Sábado, 25 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

PRIMEIRAS EDIçõES > JORNAL SEM FRONTEIRAS

Comentarista se demite após investigação

Por lgarcia em 27/01/2004 na edição 261

BOLSA DE VALORES

O comentarista do MarketWatch.com Thom Calandra pediu demissão na última semana por causa de uma investigação interna sobre suas atividades na bolsa de valores. A investigação foi iniciada no fim do ano passado por uma suspeita daSecurities and Exchange Commission (SEC, a CVM americana), que enviou uma carta ao comentarista solicitando registros de suas negociações de ações, cópias de suas newsletters e de e-mails de alerta que enviava a seus assinantes.

MarketWatch.com começou sua investigação interna no dia seguinte. A SEC costuma investigar registros de editores de newsletters para saber se eles investem em ações de companhias sobre as quais escrevem. O MarketWatch.com afirmou que também recebeu uma carta da agência pedindo uma cópia de sua política que regulamenta a ação de seus jornalistas. Segundo esta política, os jornalistas são proibidos de comprar ou vender ações de qualquer companhia se eles souberem que qualquer notícia sobre esta companhia será publicada. Eles também não podem negociar ações desta companhia por 48 horas após a publicação da matéria.

Em sua defesa, o MarketWatch.com afirma que mandou Calandra interromper seus
negócios pessoais depois que ele recebeu a carta da SEC. A saída
do comentarista acontece num momento de aumento da regulação das
atividades de jornalistas que cobrem o mercado. Outras empresas de comunicação
começaram a tomar precauções, algumas delas chegando até
a proibir seus jornalistas de negociar qualquer tipo de ação.
Calandra mantinha a newsletter The Calandra Report há nove meses.
Em 2000, ele havia trabalhado em Londres numa joint venture do MarketWatch.com
com The Financial Times. Em 2001, Calandra retornou a São Francisco
para ser comentarista-chefe do MarketWatch da CBS. No ano passado, foi lançada
a newsletter, em que Calandra reunia notícias sobre o mercado e recomendações
para os leitores.[CBS MarketWatch, 22/01/04].

 

JORNAL SEM FRONTEIRAS

A Dow Jones & Co. Inc. afirmou na última semana que estaria prestes a lançar uma edição regional do Wall Street Journal na Índia, em uma joint venture com o Bennett Coleman & Co. Ltd., que já publica o jornal Times of India. A Dow Jones, baseada em Nova Iorque, irá possuir uma parcela de 26 por cento no negócio, respeitando os limites da nova regulação de concentração estrangeira de mídia da Índia. O Bennett Coleman, que também publica o Economic Times na Índia, ficará com o resto das ações. A edição indiana do Wall Street, que deverá ser lançada ainda este ano, será a quarta publicação internacional do jornal, que já possui uma circulação de mais de 2 milhões de exemplares. A Dow Jones também publica o Asian Wall Street Journal, e tem versões na Europa e América Latina. As edições internacionais do Wall Street Journal têm como público alvo leitores locais de economia e negócios e viajantes internacionais, e inclui também conteúdo da edição principal dos Estados Unidos. [Reuters, 22/01/04]

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem