Sábado, 23 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

PRIMEIRAS EDIçõES > FARSA DA FITA

Adriana Vasconcelos e

Por lgarcia em 22/08/2001 na edição 135

FARSA DA FITA

"A confirmação de que é falsa a fita em que o deputado estadual Mario Frota estaria cobrando propina, em nome do senador Jader Barbalho (PMDB-PA), para liberação de verba da extinta Sudam pode levar à abertura de uma nova investigação. Desta vez na Câmara.

O líder do PT, deputado Walter Pinheiro (BA), pretende apurar se o deputado Pauderney Avelino (PFL-AM) foi mesmo responsável pela farsa, como denunciou Nivaldo Marinho, ex-assessor de Frota.

? A Câmara tem de requisitar o depoimento e todo o material. Se for confirmado o envolvimento do deputado Pauderney, vamos abrir processo ? disse Pinheiro.

O senador Jefferson Peres (PDT-AM) disse que o Conselho de Ética do Senado deveria pedir uma cópia do depoimento de Marinho à Polícia Federal para tentar identificar os responsáveis pela fraude. Ele considera tudo muito grave.

? O fato de Pauderney estar envolvido é muito grave. Trata-se de uma armação sórdida que pode caracterizar uma tremenda quebra de decoro ? disse Peres.

Pauderney Avelino admitiu que no início do ano se encontrou com Nivaldo Marinho, durante um cooper. Na conversa, o ex-assessor de Mario Frota teria lhe contado que tinha uma fita denunciando o esquema de propina na extinta Sudam.

? Não levei a história adiante, mas conversei sobre o assunto com o secretário de Fazenda do governador Amazonino Mendes, João Coelho Braga. Para mim tudo acabou ali. Não induzi ninguém à fraude ? disse Pauderney.

O presidente licenciado do Conselho de Ética, Gilberto Mestrinho (PMDB-AM), reagiu indignado às suspeitas de que também sabia que a fita era uma fraude e que, por isso mesmo, teria afirmado que a considerava a mais grave denúncia contra seu amigo Jader:

? É uma indignidade querer envolver o meu nome nesse assunto. Os envolvidos são outros. Foi uma armadilha.

Para o presidente interino do Senado, Edison Lobão (PFL-MA), as investigações do Conselho de Ética sobre Jader não serão prejudicadas com a comprovação da falsidade da fita, embora admita que num todo as acusações tenham sido enfraquecidas. Ele não descartou também a possibilidade de a Procuradoria do Senado ser usada por Jader para processar os fraudadores da fita.

O laudo que atestou a falsidade da fita foi entregue ontem pelo perito Ricardo Molina ao senador Romeu Tuma (PFL-SP), um dos três integrantes da comissão do Conselho de Ética do Senado que investiga Jader.

? Isso, agora, é caso de polícia ? disse Tuma.

O senador descartou a possibilidade de Jader ter participado da armação com o objetivo de desqualificar outras denúncias de que é alvo.

A análise aponta fortes indícios de que a voz seja de Nivaldo Marinho. A perícia mostra ainda que a gravação não foi feita na casa de Mario Frota, como havia alegado Marinho, já que ficou provado que os cães que latem na gravação não são os do deputado. Outra falha: na gravação ouve-se o barulho de uma porta batendo. Isso seria impossível de acontecer na casa de Frota, onde as portas são de correr."

"Começou logo cedo, ao se registrar a ?comemoração? de Jader Barbalho diante da ?acusação falsa? de que cobrava propina para liberar verbas da Sudam.

Continuou com o discurso de Jader em plenário, ou melhor, na TV Senado -sem apartes, estranhamente.

Um senador peemedebista reagiu dizendo que o colega ?foi tranquilo, firme? e ?marcou pontos?. Em suma:

? Houve, após o pronunciamento, com toda certeza, um certo alívio.

Outro peemedebista, Pedro Simon, foi além:

? O depoimento foi convincente. Ele abordou as acusações e teve respostas.

A petista Heloísa Helena também conseguiu elogiar:

? Ele organizou, de forma competente do ponto de vista da metodologia do discurso, o que já vinha dizendo.

Até Jefferson Perez, muito atacado por Jader, foi contido no comentário:

? Não posso dizer, em sã consciência, se o que ele disse é convincente ou não.

Quem visse os canais de notícias e telejornais teria a impressão de que Jader está escapando do ?inferno?, para usar uma expressão da Globo.

***

FHC não pára de falar. Ontem, discursou por cerca de meia hora, no que pareceu um pronunciamento sobre ?o estado da União?.

Seu alvo, como vem ocorrendo desde a cerimônia de aniversário do Plano Real, foi a oposição, vale dizer, a candidatura Lula. Um trecho:

? Evidentemente, falta fazer muita coisa no Brasil, mas a verdade é que o Brasil avançou. E nós temos que ver não apenas o passado, mas começar a olhar com mais força para o futuro. Nós não podemos imaginar nesse futuro soluções ilusórias ou impossíveis.

Falava, de forma enviesada, da eleição de 2002.

Fora o discurso, desde segunda-feira FHC vem surgindo no noticiário de televisão, Jornal Nacional à frente, em meio a inaugurações de obras e eventos semelhantes nas áreas de energia, telecomunicações e habitação popular.

Está em campanha, ainda que nem candidato tenha.

***

A sofreguidão eleitoral de FHC e tucanos levou a Globo a mudar de atitude.

Do nada, lá estava Ciro Gomes ontem no JN, questionando o acordo com o FMI. E lá estava Aloizio Mercadante respondente, por Lula, aos ataques de Pedro Malan.
FHC já não fala sozinho, na campanha para 2002."

    
    
                     

Mande-nos seu comentário

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem