TECNOLOGIA

Al Gore e seu e-book exemplar

13/05/2011 na edição 641

O Estado de S. Paulo, 9/5

David Pogue

Al Gore cria um e-book exemplar

Sou convidado a testar novos aplicativos o tempo todo, mas não é sempre que este convite é feito por Al Gore. Na verdade, ele só me convidou uma vez, e foi na semana passada.

Mordi a isca. Reuni-me com ele e os coautores de Our Choice (algo como Nossa Escolha), uma versão em formato de aplicativo de US$ 5 para iPhone, iPad e iPod Touch do livro de mesmo nome, escrito por Gore em 2009 e já consagrado como best seller.

Serei sincero com vocês: sou constantemente convidado a experimentar algum novo tipo de aplicativo que promete "revolucionar" os e-books e afirma reinventar a sua leitura. Em geral, isto quer dizer apenas que o texto é acompanhado de alguns clipes de vídeo.

O Our Choice, no entanto, parece de fato cumprir esta promessa.

De acordo com a descrição do próprio Al Gore, seu livro de 2006, Uma verdade inconveniente, dedicava 90% de suas páginas ao problema da crise climática, e apenas 10% delas às soluções. Our Choice busca inverter esta proporção.

Trata-se das medidas que ele acredita serem necessárias para evitar o pior do desastre climático. Todos os fatores são explorados: fontes solares, eólicas, nucleares, questões políticas e populacionais, o desmatamento. Gore mostra que continua em forma: sua retórica é marcada por argumentos convincentes, cuidadosos, razoáveis e repletos de trechos recapitulando em termos leigos os avanços das pesquisas científicas mais recentes. Se o leitor não conhece termos como carbono negro, albedo e halogenetos, passará a compreendê-los depois que chegar ao fim de Our Choice.

Gore reconhece os argumentos dos céticos, e chega até a resumi-los, antes de partir para uma tentativa de derrubá-los. Ele continua a transmitir a mensagem de que temos de agir rapidamente para evitar problemas climáticos realmente devastadores. "Os Estados Unidos continuam a tomar emprestado dinheiro da China para comprar petróleo do Golfo Pérsico e queimá-lo de maneiras que destroem o planeta. Cada elemento deste funcionamento perverso precisa mudar", escreve ele.

O livro foi publicado em 2009, mas a versão sob forma de aplicativo foi atualizada. São incorporados ao debate o ceticismo que segue os mesmos moldes daqueles que questionavam a nacionalidade de Obama, o tsunami no Japão e o fracasso das negociações climáticas no ano passado.

Mas chega de falar do livro. A grande novidade é o aplicativo.

As informações são organizadas como num livro, com 400 fotos, ilustrações e gráficos. O efeito funciona melhor no iPad, é claro, mas as versões miniaturizadas para a tela do iPhone/iPod Touch funcionam surpreendentemente bem. Em ambos os casos, pode-se diminuir o zoom para ver miniaturas das páginas na parte inferior da tela, facilitando a navegação.

Nas duas versões do aplicativo, a verdadeira magia está nos elementos visuais. Cada foto e cada gráfico podem ser ampliados até ocupar a tela toda; o impacto visual é espetacular. Neste modo de exibição, é possível interagir com estes objetos. Pode-se tocar o canto de qualquer imagem, por exemplo, para saber em que local ela foi feita. Pode-se passar o dedo sobre uma barra de um gráfico para "reparti-la" em pedaços menores, exibindo dados complementares ao gráfico principal. (Há um gráfico, por exemplo, que mostra os seis principais gases que contribuem para o efeito estufa. Ao manter o dedo sobre a barra que representa um destes gases, esta é subdividida em elementos menores, mostrando a origem das emissões: transporte, edifícios e assim por diante.)

Algumas das ilustrações se tornam animações narradas. Outras mais parecem filmes (há ao todo uma hora de material em vídeo), e a maioria dos trechos é narrada por Gore.

A interatividade e a possibilidade de aproximar e afastar os elementos gráficos não são apenas um efeito pirotécnico supérfluo. Elas de fato incrementam a leitura, proporcionando uma experiência diferenciada. O livro ganha, com isto, uma aparência de página da web; ao gosto do leitor, pode-se deixar o texto principal de lado e aprofundar-se nestes temas paralelos. Em nenhum momento isto interfere no andamento da argumentação principal.

Graças à toda esta integração multimídia, tão bem executada, o livro estimula outras áreas do cérebro além daquela que se ocupa da leitura de prosa. Como resultado, Gore vai muito além na sua missão — a persuasão — do que seria possível recorrendo-se apenas à página impressa.

Outro resultado é que o leitor pode passar muitas horas entretido com este "livro", imerso na exploração dos seus recursos. Eis aqui um e-book que de fato redefine o efeito da leitura de um livro eletrônico.

A tela de toque é realmente bem explorada, assim como os falantes e o espaço de armazenamento do dispositivo eletrônico. E o melhor é que a pequena empresa responsável pela criação do aplicativo (chamado PushPop Press) diz que, nos últimos 18 meses, não criou apenas Our Choice. Ela criou também uma plataforma, uma tecnologia que permitirá a publicação de e-books cada vez mais envolventes num processo cada vez mais rápido e fácil.

Há espaço para melhorias. Não é possível fazer buscas no texto, nem copiar trechos, nem fazer anotações ou grifar frases. Links para páginas da rede seriam uma inclusão óbvia. A narração de Gore não é, exatamente, a mais animada que já ouvimos.

Fiquem sabendo também que trata-se de um aplicativo grande, com mais de 50 megabytes. Na verdade, ao comprá-lo na loja de aplicativos, o usuário recebe apenas um vídeo introdutório; deve-se então baixar o restante do livro a partir de um ponto com acesso à rede Wi-Fi. Esta pode ser uma surpresa desagradável para aqueles que comprarem o livro pouco antes de embarcar numa viagem, por exemplo.

Mas, no seu conjunto, este é um dos aplicativos mais elegantes, fluidos e envolventes jamais vistos. Trata-se de uma excelente demonstração das capacidades do novo mundo dos dispositivos sensíveis ao toque.

Eu disse a Gore que, francamente, estava aliviado por ver que Our Choice é um aplicativo tão surpreendente. "Tive medo que fosse desanimador", eu disse. "Eu teria que comparecer a esta reunião e fingir que o adorei."

Gore não perdeu sua deixa. "Eu sei", disse ele. "Também me senti assim em relação à sua minissérie Nova."

Sujeito espirituoso. É também um autor convincente e cuidadoso. Ele supervisionou a criação de um livro-aplicativo muito interessante que, nas palavras de um freguês da loja de aplicativos, "transforma a leitura numa experiência interativa, satisfatória e, acima de tudo, emocionalmente envolvente".

Bom trabalho, sr. vice-presidente.

ATENÇÃO: Será necessário validar a publicação do seu comentário clicando no link enviado em seguida ao endereço de e-mail que você informou. Só as mensagens autorizadas serão publicadas. Este procedimento será feito apenas uma vez para cada endereço de e-mail utilizado.

Nome   Sobrenome
 
     
E-mail   Profissão
 
     
Cidade   Estado
 
     
Comentário    

1400
   
Preencha o campo abaixo com os caracteres da imagem para confirmar seu comentário, depois clique em enviar.
Recarregar imagem
   
   



Este é um espaço de diálogo e troca de conhecimentos que estimula a diversidade e a pluralidade de ideias e de pontos de vista. Não serão publicados comentários com xingamentos e ofensas ou que incitem a intolerância ou o crime. Os comentários devem ser pertinentes ao tema da matéria e aos debates que naturalmente surgirem. Mensagens que não atendam a essas normas serão deletadas - e os comentaristas que habitualmente as transgredirem poderão ter interrompido seu acesso a este fórum.

 

 SIR MIHCERE
 Enviado em: 15/05/2011 12:03:30
Trabalhinho a ser apresentado para a professora da 5ª série. Texto ridículo e "baba-ovo", fruto de um pensamento limitado pela massacrante campanha imbecilizante promovida pela mídia engajada na doutrinação gramscista. O pior é que o texto dá um ar de que o autor pensa: "nossa, como eu sou [...], como eu sou intelectual". Procure ler o livro "O Imbecil Coletivo." Aprenda a gastar teu tempo fazendo jornalismo de verdade ao invés de apenas reproduzir as mentiras politicamente corretas do perverso globalismo! Aprenda a investigar como verdadeiros jornalistas fazem, atrás da verdade, descobrindo "furos jornalísticos" e não reproduzindo o que os mal-intencionados contam como verdade. Veja se aprende alguma coisa sobre jornalismo nestes links: http://www.midiasemmascara.org/artigos/internacional/estados-unidos/12067-caso-obama-mico-universal.html http://www.midiasemmascara.org/artigos/ambientalismo/11861-carta-aberta-a-verdade-sobre-a-mudanca-climatica.html http://la3.blogspot.com/ http://www.youtube.com/watch?v=ppdA45V39lo http://honestreporting.com/
 SIR MIHCERE
 Enviado em: 15/05/2011 12:23:52
Custava falar do e-book sem impor essa doutrinação?