Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

PRIMEIRAS EDIçõES > GZM EM CRISE

Comunique-se

Por lgarcia em 05/02/2003 na edição 210

GZM EM CRISE

“GZM demite 15, inclusive Paulo Totti”, copyright Comunique-se, 31/1/03

“A direção da Gazeta Mercantil demitiu nesta sexta-feira (31/01) 15 jornalistas, entre editores e repórteres, inclusive o editor-executivo Paulo Totti que, ao deixar a redação, foi aplaudido de pé por mais de um minuto. Muitos choraram, num clima de comoção. A informação ainda não está confirmada, mas todos os demitidos fariam parte da Associação dos Empregados e Fornecedores da Gazeta Mercantil.

No momentro em que soube da demissão de Totti, a redação parou de trabalhar. Vários grupos se formaram e os jornalistas fizeram mini-assembléias para decidir o que fazer. Fonte da redação disse a Comunique-se que alguns editores foram chamados à sala de Luiz Fernando Levy, que lhes entregaria o comando do jornal. Comenta-se também que o controlador do grupo teria prometido resolver a situação do jornal até a semana que vem e que jornalistas com determinadas faixas de salários receberiam os atrasados de dezembro ainda nesta sexta-feira.

Em entrevista a Comunique-se, Totti disse que a Associação dos Empregados e Fornecedores da Gazeta Mercantil vai se reunir neste sábado (01/02) para decidir quais medidas serão adotadas para defender os colegas demitidos e como vai ficar a situação dos que continuam na redação. ?Além disso, eles vão discutir sobre os salários que não foram pagos aos profissionais?, disse o jornalista.

Ainda segundo Totti, o jornal orientou o diretor-editorial Roberto Müller e o editor-chefe Matías Molina a cumprirem férias atrasadas. Os jornalistas da GZM receberam o jornal desta quinta-feira (30/01), editado por Levy, encartado na edição desta sexta.

Por volta das 18h30 desta sexta-feira, a direção da GZM distribuiu uma nota oficial. Leia na íntegra:

?COMUNICADO

A Gazeta Mercantil comunica que:

O jornalista Luis Recena assume, hoje, a Diretoria de Redação da Gazeta Mercantil. Ao contrário do que está sendo noticiado, os jornalistas Roberto Müller e Matías Molina foram deslocados para novas funções. Tais decisões, aliadas a outras mudanças no corpo da redação, referem-se a ações previstas no plano de reestruturação da empresa.

A Direção?”

“?Gazeta? circula, mas só diretores trabalharam”, copyright Folha de S.Paulo, 31/1/03

“A edição de ontem da ?Gazeta Mercantil? sofreu atraso e saiu com apenas 24 páginas, metade da edição de quinta-feira passada. Editores e repórteres não participaram da produção. Só os diretores trabalharam. A situação é consequência da crise do grupo. Em nota, a direção informa ?que existe um atraso salarial e se sensibiliza pelas consequências que isso vem provocando na vida de seus funcionários?. Afirma ainda que ?os valores da dívida salarial serão honrados?. Os profissionais, que não fizeram greve, dizem que não foram trabalhar na quarta-feira porque não tinham recursos para se locomover até a redação. A edição de ontem foi concluída normalmente.”

“?Gazeta? deixa de circular pela 1? vez”, copyright Jornal do Brasil, 31/1/03

“Pela primeira vez desde sua criação, há 82 anos, a Gazeta Mercantil deixou de circular ontem. Com salários atrasados desde novembro, funcionários não conseguem ir até a sede do jornal, no bairro de Santo Amaro (SP).

Paulo Totti, editor-executivo e porta-voz da Associação dos Funcionários e Credores da Gazeta, afirmou que os repórteres e editores não dispunham de material suficiente para concluir a edição. Ele disse, no entanto, que o jornal de hoje seria fechado normalmente.

– A redação já vinha reclamando e advertindo a direção do jornal que a situação era insustentável. Hoje (ontem) o jornal será fechado. A crise só será resolvida se o jornal circular. O esforço é grande – disse Totti. – O que aconteceu não foi uma paralisação. Esperamos que sirva como sinal para que a situação dos funcionários possa ser regularizada – acrescentou, ressaltando que uma tiragem ?diminuta, com informações velhas, chegou a circular?. Essa versão do periódico, afirmou Totti, não tem respaldo dos jornalistas da Gazeta.

O advogado da associação, Ronaldo Martins, disse que a dívida trabalhista chega a R$ 100 milhões. Estima que o endividamento total seja de R$ 1 bilhão. A direção da empresa, por meio de nota, reconheceu que ?existe um atraso salarial? e informou que a ?questão vem recebendo tratamento prioritário?.”

“?Gazeta? circula com edição reduzida”, copyright O Globo, 31/1/03

“A ?Gazeta Mercantil?, um dos jornais de economia mais importantes do país, circulou ontem com uma edição reduzida, de apenas 24 páginas, com gráficos e tabelas referentes ao dia 28. Segundo o editor-executivo Paulo Totti, os funcionários estão há 19 meses com os salários em atraso. Por isso, parte deles não trabalhou na quarta-feira e, assim, não houve volume de material suficiente para publicação.

– Há funcionários que não conseguem chegar ao jornal porque não têm dinheiro para a condução – disse Totti.

O diretor-presidente da Gazeta Mercantil, Luiz Fernando Levy, atribuiu a precariedade da edição e o atraso da entrega ao que chamou de greve branca dos funcionários.

– Evidente que causou um atraso, mas é que o jornal foi feito com muito pouca gente – disse Levy.

Ontem à noite, a ?Gazeta? informou que circulará normalmente hoje.”

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem