Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

PRIMEIRAS EDIçõES > PORTO DOS MILAGES

Cristian Klein

Por lgarcia em 07/02/2001 na edição 107

QUALIDADE NA TV

PORTO DOS MILAGES

"Globo volta à fórmula ‘Tieta’ para segurar audiência", copyright Folha de S. Paulo, 4/02/01

"A nova novela da Globo, ‘Porto dos Milagres’, estréia amanhã com a missão espinhosa de substituir ‘Laços de Família’, a mais bem-sucedida trama no horário das 20h nos últimos anos.

Sai o realismo de Manoel Carlos e seus personagens urbanos, e entra uma novela rural, típica da dupla de autores Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares, recheada de misticismo.

‘Porto dos Milagres’ herda como parâmetro a audiência de ‘Laços de Família’, que fez em média 45 pontos no Ibope, com picos de 62. O normal no horário é uma média de até 40 pontos.

‘Não dá para comparar. São produtos completamente diferentes. E estamos apostando nessa diferença. A nossa expectativa é de, no mínimo, entrar no mesmo barco de ‘Laços’‘, afirma Marcos Paulo, diretor-geral da novela.

Antônio Fagundes, protagonista de ‘Porto dos Milagres’, afirma que é uma grande responsabilidade herdar o público de ‘Laços’. ‘Vamos tentar não derrubar. Mas é melhor pegar a audiência lá em cima do que ter que levantá-la’, diz.

Cássia Kiss, também protagonista da novela, é otimista e acredita que a equipe de ‘Porto dos Milagres’ vai pegar de ‘mão beijada’ o sucesso da antecessora. ‘O que precisamos para manter esse sucesso é de um bom horário e de uma boa história. E, de cara, temos o Aguinaldo Silva’, afirma.

A Globo programou a nova novela para as 21h, o mesmo horário em que ‘Laços’ era exibida, por imposição judicial, numa polêmica que envolveu a participação de menores de 18 anos e acabou aumentando a audiência da trama. Com ‘Porto dos Milagres’, ao que parece, novela das oito vai virar, definitivamente, novela das nove.

Aguinaldo Silva afirma que o segredo para não deixar a ‘bola cair’ é marcar logo a diferença.

‘Não podemos ficar preocupados com essa herança. Novela quando acaba é como jornal de ontem. No começo, há um estranhamento, mas a saída é fazer algo bem diferente’, diz.

Diferente em relação a ‘Laços de Família’. Porque o clima será o mesmo de outras novelas escritas pelo autor, como ‘Roque Santeiro’ (1985/1986), ‘Tieta’ (1989), ‘Pedra sobre Pedra’ (1992), ‘Fera Ferida’ (1993) e ‘A Indomada’ (1997), sendo as duas últimas em parceria com Ricardo Linhares.

Com ‘Porto dos Milagres’, inspirada no romance ‘Mar Morto’, de Jorge Amado, Aguinaldo Silva volta às novelas passadas em pequenas cidades nordestinas, depois da urbana ‘Suave Veneno’ (1999), que ele mesmo assume não ser sua praia. ‘Agora estou me sentindo em casa’, afirma.

Personagens exagerados, sotaque nordestino, um bordel numa cidade do interior. ‘Porto dos Milagres’ tem tudo isso.

A história é dividida em duas fases. A primeira é um ‘flashback’ que dura os primeiros oito capítulos da novela e mostra como era a vida dos habitantes da cidade baiana fictícia de Porto dos Milagres, há 20 anos.

Nessa fase, Porto dos Milagres é dominada pelo rico comerciante Bartolomeu Guerreiro (Antônio Fagundes), sujeito que chegou pobre ao lugarejo, após ter sido traído pelo irmão gêmeo Félix Guerreiro (também interpretado por Antônio Fagundes).

Com seu tino comercial, porém, Bartolomeu conseguiu fazer fortuna. Solteiro, ele frequenta o bordel da cidade vizinha, Itamarajy, onde sempre se relaciona com a prostituta Arlete (vivida por Letícia Sabatella).

O reinado de Bartolomeu é ameaçado quando ele reencontra seu irmão vigarista. Foragido da Espanha, onde deu um golpe fracassado ao lado da sua mulher, Adma (Cássia Kiss), Félix volta ao Brasil e diz ao seu irmão estar arrependido do que fez a ele no passado. Mas seu plano é passá-lo para trás novamente e roubar-lhe a fortuna.

Adma, sem o consentimento do marido, envenena Bartolomeu. Com a morte do comerciante, que aparentemente não havia deixado herdeiros, Félix assume a fortuna do irmão. Mas ele é surpreendido pela chegada da prostituta Arlete, que carrega no colo o bebê Guma, filho de Bartolomeu.

Adma, mais uma vez, se encarrega de livrar o caminho do marido e manda seu capataz, o motorista Eriberto (José de Abreu), eliminar Arlete e Guma. A tarefa não é totalmente realizada, e o bebê, por obra de Iemanjá, acaba sendo resgatado em alto-mar, dentro de um cesto, pelo pescador Frederico (Maurício Mattar) e sua mulher, Eulália (Cristiana Oliveira), que se tornam os pais adotivos de Guma.

Na segunda fase da novela, 20 anos depois, Guma (Marcos Palmeira) é o líder dos pescadores de Porto dos Milagres e vai se envolver com a webdesigner Lívia (Flávia Alessandra), que namora o filho de Félix, Alexandre Guerreiro (Leonardo Brício). Guma vai ser uma ameaça para os dois. Para Félix, porque é o herdeiro legítimo do império de Bartolomeu. E para Alexandre, porque é o verdadeiro amor de Lívia.

Duas cidades cenográficas foram construídas para a novela: uma no Projac, no Rio, onde ficam os estúdios da Globo, e outra na ilha de Comandatuba, na Bahia. Elas têm várias casas e cenários iguais, permitindo, por meio de edição, que um personagem como Guma saia do cais de porto, em uma cena gravada na Bahia, e entre na rua principal de Porto dos Milagres, reproduzida no Rio."

"É tempo de ‘Milagres’ na Globo", copyright O Estado de S. Paulo, 4/02/01

"Compromisso nenhum, ou quase, com a realidade. O realismo-fantástico apreciado por Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares, autores de Porto dos Milagres, é exatamente o oposto do naturalismo perseguido por Manoel Carlos em Laços de Família.

Daí a certeza de dizer que os diagnósticos médicos cedem lugar ao misticismo do candomblé a partir de amanhã no horário nobre da Globo. Inspirada em Mar Morto, obra de Jorge Amado, Porto nasceu como um projeto de minissérie e acabou ganhando fôlego de novela. Autor de tramas como Tieta, e Pedra Sobre Pedra, Silva endossa sua preferência por tal ‘universo’.

‘Esse é o meu mundo, onde me sinto em casa. Eu realmente não gosto de tramas urbanas, mais realistas’, diz o escritor. ‘Porto tem todo um lado mágico, um sincretismo religioso, temas fortes em obras de Jorge Amado. Eu gosto de viajar nesses mistérios e acredito que o povo também gosta.’

A trama é dividida em duas épocas. A primeira, que o diretor Marcos Paulo considera uma ‘minissérie de oito capítulos’, inclui todas as explicações para os dramas dopresente. Nela será contada a história dos irmãos Felix e Bartolomeu Guerreiro, vividos por Antônio Fagundes. Felix, um golpista casado com Adma (Cássia Kiss), é obrigado a fugir da Espanha após um de seus trambiques. Acaba voltando para sua terra-natal, Porto dos Milagres, e descobre que toda a cidade já tem um dono: seu irmão gêmeo, Bartolomeu. Anos antes de ir para a Espanha, Felix traiu Bartolomeu fugindo com o dinheiro do irmão.

Junto com sua esposa, Felix tenta roubar o poder do irmão, mas é Adma que mata Bartolomeu por envenenamento. Felix assume o império de Porto, até surgir em sua porta a prostituta Arlete (Letícia Sabatella) com um filho de Bartolomeu nos braços, Guma (Marcos Palmeira na segunda fase). Enlouquecida, Adma (Cássia Kiss) tenta matar a prostituta e o herdeiro afogados, mas Iemanjá salva o menino, tornando-o seu protegido. É o primeiro milagre da história.

Criado por pescadores, Guma logo tomará conhecimento de sua mística ligação com Iemanjá e de seu passado obscuro.

‘Guma é a vingança de Bartolomeu. Ele tem importantes segredos a descobrir: o principal é quem é o seu verdadeiro pai’, antecipa Aguinaldo Silva. ‘Daí o embate com o Fagundes.’

A novela também conta com muitos triângulos amorosos, como o vivido por Guma, Esmeralda(Camila Pitanga) e a sofistica Lívia (Flávia Alessandra).

Andarilhos- Com cenas gravadas na Espanha e na Ilha de Comandatuba (BA) – onde a Globo montou uma cidade cenográficade 3.200 metros quadradros – Porto dos Milagres promete transformar a rotina do elenco em vida de andarilho. Segundo o diretor Marcos Paulo, a maior parte das gravações acontecerá no Projac (Rio). Uma vez por mês, o elenco irá gravar na Bahia para que a novela não perca o clima de Jorge Amado. ‘Lá tem o cheiro do mar, que não podemos reproduzir em estúdio’, diz o diretor. ‘Também não podíamos gravar tudo fora, como Tropicaliente (gravada em Fortaleza), pois é grande o núcleo da cidade.’ Com custo estimado em R$ 120 mil por capítulo, Porto chega com a difícil missão de manter a boa audiência de Laços Família, o que parece não assustar Aguinaldo Silva. ‘Novela é como pãozinho, é como jornal, o povo quer sempre a do dia seguinte’, diz o autor. ‘Laços acaba, mas nós estamos chegando com uma novidade.’"

"Lançamento de novela reproduz clima baiano", copyright O Globo, 31/01/01

"A o som de berimbau e cercada de muitas barraquinhas de quituteiras baianas servindo acarajé e água-de-coco, foi realizada segunda-feira à noite na cidade cenográfica de ‘Porto dos Milagres’, no Projac, a apresentação à imprensa da nova novela das 20h da Rede Globo, que estréia segunda-feira. Embalado pelo sucesso de ‘Laços de família’, que termina nesta sexta-feira, o diretor de núcleo da novela, Marcos Paulo, está otimista.

– A nossa expectativa é de cem por cento de audiência – brincou ele.

Autores da trama, inspirada nos livros de Jorge Amadao ‘Mar morto’ e ‘A descoberta da América pelos turcos’, Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares também estão confiantes.

– A novela que acaba é como um jornal de ontem e a gente conta com isso. É claro que haverá um pouco de estranheza por parte do público já que acabará uma novela urbana e entrará uma rural – disse Aguinaldo.

Grande parte do elenco compareceu, exibindo o bronzeado adquirido nos dias de gravações em Comandatuba, na Bahia, onde é ambientada a história. Entre eles estavam Antônio Fagundes, Cássia Kiss, Marcos Palmeira, Cristiana Oliveira, Flávia Alessandra e Leonardo Brício.

Um making of das gravações realizadas na Espanha e no Brasil foi exibido em um telão. Pelas imagens mostradas, não resta a menor dúvida de que trata-se de mais uma superprodução da emissora. Efeitos especiais é o que não falta, como na cena de um naufrágio que acontece no começo da história. Aliás, a necessidade de recursos tecnológicos foi um dos motivos para que a adaptação de ‘Mar morto’, inicialmente prevista para ser uma minissérie, fosse transformada em novela.

– A idéia da minissérie surgiu há três anos, mas, na época, havia problemas técnicos para a realização de dois naufrágios. Hoje a emissora já tem nova tecnologia para isso – explicou Aguinaldo.

A novela conta a história do golpista Félix (Antônio Fagundes), que assassina o irmão gêmeo, Bartolomeu (também vivido por Fagundes), para ficar com sua fortuna. Anos mais tarde, Guma (Marcos Palmeira), pescador filho de Félix, aparece para reivindicar sua herança. Segundo os autores, a primeira fase da trama tem clima de minissérie.

– Ela é bem movimentada, com muita ação. Nós tínhamos que narrar os acontecimentos do passado para depois chegar ao presente, mas tivemos o cuidado de fazer isso apenas nos oito primeiros capítulos a fim de o choque não ser muito grande para o público – disse Ricardo Linhares.

Os intérpretes dos personagens principais da primeira fase da novela continuarão na segunda. É o caso de Cássia Kiss, que fará par com Antônio Fagundes.

– Uma novela para ser boa tem que ter trunfos como bom horário, boa história e bom elenco. E isso tudo ‘Porto dos Milagres’ tem – afirmou a atriz.

Volta ao índice

Qualidade na TV – próximo texto

Qualidade na TV – texto anterior

Mande-nos seu comentário

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem