Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

PRIMEIRAS EDIçõES > TELETIPO

Conteúdo mais pesado salva Playboy

Por lgarcia em 26/08/2003 na edição 239

TELETIPO

A Playboy Enterprises está saindo do vermelho nos EUA, após fase ruim que começou em 1999. Sua clássica revista masculina, sob comando de novo editor, James Kaminsky, voltou a ganhar leitores. No entanto, como aponta Brian Hindo, da BusinessWeek [20/8/03], não é mais ela que faz a maior parte do dinheiro. São os canais de TV a cabo e o sítio de internet com a marca Playboy, com conteúdo mais explícito que o da quase cinqüentenária revista, que andam garantindo a recuperação da companhia. Em 2002, 55% do faturamento da empresa veio dos canais eróticos e da página, contra 40% da Playboy propriamente. Isso poderia alterar a visão das pessoas a respeito da marca, tradicionalmente considerada elegante ? mais "sensual" que "sexual". Para afastar o risco de ver o coelhinho afetado, foi criado um selo próprio para os produtos mais pesados ? o Spice.

O diretor americano David Anspaugh está rodando um filme sobre a Copa de 1950 ? aquela em que o Brasil perdeu a final para o Uruguai diante de mais de 200 mil pessoas no Maracanã. The Game of Their Lives (o jogo de suas vidas), no entanto, vai mostrar a participação da equipe dos Estados Unidos, que, com uma equipe de amadores, conseguiu inesperada vitória sobre o time da Inglaterra, país com maior tradição futebolística. Como informa a AP [20/8/03], os protagonistas da história serão os jogadores originários de St. Louis, cidade onde se praticava muito o futebol, ao contrário do resto dos EUA. O fato de o esporte ainda hoje ser modalidade pouco popular por lá parece não desanimar os produtores, que pretendem lançar The Game of… somente no ano que vem.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem