Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

PRIMEIRAS EDIçõES > Janeiro de 2001 (duas atualizações + edição nº 105)

A dinâmica da observação

Por lgarcia em 31/01/2001 na edição 106

AOS LEITORES


OI
SEMANAL

A partir deste número, o Observatório da Imprensa apresenta-se formalmente com a periodicidade semanal. Ao longo dos últimos 15 meses produzimos atualizações semanais nos intervalos das edições regulares, então quinzenais. Eram duas edições justapostas, permitindo que os leitores tivessem tempo para ler o material básico e o de última hora.

Quase cinco anos depois do lançamento da primeira edição do Observatório on line, adotamos ritmo e formato compatíveis com as exigências e necessidades do nosso leitorado e da sociedade brasileira. O desejo de participar no debate crucial sobre o desempenho da mídia produziu um aumento espetacular no volume das colaborações [veja abaixo]. A isto acrescente-se a própria dinâmica do debate que está convertendo a mídia – ou parte dela – em observadora da mídia; e o Observatório da Imprensa em pivô deste salutar processo de reflexão e atuação.

A periodicidade semanal da versão televisiva do OI (TVE e TV-Cultura, terças-feiras, 22h30), a imperiosa interatividade entre esta e a edição on line, e, sobretudo, o salto da nossa audiência a partir da transferência para o portal iG impuseram a mudança. A ela nos rendemos com entusiasmo. Breve, outras.

Alberto Dines, editor

Luiz Egypto, redator-chefe

Mauro Malin, consultor editorial

O Observatório da Imprensa começou a circular na internet em abril de 1996, quando essa mídia digital ainda engatinhava no Brasil. A primeira edição [veja na home page, estação Edições Anteriores] trazia apenas 3 artigos. A partir de agosto daquele ano, o OI assumiu a periodicidade quinzenal, com edições nos dias 5 e 20 de cada mês.

Em 5 de maio de 1998, foi ao ar a primeira edição da versão televisiva do OI, configurando-se num caso único de publicação nascida na internet converter-se em veículo de massas. Em outubro de 1999, as edições quinzenais passaram a ser atualizadas uma semana após sua entrada na rede – a rigor, já naquela momento o OI tornava-se semanal.

O que se faz agora é substituir os dias fixos do calendário de circulação (5, 12, 20 e 27) pela eleição de um dia da semana – quarta-feira – para a renovação das edições. Isto se justifica também pelo aumento do volume de colaborações e cartas acolhidas pelo OI.

Tomando-se o comparativo das edições de 20 de janeiro, em geral menores devida à época de férias, a evolução dos últimos anos da massa editorial e do número de colaboradores foi a seguinte:

20 de janeiro de 1997 (edição nº 14)

10 matérias # 3 colaboradores # 7 cartas

20 de janeiro de 1998 (edição nº 37)

14 matérias # 4 colaboradores # 23 cartas

20 de janeiro de 1999 (edição nº 60)

31 matérias # 16 colaboradores # 36 cartas

20 de janeiro de 2000 (edição nº 82)

60 matérias # 25 colaboradores # 29 cartas

Janeiro de 2001 (duas atualizações + edição nº 105)

75 matérias # 44 colaboradores # 51 cartas

Nesses números não estão computadas as matérias publicadas na rubrica Aspas. De todo modo, é fácil constatar o significativo aumento das manifestações acolhidas pelo Observatório da Imprensa na forma de artigos e de cartas à redação.

Ao estabelecer a controvérsia em torno do desempenho da mídia e seu papel na sociedade, o OI cumpre o objetivo de converter o leitor-ouvinte-telespectador num cidadão mais exigente. Acompanhando o Observatório da Imprensa on line às quartas-feiras, e às terças na TV, você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito. (
A.D., L.E., M.M.
)

Volta ao índice


Mande-nos seu comentário

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem