Sábado, 18 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

OI OITO ANOS > EVENTO FUNDADOR

Os prolegômenos de um projeto

Por Carlos Vogt em 04/05/2004 na edição 275

O Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor) é um projeto que a Unicamp acalenta e alimenta há alguns anos. Na gestão do professor Paulo Renato fizemos um movimento para criar um programa e uma atividade deste tipo e, na ocasião, tínhamos convidado, para discutir o projeto e coordena-lo, o nosso querido e saudoso Cláudio Abramo. Por razões várias, de ordem conjuntural e estrutural, o projeto não avançou e ficou esperando o momento de ser promovido.

Há algum tempo, em reunião que tive na posse do professor João Quartim como diretor do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da universidade, ele lembrou-me de duas coisas que deveríamos fazer: uma era exatamente criar um centro dedicado aos estudos de jornalismo e outra a criação de um colégio de estudos avançados em relações exteriores.

Duas semanas depois recebi um telefonema de Luiz Schwarcz (editor da Companhia das Letras), me dizendo que Alberto Dines tinha estado no Brasil. Nessa ocasião, o jornalista tinha conversado com o professor José Marques de Melo sobre um projeto de criação de um programa como este.

Imediatamente liguei para Lisboa, recebi um fax de Dines e começamos a tratar do projeto. Aos poucos, fomos dando a ele a feição institucional necessária para aquilo que considerávamos uma ação objetiva. Desenhamos, então, a idéia de um laboratório de estudos avançados de jornalismo – como um programa do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade (Nudecri), criado em 1984, na Unicamp, e do qual fui coordenador e criador.

O Nudecri tem outros programas e o do Labjor é o mais novo e que tem exigido de nós muita dedicação. Queria referir-me à sua originalidade. Ele não é um programa de graduação, mas inclui, como meta mais ambiciosa, um programa latu sensu em jornalismo – para profissionais de jornalismo e profissionais de qualquer outra área (científica, tecnológica, exata, biomédica, humanas, artística). Ao mesmo tempo, propõem-se também dois outros subprogramas: um de aperfeiçoamento pessoal e profissional para profissionais da área; e outro de prestação de serviços de consultoria, do ponto de vista técnico – da orientação e da organização.

O Labjor funcionará com sede na Unicamp e no escritório da mesma em São Paulo. Estarei coordenando toda parte administrativa de implantação do programa e Alberto Dines a coordenação propriamente corporativa, juntamente com a ajuda de outros profissionais.

Esse projeto tem algo de novo, que é o fato de não ser apenas acadêmico, mas supõe também a cooperação e parceria essencial entre a universidade e a empresa (no caso a empresa jornalística). Mas, mais do que isso, é um projeto que – do ponto de vista de sua substância técnica, profissional, acadêmica, científica – supõe necessariamente a participação do setor universitário (especialistas de várias áreas) e de profissionais competentes (jornalistas que vão atuar dentro do programa). A ambição é de que realizemos não apenas atividades no interior da universidade, mas também no interior das grandes empresas e da imprensa. Procuramos, desde o início, constituir uma sensibilidade para a demanda da imprensa no Brasil.

O seminário ‘A imprensa em questão’ é o evento fundador do Laboratório de Estudos Avançados de Jornalismo. É a imprensa vista de diferentes lugares filosóficos, epistemológicos, políticos, sociais, profissionais. De dentro, de lado, de perfil, de frente, de costas. Por isso, organizamos as mesas de forma a ter a participação de diferentes atores sociais que tenham um papel fundamental dentro do processo de desenvolvimento da imprensa e da formação de opinião no país. Se juntarmos uma universidade e todo o setor profissional em um projeto desses, certamente seremos conduzidos a uma reflexão e a um traçado de certas diretrizes que poderão contribuir para o respeito ao papel social da universidade, ao papel e ao traçado técnico do nosso perfil, da nossa inserção profissional.

Assim, na busca dessa cooperação, o que se pretende fazer resultar é, de fato, um projeto institucional que contribua efetivamente para a transformação do país, no que diz respeito à qualidade da formação de opinião.

******

Professor titular de Lingüística e ex-reitor da Unicamp, coordenador do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo da Unicamp (Labjor) e presidente do Conselho Superior da Fapesp

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem