Quinta-feira, 21 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

PRIMEIRAS EDIçõES > VASCO vs GLOBO

Arnaldo Comin

Por lgarcia em 31/01/2001 na edição 106

QUALIDADE NA TV

VASCO vs GLOBO

"Vasco usa SBT para provocar Rede Globo", copyright O Estado de S. Paulo, 19/01/01

"O Vasco usou a logomarca do SBT no uniforme, ontem, à revelia da emissora. ‘Conheço o Silvio Santos há muito tempo e queria prestar homenagem a ele’, disse, sorrindo, o presidente Antonio Soares Calçada. A atitude seria uma provocação à Rede Globo, acusada pelo vice-presidente do Vasco, Eurico Miranda, de ter forçado o encerramento do jogo do dia 30, em São Januário, para transmissão da novela Uga Uga. A Assessoria de Imprensa do SBT confirmou que a emissora não tinha conhecimento prévio do uso de sua logomarca e informou que o caso será encaminhado ao Departamento Jurídico da empresa."

"Ok, você venceu… por enquanto…", copyright Jornal da Tarde, 19/01/01

"Com exceção dos torcedores do Vasco – e provavelmente de seus familiares -, ninguém nunca gostou muito de Eurico Miranda, cartola e deputado federal. Mas nos últimos tempos a coisa ficou feia e o presidente eleito do clube carioca se tornou uma das figuras mais odiadas do País, por sua incontrolável arrogância, pela truculência desmedida e por seu modo de agir sem limites. Mas ontem ele venceu.

E Eurico não ganhou apenas o jogo, que garantiu ao Vasco – legalmente – o direito de se apossar da Copa João Havelange. Obrigou a poderosa Globo a alterar o foco de suas câmeras por causa de uma manobra feita exclusivamente para irritar a emissora do Jardim Botânico, contra a qual Miranda tem batido de frente não é de hoje. Simplesmente colocou na camisa do Vasco o logotipo do SBT, mostrado ao vivo pela própria Globo para todo o Brasil. Uma jogada de craque.

Mas fora de campo, a vida de Eurico Miranda não anda tão mansa. E, como que para mostrar que nem tudo são flores para quem desafia a tudo e a todos, no dia em que seu time foi campeão brasileiro o parlamentar carioca do PPB teve uma péssima notícia: o vice-presidente da CPI da CBF/Nike, deputado Pedro Celso (PT-DF), apresentou ontem o pedido de cassação de seu mandato do deputado, por quebra de decoro parlamentar, por ‘sonegação cambial e evasão de divisas’.

Agora, Eurico vai ter de explicar a seus colegas da CPI da CBF/Nike o fato de ter negociado no mercado paralelo de dólares o cheque de US$ 110 mil emitido em favor de seu clube.

De acordo com o presidente da Comissão, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), serão cobrados esclarecimentos de Eurico na próxima reunião, marcada para o próximo dia 30. Mas antes disso, o deputado Pedro Celso decidiu apresentar à Mesa Diretora da Câmara um requerimento pedindo a cassação do mandato do dirigente do Vasco, por quebra de decoro parlamentar.

Segundo ele, o estudo feito por assessores jurídicos daquela Casa qualificam dessa forma o fato de um parlamentar praticar evasão de divisas e sonegação, o que teria ocorrido na negociação feita com o cheque.

Já o deputado Geraldo Magela (PT-DF) vai insistir para que a Comissão examine o requerimento em que ele pede a saída de Eurico das apurações da CPI, da qual continua integrante.

Convite para sair Sua alegação é a de que é impossível ‘a quem quer que seja ser ao mesmo tempo o investigador e o investigado’. Ao saber que Eurico também pediu a sua saída da CPI, Magela disse que se prontificará a atendê-lo, desde que os dois se retirem ao mesmo tempo. ‘Eu faria isso por livre e espontânea vontade, se não estivesse convencido de que se trata de mais uma bravata dele’, disse o parlamentar.

Para o deputado, há motivos mais do que suficientes para o corregedor-geral da Câmara, Severino Cavalcanti (PPB-PE) instaure um processo por falta de decoro parlamentar. Mas Cavalcanti informou que só vai agir se for acionado pelo presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP).

Qualquer que seja a iniciativa, porém, é certo que somente terá andamento depois do dia 15 de fevereiro, quando o Congresso retomará suas atividades.

O trabalho que se iniciará no dia 29 ficará limitado às matérias previstas na pauta de convocação extraordinária.

O relator da CPI do Senado, Geraldo Althoff (PFL-SC), disse que o fato comprova os argumentos citados na criação da comissão, que entre outros tipos de irregularidades se propôs a apurar sonegação fiscal e evasão de divisas relacionadas ao futebol brasileiro. É ainda, na opinião deAlthoff, um reforço a mais junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) quanto à necessidade das CPIs terem acesso a informações sigilosas para trabalhar.

O senador confirmou que a Comissão recebeu a cópia do cheque de US$ 110 mil ‘de terceiros’. O próximo passo é conferir se o valor do cheque convertido em reais consta na contabilidade do Vasco. Eurico Miranda disse que sim. Mas Althoff está convencido de que somente uma apuração detalhada nos documentos recebidos pela CPI é que vai dizer realmente o que ocorreu."

"E o SBT foi parar na telinha da Globo", copyright Jornal da Tarde, 19/01/01

"Quem ganhou com a briga entre o deputado-dirigente Eurico Miranda e a Rede Globo de Televisão foi o SBT. Ontem, na final da Copa João Havelange, o Vasco da Gama entrou em campo com o emblema do SBT na camisa. ‘Foi uma homenagem ao Sílvio Santos’, justificou o presidente cruzmaltino, Antonio Soares Calçada. O SBT não gastou um só centavo com a promoção inesperada. O jogo teve audiência média de 35 pontos em São Paulo (cerca de 2,8 milhões de pessoas), com pico de 41 pontos, considerada excelente para o horário em um dia de semana.

‘Nosso Departamento Jurídico está estudando e avaliando o caso. Só tomamos conhecimento disso quando o jogo começou’, disse Ana Teresa Salles, diretora de comunicações do SBT, surpresa com a ‘homenagem’.

Segundo um dirigente de um grande clube de futebol paulistano, o custo de um patrocinador para colocar seu emblema na camisa de um time grande, em uma final de campeonato, seria, no mínimo, de US$ 500 mil. Algumas empresas especializadas em mídia poderão avaliar o retorno que o SBT conseguiu com as imagens exclusivas Globo.

O Sistema Brasileiro de Televisão, atualmente, não tem Departamento de Esportes e não transmite futebol.

‘Não tivemos a intenção de provocar ninguém. Conheço o Sílvio Santos há mais de 30 anos e estava devendo uma homenagem para ele e o SBT. Como o Vasco está sem patrocínio, achamos que era um bom momento para fazer isso’, explicou Antonio Soares Calçada. O dirigente, entretanto, admitiu que só ficou sabendo minutos antes do jogo. A estratégia de colocar o time em campo com o logotipo do SBT foi de Eurico Miranda.

Retaliação? As desavenças entre Eurico e a Globo surgiram na fatídica partida entre Vasco da Gama e São Caetano, em 30 de dezembro, em São Januário.

Depois da queda do alambrado, em um determinado momento, a emissora passou a criticar violentamente a tentativa de se reiniciar a partida.

Para o advogado catarinense Marcílio Krieger, especializado em direito desportivo, o Vasco da Gama poderia ser multado porque adulterou o uniforme sem prévia comunicação à organização da Copa João Havelange – Clube dos 13/CBF -, ferindo o artigo 241 do Código Brasileiro Disciplinar do Futebol (CBDF)."

Volta ao índice

Qualidade na TV – próximo texto

Qualidade na TV – texto anterior

Mande-nos seu comentário

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem