Quarta-feira, 18 de Outubro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº962

31 DE MARÇO - UM DIA NA HISTÓRIA

Os 40 anos da ditadura

Por Alberto Dines em 30/03/2004 | Programa número 279 | comentários

Bem-vindos ao Observatório da Imprensa.

Você sabe o que significa comemorar. Co-memorar é lembrar junto. Re-memorar é lembrar novamente. Verbos afins e querem dizer que a memória não é estática, mas dinâmica. Cada retorno no tempo traz um enriquecimento, novas visões, perspectiva.


31 de março de 1964 é um dia crucial em nossa história mas a atual rememoração ou comemoração dos 40 anos do golpe que derrubou o presidente João Goulart não trouxe até o momento nenhuma contribuição significativa. Ao contrário. Quatro décadas depois, aquelas páginas negras ficaram esmaecidas e simplificadas.


Daquela tragédia que estendeu-se ao longo de 21 anos retiraram-se os antecedentes, o elenco foi reduzido, certas passagens foram aliviadas e, sobretudo, foi abandonada a pergunta que o coro costuma repetir ao longo de cada tragédia – por que, por quê? Qual a mecânica que transformou nossa tradição de quarteladas incruentas, sem crueldades, numa sucessão incrível de crueldades? E o homem cordial onde foi parar durante os 21 anos? Sobre isso não se fala.


O cidadão brasileiro hoje sabe menos sobre aquele longínquo dia na história do que o seu pai que foi testemunha ocular. Deveria ser o contrário. No jornal O Globo de hoje foi publicada uma pesquisa com 480 jovens de 15 a 21 anos realizada por uma universidade carioca. Os resultados são aterradores:


72% dos respondentes não sabiam o que aconteceu em 31 de março.


42% acertaram quando responderam que João Goulart foi deposto mas quase 35% disseram que o presidente deposto foi Jânio Quadros.


54% erraram ao indicar a principal conseqüência do AI-5.


75% erraram ao indicar o nome de um general importante do período 64-85. 35% apontaram o General Franco, ditador da Espanha, outros apontaram o General Osório. O General Golbery ficou em terceiro lugar.


Na lista de personagens torturados até a morte durante a ditadura militar, 52% apontaram corretamente Vladimir Herzog mas outros 32% escolheram Tiradentes.


Culpa de quem? Das escolas, dos professores, dos livros didáticos, das famílias ou da imprensa que não aproveitou algumas rememorações anteriores para explicar em profundidade o que aconteceu?


A verdade é que a imprensa lembra o 31 de março de forma constrangida. Explicitar a derrubada de Goulart implica em explicitar a participação desta mesma imprensa na conspiração e na auto-censura que ocorreu depois de 68. São estes constrangimentos que produzem as mágicas onde o espanholíssimo General Franco torna-se nosso vilão.


Esta edição do Observatório da Imprensa focaliza um dia na história, o dia em que tudo começou. Os restantes 7.664 dias da ditadura militar compõem os outros atos desta tragédia.


Assista ao compacto desse programa em:
www.tvebrasil.com.br/observatorio/videos.htm

Todos os comentários

Programas Anteriores

1 2 3 4 5 última

1 de 815 programas exibidos

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem