Quarta-feira, 22 de Janeiro de 2020
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1071
Menu

MUDANçAS CLIMáTICAS > Questão narrativa

A criatividade e a narrativa a favor do conteúdo crítico sobre mudança climática

Por Equipe do Observatório da Imprensa em 14/01/2020 na edição 1070

(Foto: Pixabay)

Sonali Prasad, bolsista da Knight Science Journalism no MIT, escreveu um artigo para o Nieman Lab sobre o desafio de cobrir as mudanças climáticas na imprensa. O artigo faz parte de uma série sobre as tendências do jornalismo para 2020.

O tema da mudança climática é tão abrangente, nos diz Sonali, que afeta as mais diferentes áreas: política, economia, sistemas alimentares e cultura. E por isso vai requerer uma habilidade das equipes para contar histórias que sejam envolventes. É preciso pensar nos formatos narrativos.

Mais do que o talento dos repórteres, a aposta é juntar diferentes habilidades criativas: artistas, cartunistas, designers gráficos, programadores, poetas, atores.

A autora cita alguns exemplos, como a edição da The Washington Post Magazine, com criação de capas alternativas representando diferentes pontos da pauta da mudança climática. Outro exemplo é a notícia de que o Havaí é o local do mundo de maior extinção de aves, divulgada pelo The Guardian numa experiência de 360˚, com recursos sonoros e imagéticos. Já o
The New York Times usou câmeras especiais para tornar visíveis as emissões de metano.

O que Sonali defende é que o tema da mudança climática tem um apelo ao mesmo tempo emocional e científico e, por isso, está associado à diversidade. Precisamos de diferentes vozes, rostos, palavras e imagens para contar as histórias das comunidades, especialmente quando questões de desigualdade e injustiça climática ganham destaque. É preciso “sair da caixa” da reportagem padrão e buscar narrativas que sejam ao mesmo tempo informativas e tenham impacto visual.

A idéia é unir esforços com a colaboração de artistas e outros criativos. O Financial Times, por exemplo, experimentou um jogo baseado em audiência que explora as tensões nas discussões sobre mudanças climáticas na tomada de decisões. Outro exemplo é a Pop-Up Magazine, que realizou um show ao vivo com a participação de contadores de histórias. Em um show no Festival de Sundance, Vann R. Newkirk II, escritor de política da The Atlantic, escreveu e executou uma peça pop chamada The Tar River Refugees, que abordava a crise de refugiados causada pelas mudanças climáticas.

Os exemplos, para além da importante pauta da mudança climática, demonstram como a questão narrativa é, hoje, um elemento de relevância no jornalismo. A arte de contar histórias se sofistica com os recursos tecnológicos e pode ser um importante instrumento para potencializar as informações e chamar atenção para assuntos que interessam a todos.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem