Domingo, 20 de Agosto de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº954

PRIMEIRAS EDIçõES > ARQUIVO DE NOTÍCIAS

Com usar scanner com rapidez e qualidade

Por lgarcia em 07/10/2003 na edição 245

ARQUIVO DE NOTÍCIAS
(*)

Paulo Rebêlo (**)

Reportagem auxiliada por computador ? parte 5

No capítulo anterior [remissões abaixo], pudemos ver uma série de dicas técnicas e sugestões sobre como digitalizar conteúdo do papel, para que você incremente ainda mais o seu arquivo pessoal de notícias. Agora, as dicas finais sobre o tema.

Digitalizar em colorido ou preto e branco? Nenhum dos dois. A melhor relação tempo/produtividade é usar tons de cinza, o chamado grayscale.

Outra: nunca use a opção de digitalizar em "modo texto", mas escolha sempre o modo imagem, mesmo que você vá digitalizar apenas texto. O modo texto é indicado para reconhecimento de caracteres (OCR), ou seja, aquele recurso de digitalizar um texto e editá-lo diretamente no Word.

O tal do OCR pode funcionar para muita gente, mas para mim nunca funcionou direito. Sempre é preciso perder um precioso tempo editando o texto final no Word, pois o software de reconhecimento de caracteres nunca consegue reconhecer 100%. E isso em inglês. No caso de textos em português, a situação fica ainda pior.

Ao digitalizar como imagem, você não poderá editar o texto no Word, mas poderá ler de forma bem mais objetiva e rápida. A reprodução digitalizada será fiel ao papel.

DPI

Você precisa escolher a resolução para escanear, o tal DPI que aparece no programa do scanner. O ideal é sempre adotar 100 ou, no máximo, 150 DPI. Quanto maior for o DPI, mais qualidade terá a imagem final, só que maior será o arquivo gerado pelo programa e mais tempo levará para digitalizar.

Se você pretende imprimir a sua base de dados digitalizada com certa freqüência, opte por 200 DPI. Se for imprimir só de vez em quando, 100 DPI é suficiente. Lembre-se: estamos tratando de documentos, principalmente textos. A idéia não é digitalizar para trabalhar as figuras e fotografias, mas sim para consultar o texto, de forma legível, quando necessário.

Ao salvar em imagem, você nunca poderá selecionar com o mouse o texto da matéria, copiar e colar no Word. É o preço que se paga.

Formatos e programas

Na hora de gravar (salvar) o documento digitalizado, é preciso escolher o formato de arquivo a ser salvo. Você pode salvar em GIF (mais qualidade, mais espaço), em JPG (um pouco menos qualidade, ocupa menos espaço) ou qualquer outro formato de sua preferência.

Escolha JPG. É um formato padronizado, universal, todo mundo conhece e todo computador pode ler sem a necessidade de instalar um programa à parte. A compressão desse formato não é suficiente para perceber perda de qualidade a olho nu. A não ser que você altere as configurações, o que não é o caso agora.

GIF e JPG também são mais fáceis de editar ? fazer recortes e colagens ? em programas como Paint Shop Pro, Corel Draw etc. O Paint Shop Pro é uma boa opção, pois é relativamente leve e possui todos os recursos necessários para manter um arquivo pessoal.

Lembre-se que também há a possibilidade de salvar em PDF. É preciso ter a versão completa do Acrobat. A vantagem de salvar em PDF é que, depois, dentro do próprio Acrobat dá para fazer um índice com todos seus PDFs.

No entanto, perceba que mesmo em PDF não será possível copiar-e-colar textos, pois os documentos também serão salvos como imagem. Essa interface entre imagem e modo texto quem faz é o scanner, e não o programa. O Acrobat irá apenas converter em PDF. Caso você opte pelo PDF, é prudente digitalizar em 150 DPI em vez de 100.

(*) Material da base de dados da Abraji (
www.abraji.org.br
)

(*** Jornalista no Recife (
www.rebelo.org
)

Leia também

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem