Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

TABLOIDES MURDOCH

A crise dos tabloides ingleses

Por Alberto Dines em 12/07/2011 | Programa número 601 | comentários

Referências Bibliográficas

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. 3ª ed: São Paulo, Martins Fontes, 1998.

ADGHIRNI, Zélia Leal. ‘Informação on-line e mudanças estruturais no Jornalismo’ in Anais da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares em Comunicação (Intercom), 2001.

ANDRADE, Almir de. As duas faces do tempo – Ensaio críticos sobre os fundamentos da filosofia dialética. São Paulo, Ed. USP, 1971.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em Rede – A era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura. Vol. 1. Paz e Terra, São Paulo, 1999.

DAMASIO, Antônio R. ‘Lembrando de quando tudo aconteceu’ in As múltiplas faces do tempo - Revista Scientific American Brasil. Ano 1, nº 5, outubro de 2002

DAVIES, Paul. ‘Esse fluxo misterioso’ in As múltiplas faces do tempo - Revista Scientific American Brasil. Ano 1, nº 5, outubro de 2002

FRÉDÉRIX, Pierre. De L’Agence D’Information Havas a L’Agence France Press – un siécle de chasse aux nouvelles. Paris (França),Flammarion, 1959.

HARVEY, David. ‘A experiência do espaço e do tempo’ in A condição pós moderna. 6 a Ed. São Paulo, Loyola, 1996.

HAWKING, Stephen, W. Uma breve história do tempo – do Big Bang aos buracos negros. 13ª ed: Rio de Janeiro, Rocco, 1989.

LEMOS, André. Cibercultura – tecnologia e vida social na cultura contemporânea. Porto Alegrem Sulina, 2002

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informação. São Paulo, Editora 34, 1993.

MORETSZHON, Sylvia. Jornalismo em 'tempo real' – o fetiche da velocidade. Rio de Janeiro, Revan, 2002.

RAMONET, Ignacio. A tirania da comunicação. 2a Ed., Petrópolis, Vozes, 2001.

RIBEIRO, Jorge Cláudio. Sempre Alerta – condições e contradições do trabalho jornalístico. São Paulo, Brasiliense, 1994.

THOMPSON, E. P. ‘Tempo, disciplina, de trabalho e capitalismo industrial’ in Costumes em Comum – Estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo, Cia das Letras, 2002, pp. 367-304.

Teses e dissertações

BRANDÃO, Elizabeth Pazito. Da ciência ao mercado, a informação em tempo real. Brasília, 1999. Tese de doutorado. Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação. Universidade de Brasília, 1999

BRIGOLINI, Kátia Milagres. A influência do tempo real no poder da notícia. Dissertação de mestrado. Programa de Pós-graduação em Comunicação. Universidade de Brasília, 2002.

CHIARINI, Adriana Barreto. Como os diários impressos podem continuar interessantes com a concorrência dos serviços em tempo real? – As reformas de ‘O Globo’ em 1995 e do ‘Correio Braziliense’ em 2000: à procura de respostas. Dissertação de mestrado. Programa de Pós-graduação em Comunicação. Universidade de Brasília, 2000.

SILVA, Jaqueline de Paiva. O mercado financeiro pautando a cobertura de economia da grande imprensa. Dissertação de mestrado. Programa de Pós-Graduação em Comunicação. Universidade de Brasília, 2002.

Na Internet

________________. Bruno Patino: Directeur général Le Monde Interactif – entrevista para. Le journal du Net em 11.01.2001, 23/07/2002. (http://journaldunet.com/itws/it_patino.shtml)

FIDALGO, António. Percepção e experiência na Internet. Biblioteca on line das Ciências da Comunicação, 2002, acessado em 14/04/2003. (http://bocc.ubi.pt/pag/_texto.php3?html2=fidalgo-antonio-percepcao-na-Rede.html)

MORETZSOHN, Sylvia. O fetiche da velocidade no jornalismo do 'tempo real'. Sala de prensa, nº 38. 10/06/2002b. (http://www.saladeprensa.org/art295)

PATINO, BRUNO. Transmettre, réagir, se souvenir : le journalisme sur l’Internet.. Tradução-livre de Zélia Adghirni in Text-e.org. 14/12/2001. (http://www.text-e.org/conf/index.cfm?fa=printable&ConfText_ID=8).

RAMONET, Ignácio. El periodismo del nuevo siglo. La Factoría, 1999, acessado em: 28/11/2001. (http://www.lafactoriaWeb.com/articulos/ramonet.htm).

RAPHAEL, Jordan. On-line Journalism in Brazil – Part One: Iggy-dot-com. On-line Journalism Review, 2002, acessado em 04/04/2.002 (http://www.ojr.org/ojr/world_reports/1017960056.php).

Bem-vindos ao Observatório da Imprensa.

É o maior escândalo jornalístico da era moderna e promete tornar-se ainda maior. A bolha que explodiu na semana passada está sendo alimentada há quase dez anos e não se resume à sórdida atuação do tabloide dominical, News of the World.

Ao fechar um jornal altamente lucrativo, seu dono, Rupert Murdoch, não está tentando parecer decente. Está, sim, tentando salvar os baluartes do seu império situados principalmente nos Estados Unidos e na Inglaterra.

Embora se desenrole em outro hemisfério, a milhares de quilômetros de distância, este mórbido caso com seus funestos protagonistas precisa ser acompanhado pelo cidadão brasileiro porque está em jogo a defesa de uma das instituições mais importantes para o bem-estar da humanidade: a imprensa livre.

Murdoch e seus asseclas são corsários, sequestram a privacidade para vendê-la por centavos a milhões de leitores que não sabem como estas intimidades foram devassadas. Acontece que Murdoch é o chefe de uma máfia política identificada com a extrema-direita que não se incomoda em degradar a imprensa, desde que esta degradação sirva para dar-lhe mais poder.

Se as imprensas inglesa e americana fossem efetivamente autorreguladas, os jornais de Murdoch e a Fox News não agiriam com tanta desenvoltura por tanto tempo. Se a concorrência fosse lá seriamente acompanhada, Murdoch não poderia ser dono de jornais e Tv nas mesmas cidades.

O caso Murdoch estourou na Inglaterra, já chegou aos Estados Unidos mas interessa vitalmente aos nossos jornalistas e, principalmente, aos nossos leitores e telespectadores.

É bom registrar que as mazelas de nosso jornalismo são insignificantes comparadas com as torpezas produzidas por Murdoch. Mas, se não tomarmos cuidado, podemos rapidamente chegar lá. Convém não esquecer que a imprensa amarela é uma praga mundial que aqui chama-se imprensa marrom. 

Todos os comentários

Programas Anteriores

1 2 3 4 5 última

1 de 815 programas exibidos

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem