Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

PRIMEIRAS EDIçõES > VIOLÊNCIA CONTRA JORNALISTAS

Colunista foge de deportação na Zâmbia

Por lgarcia em 13/01/2004 na edição 259

VIOLÊNCIA CONTRA JORNALISTAS

A Justiça pediu às autoridades que não deportem Roy Clarke, colunista satírico britânico, até que seja apresentado um recurso, segundo seu advogado. Clarke escreveu, na semana retrasada, sátira em que comparava o presidente Levy Mwanawasa a um "elefante tolo" e dois ministros a "babuínos". O ministro da Casa Civil deu ao jornalista 24 horas para sair do país.

Clarke, que é casado com uma ativista zambiana dos direitos das mulheres e tem visto de residência permanente, se disse surpreso quando leu a decisão num jornal e teve de se esconder da polícia até que a questão seja resolvida nos tribunais.

O artigo, publicado no jornal The Post, baseava-se no clássico A Revolução dos Bichos, de George Orwell. De acordo com informações da BBC [6/1/03], Clarke comparou os líderes da Zâmbia a animais após Mwanawasa ter visitado um parque de jogos. O secretário da Casa Civil, Peter Mumba, disse que o Estado ainda não recebeu nenhum mandato judicial e, portanto, continuava tentando deportar o colunista.

Fred Mmembe, publisher do Post que já teve muitos conflitos com o governo, disse que assume a responsabilidade pelo artigo. "Sou responsável pela coluna de Roy. Eu a publiquei, não Roy. Venham me deportar", disse Mmembe.

A polícia chinesa invadiu a redação do Southern Metropolis Daily, um dos jornais mais críticos da China, após ter noticiado o novo caso da Síndrome Respiratória Aguda-Grave (Sars). O editor-chefe, Cheng Yizhong, e seis executivos foram detidos.

O jornal foi o primeiro a noticiar a volta da Sars na cidade de Guangjou, onde o diário tem sua matriz. A investigação encabeçada pelo Southern Metropolis Daily, em dezembro de 2003, levou autoridades a confirmarem a suspeita do primeiro caso desde que a epidemia havia sido erradicada, no meio do ano passado.

A invasão da polícia ocorreu no dia 6/1. Os detidos foram interrogados sob suspeita de crimes financeiros. Yizhong foi solto na manhã de 7/1. Jornalistas disseram a Joseph Kahn [The New York Times, 8/1/04] que o esforço em silenciar reportagens agressivas do Southern Metropolis Daily podem ser parte de uma repressão mais ampla contra a imprensa chinesa.

O Southern Metropolis Daily ganhou reputação nacional pelas reportagens corajosas e afiadas sobre a morte por espancamento do universitário Sun Zhigang quando estava sob custódia de policiais. Um julgamento do caso revelou amplo abuso da polícia, mas também pôs o jornal em terreno minado politicamente, disseram os repórteres.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem