estava de pé.


O fotógrafo não chegou a falar com os jovens. Platt contou à CNN que viu o carro com o canto do olho, levantou a câmera espontaneamente e disparou umas cinco vezes. A foto premiada foi a única salva, já que, nas outras, pessoas passaram na frente da câmera. Ele diz agora que sente por ter causado algum mal a seus personagens, e alega que nunca tentou fazer da imagem uma declaração política.


Questão sensível


Uma coisa é certa: a discussão sobre a fotografia e as fortes reações causadas por ela mostram que Platt tocou em um ponto delicado. Segundo a matéria do Der Spiegel, a imagem se encaixa perfeitamente em um clichê sobre a relação entre ricos e pobres no Líbano. Pessoas imensamente abastadas dividem com pessoas extremamente pobres não só o mesmo país, mas também a pequena área de Beirute. Ainda que os personagens da foto não pertençam, na verdade, a nenhum destes grupos extremos, eles acabaram por representar uma situação que, de fato, existe. Durante o conflito com Israel, ricos eram vistos em bares em áreas mais altas, com seus caros óculos escuros, observando a fumaça subir nos bairros pobres xiitas.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem