Sábado, 26 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº988
Menu

PRIMEIRAS EDIçõES > GLOBO EM CRISE

Daniel Castro

Por lgarcia em 30/10/2002 na edição 196

GLOBO EM CRISE

“Globo é marca mais lembrada da TV paga”, copyright Folha de S. Paulo, 28/10/02

“Embora seja uma rede de TV aberta, a Globo é a marca mais forte da TV paga. Estudo feito pelo Datafolha para a Globosat (programadora de canais pagos das Organizações Globo), dentro da pesquisa ?Top of Mind? (publicada anualmente pela Folha), revela que a Globo é a marca de canal de TV por assinatura mais lembrada pela população brasileira.

Segundo o levantamento, divulgado pela Globosat, 16% dos entrevistados responderam ?Globo? à pergunta ?Quando se pensa em canal de TV por assinatura, qual o primeiro nome que lhe vem à cabeça??. A Globo lidera mesmo quando os canais são especificados por gênero. Entre os ?canais de esportes da TV por assinatura?, a Globo foi lembrada por 9% da população, mesmo índice do canal SporTV _a Band foi citada por 8%. Dos canais de ?variedades/ entretenimento?, a Globo teve 6%, e o SBT, 3%.

A pesquisa foi feita entre os dias 19 e 21 de agosto e ouviu 2.720 pessoas. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Do total de entrevistados, apenas 242 tinham TV paga _mercado em que a Globo também é líder de audiência. Nesse universo, o SporTV foi lembrado por 27% como marca de canal de esportes. Entre os canais de filmes, o HBO teve 15% e o Telecine, 14% (empate técnico). O Multishow, no gênero ?variedades?, ficou com 9% e o Discovery, 6%.”

“Globopar vai renegociar dívida”, copyright Jornal do Brasil, 29/10/02

“A Globopar, empresa de participações do Grupo Globo e acionista da operadora de TV por assinatura Net, anunciou ontem que vai renegociar novos prazos para quitar dívidas com credores. No próximo dia 21 de dezembro, haverá um vencimento de um débito de US$ 22 milhões da empresa.

Segundo comunicado emitido após o fechamento do mercado, a companhia já conversou com alguns de seus credores e ?espera dar novas informações sobre esse processo de reavaliação nos próximos 90 dias?. A Globopar também informou que vai ?reavaliar sua estrutura de capital?. Para isso, contratou o Goldman Sachs e o Houlihan Howard & Zukin Capital, que também tentarão atrair potenciais investidores para a companhia.

Para especialistas do mercado e advogados, uma renegociação de dívida pode ser entendida como uma espécie de ?concordata branca?.

– Reestruturação é o nome bonito para a suspensão do pagamento de dívidas. A Globopar está numa encruzilhada muito séria – diz um analista que pediu anonimato.

Durante todo o dia de ontem, rumores de que essa renegociação estava próxima levaram os papéis da Net a uma forte queda, de 14,8%. Além disso, o mercado estranhou o adiamento, pela segunda vez, de uma reunião de acionistas da Net que estava marcada para ontem. O encontro só deve acontecer na próxima quarta-feira.

No embalo dos boatos sobre a Net, o primeiro dia de operações do mercado financeiro nacional após a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência foi marcado por volatilidade. Mesmo assim, o mercado já não trabalha mais com um cenário pessimista para os próximos meses. Além dos últimos resultados da balança comercial, que teriam indicado uma redução da fragilidade externa do país, analistas financeiros receberam bem os primeiros pronunciamentos do presidente eleito, que segundo eles teriam sinalizado a manutenção da orientação econômica atual.

Ontem, o dólar encerrou em alta de 1,34%, cotado a R$ 3,78 para venda e R$ 3,76 para compra. Já a Bolsa de São Paulo encerrou o dia em baixa de 4,40%, aos 9.573 pontos. O C-Bond, principal título da dívida brasileira, encerrou o dia em queda de 2,59%, cotado a 55,63% do valor de face. O movimento de ontem encerrou uma seqüência de sete dias consecutivos de alta. Com o resultado de ontem, o indicador de risco país (Embi+), do banco JP Morgan, fechou em baixa de 3,53%, aos 1.848 pontos.”

“Desvalorização do real faz Globopar reavaliar sua estrutura de capital”, copyright O Globo, 29/10/02

“A Globo Comunicações e Participações S.A. (Globopar) anunciou ontem que vai reavaliar sua estrutura de capital, devido à desvalorização do real e da deterioração das condições econômicas no Brasil. A Globopar, controlada pela família Marinho, tem participações acionárias nos setores de televisão a cabo e via satélite, programação para TV por assinatura, editora de revistas e livros, gráfica e internet. As operações da TV Globo, da Infoglobo (que edita os jornais GLOBO, ?Extra? e ?Diário de S.Paulo?) e do Sistema Globo de Rádio são diretamente controladas pela família e administradas independentemente da Globopar.

Nesse processo de reavaliação, a Globopar e algumas de suas empresas controladas estão procedendo a uma revisão de seus planos de negócios, com ênfase na melhora da geração de caixa. Ao mesmo tempo, a Globopar e algumas de suas empresas controladas, a partir de hoje, reescalonarão o fluxo de pagamentos de suas obrigações financeiras. A Globopar espera dar novas informações sobre o processo nos próximos 90 dias.

A TV Globo é garantidora de parte das dívidas da Globopar, que já começou a conversar com alguns de seus credores. A Globopar contratou a Goldman Sachs & Co. e Houlihan Lokey Howard & Zukin Capital para o processo de reavaliação e atração de investidores. Debevoise & Plimpton e Barbosa, Müssnich e Aragão estarão prestando assessoria jurídica à Globopar. Já o Unibanco vai assessorar a Globopar com relação ao mercado brasileiro.

Membros da família Marinho investiram mais de US$ 170 milhões na empresa e em suas controladas nos últimos seis meses. Apesar do forte apoio financeiro de seus acionistas, a contínua desvalorização do real e a significativa redução de crédito para empresas brasileiras afetaram a dívida que a Globopar tem em dólares. Além disso, o prazo de retorno dos investimentos nos negócios de TV por assinatura se mostrou mais longo do que o esperado.

?Apesar dos esforços da empresa e de seus acionistas para gerenciar a dívida da Globopar, por meio de significativos aportes de capital, a deterioração do ambiente macroeconômico evidenciou a necessidade de reavaliar o cronograma de pagamento da dívida da Globopar. Estamos trabalhando para rever nossos planos de negócios e tomar medidas para reduzir custos e aumentar o fluxo de caixa líquido. Esses esforços servirão como base para as conversas que pretendemos ter com os credores?, disse Ronnie Moreira, presidente da Globopar.

A TV Globo não deve ser afetada de forma negativa pelo processo de reavaliação da Globopar. Segundo Roberto Irineu Marinho, presidente da TV Globo, a performance da TV Globo continua sólida, apesar das difíceis condições econômicas atuais. ?A programação da TV Globo permanece com os maiores índices de audiência e a empresa continua revendo suas operações para melhorar sua geração de caixa, mantendo a posição de líder baseada na alta qualidade de suas produções nacionais?.

GLOBOPAR ANUNCIA REAVALIAÇÃO DE SUA ESTRUTURA DE CAPITAL

A Globo Comunicações e Participações S.A. (Globopar), empresa da família Marinho que detém participações acionárias em empresas da área editorial e gráfica, empresas de televisão a cabo e via satélite, programação para TV por assinatura e Internet, anunciou hoje que irá reavaliar sua estrutura de capital devido à significativa desvalorização do real e da deterioração das condições econômicas no Brasil.

No contexto deste processo de reavaliação, a Globopar e algumas de suas empresas controladas estão procedendo a uma revisão de seus planos de negócios, com ênfase na melhora da geração de caixa. Conjuntamente com esta revisão, a partir de hoje, a Globopar e algumas de suas empresas controladas estarão reescalonando o fluxo de pagamentos de suas obrigações de caráter financeiro. A Globopar espera dar novas informações sobre esse processo de reavaliação nos próximos 90 dias. A TV Globo Ltda. é garantidora de uma parte das dívidas de caráter financeiro da Globopar.

A Globopar já começou a conversar com alguns de seus credores. A Globopar contratou a Goldman Sachs & Co. e Houlihan Lokey Howard & Zukin Capital para assessorá-la no processo de reavaliação e para atrair investidores. Debevoise & Plimpton e Barbosa, Müssnich e Aragão estarão prestando assessoria jurídica à Globopar.

Além disso, o Unibanco atuará nesse processo prestando assessoria especializada à Globopar com relação ao mercado brasileiro.

Membros da família Marinho – acionistas da Globopar – investiram mais de US$ 170 milhões na empresa e em suas controladas durante os últimos seis meses. Apesar do forte apoio financeiro de seus acionistas, a contínua desvalorização do real e a significativa redução de crédito disponível no mercado para empresas brasileiras vêm onerando de forma significativa a dívida em dólares da Globopar. Além disso, os prazos de retorno dos consideráveis investimentos feitos nos negócios de distribuição de TV por assinatura estão se mostrando bem mais longos do que o esperado.

Ronnie Moreira, Presidente da Globopar, disse: ?Apesar dos esforços da empresa e de seus acionistas para gerenciar a dívida da Globopar, por meio de significativos aportes de capital, a deterioração do ambiente macroeconômico evidenciou a necessidade de reavaliar o cronograma de pagamento da dívida da Globopar. Estamos trabalhando com nossos consultores externos para rever nossos business plans e tomar medidas para reduzir custos e aumentar o fluxo de caixa líquido. Esses esforços servirão como base para as conversas que pretendemos ter com nossos credores.?

O negócio e as operações da TV Globo, que é controlada diretamente pela família Marinho, independentemente da Globopar, continuam sólidos e não deverão ser afetados de forma negativa pelo processo de reavaliação da Globopar. Esse processo também não deverá afetar o relacionamento da TV Globo com seus parceiros de negócios.

Roberto Irineu Marinho, Presidente da TV Globo, disse: ?A performance da TV Globo continua sólida apesar das difíceis condições econômicas atuais. A programação da TV Globo continua a alcançar os maiores índices de audiência em todas as categorias. A TV Globo continua revendo suas operações, visando a identificar oportunidades para melhorar sua geração de caixa, mantendo sua posição de líder baseada na alta qualidade de suas produções nacionais.?

Globopar é uma empresa brasileira, controlada pela família Marinho, com participações acionárias nos setores de televisão a cabo e via satélite, programação para TV por assinatura, editora, gráfica e Internet As operações da TV Globo, Infoglobo e Sistema Globo de Rádio são diretamente controladas pela família Marinho e administradas independentemente da Globopar.”

Todos os comentários

Siga o Observatório da Imprensa
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Termos de Uso
x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem