Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

MÍDIA E PRÉ-SAL

Pacto salgado

Por Alberto Dines em 23/03/2010 | Programa número 538 | comentários

Referências bibliográficas

AZEVEDO, Érika; BRITO, Maíra & LEMOS, Ana C. 2000. A articulação das linguagens da violência no Rap do Pequeno Príncipe. Recife (mimeo).

BERGER, Christa. 2002. 'Do jornalismo: toda notícia que couber, o leitor apreciar e o anunciante aprovar, a gente publica'. In: O Jornal – da forma ao sentido. 2 ed. Brasília: Editora UnB. Coleção Comunicação.

BARROS, Luiza. 2000. Ficção e realidade no documentário Ilha das Flores. Recife (mimeo).

BARROS, Luiza. 2000. Ficção e realidade no documentário Notícias de uma Guerra Particular. Recife (mimeo).

BARROS, Luiza. 2000. Ficção e realidade no documentário O Rap do Pequeno Príncipe Contra as Almas Sebosas. Recife (mimeo).

BOURDIEU, Pierre. 1997. Sobre a Televisão: seguido de A influência do jornalismo e Os Jogos Olímpicos. Jorge Zahar. Rio de Janeiro.

DE FONTCUBERTA, Mar. 1993. Da profissão: as rotinas. In: La noticia. Pistas para percibir el Mundo. Paidós, Barcelona. pp. 139-143 (tradução de Wilma Morais)

GOMES, Isaltina M.; MELO, Cristina T.; MORAIS, Wilma. 2001. Projeto Integrado de Pesquisa – Gêneros Jornalísticos em Região de Fronteira: Estudo Comparativo entre o Documentário e a Grande Reportagem. Recife, (mimeo).

GOMIS, Lorenzo. 1991. Teoria Del periodismo. Como se forma el presente. Paidós. Barcelona.

HENN, Ronaldo. 2001. Jornalismo e sistemas: novas abordagens (http://www.facom.ufba.br/Pos/gtjornalismo/textos/henn.htm)

LUCCHESI, Ivo. 2001. A informação, a velocidade e o vazio. (http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/showNews/jd270220021.htm)

MARTINS, Eduardo. 1997. Manual de Redação e Estilo de O Estado de S. Paulo. Moderna. São Paulo

MELO, Cristina Teixeira Vieira de. 2001. A construção de sentido(s) no documentário. Recife, (mimeo).

RODRIGO A., Miguel. 1989. La construcción de la noticia. Paidós Comunicación. Barcelona.

MORAIS, Wilma. 1997. El Periodismo y el arte de contar historias: Un estudio acerca de la construcción de la noticia científica. Tese de doutorado, UAB, Espanha, (mimeo), 310p.

MOTTA, Luiz Gonzaga. 2002. 'Teoria da Notícia: as relações entre o real e o simbólico'. In: O Jornal – da forma ao sentido. 2 ed. Brasília: Editora UnB. Coleção Comunicação.

MOUILLAUD, Maurice; PORTO, Sérgio (org) O Jornal: da forma ao sentido. 2 ed. Brasília: Editora UnB, 2002. 588p. Coleção Comunicação.

MUNIZ, Paula. 2001. Globo Repórter: os cineastas na televisão. (http://www.mnemocine.com.br/aruanda/paulogil1.htm)

PEREIRA JÚNIOR, Alfredo E.V. 1998. As rotinas produtivas dos editores de texto no telejornalismo:decidindo o que é notícia. (http://www.intercom.org.br/papers/xxi-ci/gt09/GT0907. PDF)

PEREIRA JÚNIOR, Alfredo E.V; MAZZAROLO, Jô. 1999. Telejornalismo: onde está o lead?

Revista Famecos, dez. Porto Alegre, n. 11, p. 57-63

TRAQUINA, Nelson. 1998. As notícias. (http://www.cecl.pt/rcl/08/rcl08-03.html)

TRÊS questões sobre documentário. Folha de São Paulo. São Paulo, mar. 2001. Caderno Mais. p.3.

TUCHMAN, G. 1983. La producción de la noticia. Estudio sobre la construcción de la realidad. G.G. Mass Media, Barcelona.

VIEIRA FILHO, Geraldo. 1991. Complexo de Clark Kent: são super-homens os jornalistas? Summus. São Paulo.

WOLF, Mauro. 1994. Teorias da Comunicação. Presença. Portugal.

Bem-vindos ao Observatório da Imprensa.

O Pré-Sal salgou o nosso pacto federativo. A república teve alguns conflitos regionais, entre estados ou entre estados e o poder central. Alguns descambaram em confrontos bélicos. Os mais conhecidos são a Guerra do Contestado, a Revolta de Juazeiro e a Revolução Constitucionalista de São Paulo, episódios fratricidas que não se comparam à sangrenta Guerra da Secessão Americana.

Nossa federação parece estável, mas na última semana os ânimos andaram muito exaltados quando o governador do estado do Rio comandou uma cruzada contra a emenda aprovada pela Câmara Federal que alterava drasticamente a distribuição de royalties pela extração do petróleo.

A tradição combativa da imprensa carioca foi despertada de repente pela perspectiva da perda de recursos para financiar a Copa do Mundo, a Olimpíada e o próprio desenvolvimento do estado. O peemedebista gaúcho Ibsen Pinheiro foi moralmente linchado e crucificado nas manchetes e ruas do Rio, embora o Espírito Santo e São Paulo também tivessem sido prejudicados pela emenda.

O povo foi às ruas sem saber exatamente o que são royalties, o que é o Pré-Sal e por que a fabulosa riqueza da camada submarina do Pré-Sal em vez de trazer a euforia nos empurrou para uma situação pré-dramática.

Todos os comentários

Programas Anteriores

1 2 3 4 5 última

1 de 815 programas exibidos

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem