Quinta-feira, 25 de Abril de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1034
Menu

PRIMEIRAS EDIçõES >

Cocaína com bula, metralhadora com porte

Por lgarcia em 20/11/1999 na edição 79

Alucinações do atirador, no limite entre fantasia e realidade, ao assumir a personalidade do personagem do videogame, um caso extremo de mau uso do RPG (role playing game), vivendo num quarto mundo (fora da tridimensionalidade do universo real). Isso foi tema do filme, baseado em história real, Almas gêmeas (Heavenly Creatures, 1994, Nova Zelândia, 98 min), direção de Peter Jackson.

Polícia e mídia já montaram a versão oficial de uma pessoa desequilibrada que agiu com premeditação. A explicação do que ocorreu deve ser buscada no conjunto de fatores de representação de como a sociedade se vê e como interage com a mídia. Não estar na mídia é não ser realidade. Viver fora da mídia é ser ficção. Atirar na platéia, infelizmente, é querer mostrar que se está vivo, que se quer sair da ficção para a realidade.

Luiz Roberto Da Costa Jr.

 

LEIA TAMBEM

A chacina do cinema, primeiras avaliações

No começo era o cinema

O foco é outro

Até o assassino sabe

Kurosawa e o precipício

O que vem primeiro?

A sociedade tem que agir

Última Hora – 13/11/99

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem