Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

PRIMEIRAS EDIçõES > TELENOVELAS

Cristina Rigitano

Por lgarcia em 07/05/2003 na edição 223

TELENOVELAS

“O calcanhar-de-Aquiles”, copyright Folha de S. Paulo, 4/05/03

“COM AUDIÊNCIA abaixo do índice projetado pela TV Globo, a novela ?Agora É que São Elas? ainda não decolou. Os programas policiais da concorrência e até o desenho animado ?Os Simpsons? contribuem para tirar público da trama das 18h.

?Agora É que São Elas? tem marcado média de 26 pontos, longe do trilho da emissora, que seria entre 30 e 35 pontos. Autor da novela, Ricardo Linhares diz que está se acertando. ?Não estamos tendo nem menos nem mais audiência que a anterior [?Sabor da Paixão?.?

Como a faixa das seis da tarde é decisiva na formação da audiência do restante do horário noturno (o mais caro da TV), a Globo decidiu apressar os trabalhos do grupo de discussão, formado por telespectadores. Reunidos pela emissora, eles analisam e dão suas opiniões sobre personagens e enredo da novela.

Com base nos relatos das pessoas selecionadas, a primeira providência da emissora deve ser a gravação de cenas de beijos tórridos entre os personagens de Miguel Falabella (Juca Tigre) e Vera Fischer (Antônia). Parece que o público quer testar a química entre os dois e ver se o par realmente convence.

?As mulheres do grupo [de discussão? pediram que os dois acertem o erro do passado e vivam aquele amor juvenil. Daqui a duas semanas, eles vão se reaproximar?, promete.

Coordenadora do Núcleo de Pesquisas de Telenovelas da USP, Maria Lourdes Motter especula sobre a origem da baixa audiência: ?O horário tem características que não vêm sendo respeitadas. Antes, às 18h, passava novela de época ou adaptação literária, romance. Às 19h, comédia. E, às 20h, o drama. Começou a entrar qualquer coisa em qualquer horário?. A professora acredita que, se nada for feito, a novela das seis está condenada à extinção. ?Vai dar lugar a experimentações, a novos caminhos?, prevê. Ana Maria Moretzsohn, autora de ?Sabor da Paixão?, não descarta essa possibilidade. ?Do jeito que a coisa anda, tudo é possível. Sempre reprisaram o último capítulo das novelas aos sábados. Desta vez, não foi ao ar por causa do futebol. Quero fazer novela das sete, que sofre menos pressão?, diz ela. Emanoel Jacobina, autor de ?Coração de Estudante?, acha que há exagero nessa previsão. Ele enfrentou cobranças no início de sua novela, que chegou a dar menos audiência que ?Malhação?.

Disputa Doutora em dramaturgia pela ECA-USP, Renata Pallottini diz que a concorrência está atrapalhando o desempenho das novelas da Globo. ?Hoje temos TV paga, programas de violência… O público está dividido.?

Linhares concorda. ?Uma parcela fica mudando de canal. A Globo não tem mais hegemonia. O horário é complicado, tem os programas policiais?,diz.

?Erraram no elenco. Falabella não é galã. Vera Fischer tem carisma, mas, sozinha, não vai segurar. A novela está mal encaminhada?, diz Pallottini.

Linhares não acha que tenha errado na escolha do casal -o papel de Falabella foi recusado por Fábio Júnior. ?São atores cômicos, e a minha novela é cômica.?

O autor diz que não vem sofrendo pressão da Globo. ?Só recebo elogios.?

O diretor da Central Globo de Comunicação, Luis Erlanger, diz que a emissora está satisfeita: ?Trabalhamos em cima de projetos consistentes, que não oscilam com os números da audiência?.”

“Horário já teve suas campeãs”, copyright Folha de S. Paulo, 4/05/03

“Num belo vestido lilás, Aurélia (Norma Blum) jura vingança ao ex-noivo, Fernando (Cláudio Marzo), que a havia trocado por uma ricaça. Foram 79 capítulos de um casamento cheio de humilhações, mas o amor venceu. E o horário das seis, então recém-criado na Globo, também.

Aurélia era a ?Senhora? da novela de Gilberto Braga, adaptada da obra de José de Alencar em 1975.

O horário conheceu ainda outras campeãs de audiência: ?Escrava Isaura? (76), ?Dona Xepa? (77), ?Barriga de Aluguel? (90) e ?Mulheres de Areia? (93). Mesmo sem poder comparar os números -o Ibope mudou seus critérios de medição-, todas elas tiveram picos comemorados pela Globo na época.

Até hoje Lucélia Santos corre mundo relembrando a sua escrava, e Rubens de Falco é chamado de Leôncio na rua quando não houve alguém cantarolar a música da novela: ?lê rê lê rê/ lê rê lê rê/lê rê?. Mais de 80 países já viram.

Yara Cortes (1921-2002) ficou famosa como dona Xepa, a feirante inculta que sofria para dar vida boa aos dois filhos e reclamava ao chegar em casa: ?Ai, meus pé… Ai, meus calo?.

Os anos 80 foram de altos e baixos. Mas 1990 terminou bem com a estréia de ?Barriga de Aluguel?. Glória Perez colocou no ar 243 capítulos (11 meses de duração) de luta entre Ana (Cássia Kiss), a mãe biológica, e Clara (Cláudia Abreu), a mãe de aluguel.

Mobilização assim só dois anos depois com o ?remake? de ?Mulheres de Areia?. Sucesso na Tupi, em 73, a novela foi produzida na Globo com Glória Pires vivendo as diferentes gêmeas Ruth e Raquel, com direito a efeitos especiais nunca vistos até então.”

“Novela das sete chega ao fim fora do trilho”, copyright Folha de S. Paulo, 2/05/03

“Grande aposta da TV Globo para alavancar a audiência da faixa das 19h, a novela ?O Beijo do Vampiro? chega ao fim hoje com um desempenho apenas modesto no Ibope e fora dos trilhos.

A trama sobre vampiros tinha, até a semana passada, média de 28 pontos na Grande São Paulo. É a mesma marca de ?As Filhas da Mãe? (2001), que acabou encurtada em três meses. A meta da emissora para o horário (trilho) é de 35 pontos. Nos últimos anos, só ?Uga Uga? (2000), com 38 pontos, atingiu esse objetivo.

?O Beijo do Vampiro? teve a sintonia de 47% dos televisores ligados no horário, contra 45% de ?As Filhas?. Sua antecessora, ?Desejos de Mulher? (2002), cravou média de 33 pontos, com a sintonia de 50% dos televisores. Cada ponto na Grande São Paulo equivale a 48,5 mil domicílios.

Com forte apelo ao público infanto-juvenil, ?O Beijo do Vampiro? registra 28% de telespectadores com idades entre 4 e 17 anos no total de sua audiência. ?Um Anjo Caiu do Céu? (2001) foi melhor nessa faixa, com 31%. ?O Beijo? foi a novela das sete, das últimas quatro, que teve maior participação masculina: 40%.

OUTRO CANAL

Barraco Silvio Santos surpreendeu a diretoria do SBT na última terça e fez uma participação breve, mas contundente, na reunião semanal da cúpula da emissora. Cobrou mais ação da diretoria porque o faturamento e a audiência da rede caíram no primeiro trimestre deste ano.

Baixa O executivo Ricardo Fremder deixou o SBT anteontem. É o terceiro diretor comercial a abandonar o barco de Silvio Santos nos últimos meses. Da ?força-tarefa? montada no ano passado, com cinco diretores comerciais, só restam agora dois.

Reforço Depois de uma longa negociação, a Globo finalmente conseguiu comprar os direitos de exibição em TV aberta de ?Dragon Ball GT?, a última série do famoso e violento desenho animado japonês. Estréia dia 12 no ?TV Globinho?.

Promoção Superintendente da Rede TV!, Eraldo Abreu foi nomeado presidente da Rede TV! Shop, empresa de televendas do grupo da emissora. Na quarta, Abreu embarcou para os EUA em busca de novos parceiros. Sua meta é faturar R$ 3 milhões por mês.

Tum O ?Metrópolis? (TV Cultura, 22h) exibe hoje um especial sobre o festival de música eletrônica Skol Beats. O material resume 17 horas de captação de imagens, com direção do cineasta Eugênio Pupo.”

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem