Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

200 ANOS CHEGADA FAMÍLIA REAL PARTE 2

Por que o Brasil demorou tanto para ter imprensa?

Por Alberto Dines em 11/12/2007 | Programa número 446 | comentários

Bem-vindos ao Observatório da Imprensa.


Estamos na segunda etapa acompanhando a viagem da Corte Lisboeta aqui no Brasil. Estamos nesse momento aqui na Biblioteca Nacional, que é uma parte da bagagem que a Corte devia trazer de Lisboa, mas esqueceram no cais do porto. Os livros não chegaram em 1808. Chegaram em 1810. Hoje e no próximo programa nós vamos nos deter naquilo que interessa a este Observatório que é a imprensa.


A imprensa no Brasil começou com a chegada da Corte. Começou muito tarde. E por que começou? Porque a Corte precisava se comunicar com o povo. Então, foi um ato, de certa forma, arbitrário de cima pra baixo. Nos outros países, a imprensa começa do meio para cima ou se espalha pelos lados porque era uma necessidade popular de saber das coisas, de se comunicar. Aqui, não. O poder central precisava se comunicar. Então, ele cria uma imprensa capaz de multiplicar as informações a respeito de seus atos. E por que demorou tanto? Se nós considerarmos que Gutenberg – as datas são mais ou menos imprecisas – tenha preparado a Bíblia de Mainz ou de Mogúncia, considerado o primeiro livro impresso, em 1456, por que só em 1808 temos o Brasil entrando na era Gutenberg? Essa é uma pergunta chave. Embora a Corte tenha trazido um grande avanço, nós temos que parar para nos perguntar por que este avanço demorou tanto.


Assista ao compacto desse programa em:
www.tvebrasil.com.br/observatorio/videos.htm

Todos os comentários

Programas Anteriores

1 2 3 4 5 última

1 de 815 programas exibidos

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem