Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº974

PRIMEIRAS EDIçõES > TELETIPO

Acesso à informação

Por lgarcia em 02/10/2002 na edição 192

TELETIPO

Em conferência organizada pela Freedom of Information Foundation of Texas, editores de jornais declararam estar preocupados com as tentativas de restringir o acesso à informação devido à guerra contra o terrorismo. O USA Patriot Act, aprovado pelo Congresso semanas após os atentados, encorajou burocratas a negarem acesso a documentos públicos pedidos com base na lei de liberdade de informação. Segundo a AP [20/9/02], Doug Clifton, editor do Plain Dealer, denunciou a "erosão fundamental de coisas que estimamos em nosso país". Tony Pederson, editor executivo do Houston Chronicle, afirmou que o governo deve garantir a segurança do país, mas precisa lembrar que "existe uma história de mais de 200 anos de direitos que consideramos absolutamente sagrados".

Um tribunal federal de apelações renovou a batalha legal sobre o vídeo de Reginald Denny sendo espancado por grevistas na cidade de Los Angeles, em abril de 1992. O Los Angeles News Service poderá processar a CBS por violação de direitos autorais por ter distribuído partes do vídeo sem o consentimento da agência independente. Informa a AP [16/9/02] que, numa ação separada, a corte rejeitou o processo movido contra a Court TV, que usou trechos do vídeo para anunciar o julgamento dos agressores de Denny. Para o tribunal, a emissora fez "uso justo" da filmagem e não comprometeu a venda do produto.

O governo cubano permitirá que restauradores americanos tenham acesso a documentos de Ernest Hemingway guardados no porão de sua casa. A coleção de três mil cartas, três mil fotografias e nove mil livros estava apodrecendo na casa em que o escritor morou por 21 anos até cometer suicídio, em 1961. Até então, o governo impedia que acadêmicos cubanos ou estrangeiros vissem os documentos, temendo que fossem levados da ilha. Com o acordo, os originais permanecerão em Cuba, mas o material será reparado, preservado e microfilmado. Segundo Kate Zernike [New York Times, 21/9/02], a coleção eletrônica ficará na John Fitzgerald Kennedy Library and Museum em Boston.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem