Quarta-feira, 17 de Outubro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1009
Menu

PRIMEIRAS EDIçõES >

Alvaro Machado

Por lgarcia em 05/03/2000 na edição 85


“Sinopses ‘escondem’ cenas fortes”, copyright Folha de S.Paulo, 18/2/00

“Até que se contratem novos funcionários, como anunciou recentemente o Ministério da Justiça, os julgamentos do Departamento de Classificação Indicativa (Declas) continuam a ser feitos, na maioria dos casos, através de sinopses detalhadas. Elas podem ter até cinco páginas ou mais, porém ‘muitas vezes escondem as cenas de violência, sexo e drogas’, conforme admite a coordenadora do Declas, Myrna Fraga.

‘Se o produtor achar que não está certo, pode entrar com recurso, para ganhar ou perder’, lembra Fraga, que tem utilizado ‘critérios mais severos’ nas indicações de faixa etária para cinemas e para os horários de exibição nas TVs. O recurso não funcionou no caso de ‘A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça’, classificado para 18 anos.

Nas últimas semanas, num shopping de São Paulo, adolescentes barrados à porta de ‘Cavaleiro’ compravam ingresso para a sala ao lado, para ver ‘O Colecionador de Ossos’, classificado para 14 anos no Brasil, mas nos EUA para maiores de 17, por causa de ‘fortes cenas de violência, incluindo imagens horríveis’. No Brasil, também ganhou 14 anos o filme de guerra ‘Três Reis’, ‘‘produção politicamente incorreta que toca na questão de como os Estados Unidos tentam policiar o mundo inteiro’, segundo seu astro, George Clooney. O filme inclui cenas de soldados explodindo uma vaca.

Para Fraga, a escalada da violência no país demanda preocupação. ‘Em termos de sexo não é tanto. O pior é o sangue e a violência’, afirma a coordenadora. (AM)”

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem