Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1024
Menu

PRIMEIRAS EDIçõES >

Comissão de Ética revoga punição a jornalistas do governo gaúcho

Por lgarcia em 03/04/2002 na edição 166

FENAJ

José Silva (*)

A Comissão Nacional de Ética da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), julgando recurso interposto pelos jornalistas Guaracy Cunha e Denise Mantovani, revogou ? em reunião do dia 24 de março em Salvador, Bahia ? a penalidade de "Advertência" aos dois jornalistas, imposta no ano passado pela Comissão de Ética do Sindicato dos Jornalistas/RS. Para a Comissão Nacional, não procedem as acusações que haviam sido feitas a Guaracy (chefe da Assessoria de Imprensa do governo do estado) e a Denise (coordenadora de Jornalismo da mesma Assessoria) por Luis Milman.

Como se recorda, Milman interpôs uma representação contra os dois profissionais do governo do estado, alegando que ambos teriam tentado censurar ou bloquear seu trabalho de repórter, em matéria que assinou na revista IstoÉ, referente a denúncias por suposto envolvimento do governo gaúcho com o jogo clandestino, no âmbito da CPI da Segurança. Na realidade, em contato que fez com um editor de IstoÉ (que também assinou a matéria), Denise Mantovani alertou sobre os riscos de que a matéria "perdesse o obrigatório cunho de imparcialidade, haja vista o envolvimento pessoal de um dos autores com o assunto".

Na ocasião, o jornalista Luis Milman, que é um dos dirigentes do Movimento de Justiça e Direitos Humanos/RS (MJDH), foi co-autor da denúncia ? assinada pelo presidente do mesmo MJDH junto à CPI ?, e participou de debates em veículos de imprensa, atacando o governo estadual. Apesar de todo o envolvimento pessoal, elaborou reportagem sobre o assunto para IstoÉ.

Examinando a documentação enviada à Fenaj, em caráter de recurso, em outubro de 2001, por Denise e Guaracy, a Comissão Nacional de Ética verificou, "já de antemão, existir dupla atuação de Milman, como fonte da mídia e da CPI, como co-autor das denúncias e, simultaneamente, subescritor de matéria, atividades que, exercidas simultaneamente, tornam-se condenáveis à luz dos princípios morais da profissão jornalística".

Em sua decisão, a Comissão Nacional de Ética também deixou claro que "o procedimento de Denise Mantovani (com a concordância de Cunha) não configura acordo com a tentativa de obstruir a divulgação de informações, mas com procedimentos e princípios, os quais são base na apuração jornalística, quais sejam, os da isenção e da busca do contraditório".

Agora, além da revogação da punição que havia imposto a Guaracy e Denise, a Comissão de Ética do Sindicato dos Jornalistas/RS deverá examinar a conduta profissional do próprio Luis Milman no episódio ? reivindicação assinada por 27 jornalistas gaúchos, em setembro do ano passado, e que até o momento ainda não foi atendida ou respondida pela Comissão de Ética do Sindicato.

(*) E-mail: jose.silva@piratini.rs.gov.br

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem