Domingo, 27 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº988
Menu

PRIMEIRAS EDIçõES > b)

Controle bissexto equivale a descontrole

Por lgarcia em 02/10/2002 na edição 192

DE OLHO NO PARLAMENTO

Alberto Dines

O poder da imprensa deve exercer-se todos os dias. A fiscalização aleatória e intermitente tem o mesmo efeito do placebo nos testes terapêuticos: imaginário.

Um Congresso que não é acompanhado e verificado permanentemente pela imprensa e, portanto, pela sociedade, acaba tornando crônicas e perenes suas mazelas, inclusive a insensibilidade dos representantes para com os representados.

Apesar da qualidade da pesquisa, dos recursos nela investidos e da massa de resultados obtidos, o excelente e substancioso caderno Olho no Voto (Folha de S.Paulo, 27/9, 56 páginas) não tem efeito útil.

A uma semana do pleito para o parlamento federal, grande parte dos eleitores já fez suas opções ou não as fará num suplemento desconhecido, solitário e sem continuidade.

Custaria bem menos e teria um efeito muito maior o acompanhamento persistente e continuado do desempenho dos congressistas. Uma página mensal apenas, porém repetida ao longo de quatro anos, permitiria que: a) o eleitor fiscalizasse efetivamente a atuação do seu representante e b) o representante se sentisse fiscalizado por seu eleitor.

A iniciativa produziria valiosos benefícios colaterais: a imprensa voltaria a cobrir plenários e comissões como já fez no passado e o Legislativo ganharia uma credibilidade que não tem.

A democracia representativa não pode ser espasmódica.

Leia também

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem