Segunda-feira, 16 de Setembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1054
Menu

PRIMEIRAS EDIçõES >

A editora de Saddam Hussein

Por lgarcia em 05/03/2003 na edição 214

HACHETTE FILIPACCHI

A editora Hachette Filipacchi, que publica títulos como Elle e Car & Driver, corre o risco de sofrer boicote do público americano porque uma fatia de US$ 90 milhões da empresa pertence ao ditador iraquiano Saddam Hussein. Como se não bastasse, a Hachette é controlada pelo grupo francês Lagardere, outro fator de antipatia nos EUA, já que a França se opõe à guerra de George W. Bush no Iraque.

Os 2% de ações que Saddam tem na Lagardere, por meio da Montana Management, empresa sediada na Suíça, foram descobertos em 1990, quando o Iraque invadiu o Kuwait. À época, a companhia francesa prometeu que compraria as ações do ditador iraquiano, mas, para surpresa geral, descobriu-se agora que elas continuam com seu antigo dono. No momento, como uma das sanções contra o Iraque, as ações estão congeladas pela ONU e pelos governos dos países envolvidos.

O Iraque não tem representante no quadro de diretores da Hachette, o que significa que não tem qualquer influência na empresa. Contudo, o fato de ser um dos sócios é ruim para os negócios da editora. Quando o programa de TV 60 Minutes denunciou que Saddam detinha as ações, a companhia teve de lançar uma estratégia para manter seus maiores patrocinadores e evitar a perda de assinantes. Com informações de Richard Johnson, do New York Post (27/2/03).

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem