Segunda-feira, 21 de Agosto de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº954

PRIMEIRAS EDIçõES > MERCADO EDITORIAL

Comunique-se

Por lgarcia em 02/12/2003 na edição 253

GZM EM CRISE

“Funcionários da GZM têm vitória no TRT”, copyright Comunique-se (www.comuniquese.com.br), 27/11/03

“As decisões tomadas nesta quinta-feira (27/11) no Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo foram favoráveis aos jornalistas e funcionários administrativos da Gazeta Mercantil. Além de tornar os bens móveis e imóveis dos sócios e das empresas Gazeta Mercantil, JB Comercial e Agência Multimídia indisponíveis, o TRT determinou o pagamento imediato dos salários de outubro, da terceira parcela do ?passivinho? e do adiantamento de novembro, com multa de 5% ao dia retroativo à data que tinha que ser pago cada ponto citado.

Os funcionários também terão estabilidade de 90 dias e as receitas da GZM e do JB serão retidas para a realização dos pagamentos.

Aílton Trevisan, diretor jurídico da Gazeta, disse que não poderia comentar o assunto sem ter acesso ao acórdão. ?Precisamos ler o documento para saber que linha adotar. Temos oito dias de prazo para recorrer da decisão?.

Reinaldo Paes Barreto, diretor institucional do Jornal do Brasil, repetiu o que foi dito por Trevisan. ?Queremos ver primeiro as informações de forma oficial antes de comentar. Vamos então analisar e recorrer de qualquer medida que seja prejudicial aos interesses da Editora JB?.

 

PLAYBOY, 50 ANOS

“Playboy completa 50 anos e adere às novas mídias”, copyright Cidade Biz (www.cidadebiz.com.br), 1/12/03

“A revista Playboy, que completa 50 anos com a edição de janeiro do ano que vem, começa a usar a internet e tecnologias de televisão e rádio para atingir novos públicos. O mega-império do entretenimento adulto, cuja primeira capa trouxe nada menos do que Marilyn Monroe, pode estar com um ar envelhecido, mas a controladora da companhia, a Playboy Enterprises, não quer ceder terreno aos concorrentes.

No ano passado, retocou sua maquiagem e contratou um novo editor, James Kaminsky, da concorrente Maxim. Também voltou suas atenções para canais de televisão digital pay-per-view, assinaturas online e comércio eletrônico para impulsionar os lucros.

A Playboy, administrada por Christie Hefner, filha do fundador Hugh Hefner, já tem, inclusive, uma estação na XM Satellite Radio, onde os ouvintes pagam uma taxa extra para ouvir shows com conteúdo adulto. ?Com as tecnologias crescendo em termos de TV digital e via satélite, assim como Internet e novas plataformas como celulares, eu acho que a Playboy vai se expandir com elas?, disse Christie Hefner.

A Playboy andou por um longo percurso, desde 1953, quando Hugh Hefner, com então 27 anos, tomou emprestado US$ 8 mil para financiar sua revista. A criação da primeira edição foi em seu apartamento, em Chicago. A companhia tem a expectativa de quase triplicar o lucro operacional neste ano para US$ 25 milhões, contra US$ 8,6 milhões no ano passado. O resultado virá, em parte, dos anúncios publicitários pagos da edição de aniversário, os maiores em 18 anos.

Com os negócios editoriais considerados maduros, a Playboy busca crescimento em sua receita com TV a cabo – incluindo taxas de pay-per-view de filmes adultos e de seus canais Spice e Playboy TV.

Desde a aquisição de três canais adultos em meados de 2001, a receita doméstica de televisão da Playboy cresceu 27%, para US$ 94 milhões em 2002. Nos primeiros nove meses de 2003, as vendas internacionais subiram de US$ 9,8 milhões em 2002, para US$ 25 milhões.

No ano passado, a receita com televisão e vídeos superaram a de publicidade pela primeira vez. Este ano, seu braço em Internet, que vinha registrando prejuízos seguidos, voltou aos lucros. ?A Playboy conseguiu manter uma posição muito forte, certamente na área editorial. Depois, a Internet cresceu gradualmente e isso criou um novo mercado?, afirmou o analista Dennis McAlpine, da McAlpine Associates.”

 

MERCADO EDITORIAL

“Chega ao mercado editorial revista para pessoas com mais de 60 anos”, copyright Cidade Biz (www.cidadebiz.com.br), 27/11/03

“Mais um título chega ao mercado editorial no dia 3. Desta vez, a proposta é atender pessoas com mais de 60 anos.

Batizada de VIV – Sênior Lifestyle, a revista terá entrevistas com personalidades de destaque, dicas culturais com as últimas novidades do mundo artístico, reportagens ressaltando os cuidados com a saúde, nutrição, memória, entre outras.

A idéia da publicação é criar um novo nicho de entretenimento para o idoso. A tiragem inicial é de 30 mil exemplares distribuídos na grande São Paulo e Campinas.

A primeira edição chega com 84 páginas e será vendida por R$5,90. Outro diferencial é que a VIV já nasce com um suplemento editorial Campinhas Sênior Lifestyle.

A proposta é expandir esses cadernos mensais às capitais programadas para a circulação nacional. O primeiro suplemento regional chega com 20 páginas.”

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem