Terça-feira, 25 de Junho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1042
Menu

PRIMEIRAS EDIçõES >

A hora da reportagem policial

Por lgarcia em 06/02/2002 na edição 158

NOTÍCIAS DE UM SEQÜESTRO

Alberto Dines

Se o combate ao crime e à violência deve ter uma grande participação da sociedade supõe-se que a cobertura dos crimes e da violência deva merecer grande atenção, espaço e investimentos.

Não se faz jornalismo policial de qualidade na base de estagiários. O repórter de polícia ? como em qualquer outra editoria ? precisa cultivar fontes, estudar problemas e ter gosto pelo assunto. Sobretudo, não pode ser trocado numa doida rotatividade.

Até o início dos anos 80, os grandes jornais brasileiros ainda dispensavam grande atenção à editoria (ou subeditoria) de polícia. E justamente a partir do momento em que cresceu a violência urbana observa-se uma ostensiva diminuição e burocratização da cobertura policial.

Pode não haver relação de causa e efeito entre os dois fatos. Mas nada acontece por acaso.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem