Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

PRIMEIRAS EDIçõES > BOM SINAL?

Multiplicam-se os críticos da mídia

Por Alberto Dines em 05/09/1996 na edição 5

Há 21 anos, em 1975, a primeira experiência brasileira de crítica da mídia ("Jornal dos Jornais", Folha de S.Paulo), foi apresentada como perigosa e seu autor punido com a inserção nas listas negras da grande imprensa. A "máquina" dos jornais considerou esse exercício de autocrítica como censura, traição do espírito de corporação, desvendamento dos segredos profissionais, etc. O regime militar forçou o fim da experiência porque incentivava a resistência à autocensura.

Hoje, a crítica da mídia é prato de subsistência da própria mídia. Não há dia em que um articulista, jornalista ou não, descarregue sua bílis sobre o desempenho da imprensa. Veja (edição de 28 de Agosto) engrossou sem timidez este batalhão de observadores da imprensa com uma rigorosa peça de Marcos Sá Corrêa (Eles Disseram:),sobre o esvaziamento do jornalismo de cidade e as suas conseqüências na desqualificação do debate das eleições municipais (tema de um fórum do Labjor na Unicamp, com o título "Onde fica a cidade nos Cadernos de Cidades?").

A nova moda de crítica à mídia é indício positivo ou negativo? A transparência chegou ao Quarto Poder ou o nível de degradação tornou-se insuportável?

Enquanto a momentosa questão não se esclarece, ficam os leitores da revista aguardando os comentários sobre a matéria de capa da mesma edição (V. acima).

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem