Sábado, 25 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

PRIMEIRAS EDIçõES > TV BANDEIRANTES

Daniel Castro

Por lgarcia em 12/02/2003 na edição 211

TELENOVELAS / REDE GLOBO

“Globo confirma Gilberto Braga às ?oito?”, copyright Folha de S. Paulo, 8/02/03

“A próxima novela das oito da Globo, após ?Mulheres Apaixonadas?, será mesmo do celebrado Gilberto Braga (?Dancin?Days?, ?Vale Tudo?). O martelo foi batido nesta semana. Mário Lúcio Vaz, diretor da área artística, que resistia à sinopse apresentada por Braga, acabou cedendo.

Com o nome provisório de ?Celebridades?, a novela irá tratar do universo da fama. A sinopse original, apresentada no ano passado, foi recusada, em parte por tratar de forma crítica as ?celebridades instantâneas? geradas pelos ?reality shows?. Braga diz que fez pequenas alterações na história, mas não revela quais.

Fora do ar desde 1999, quando escreveu ?A Força de um Desejo?, Gilberto Braga estava escalado para ser o autor da novela das oito que estaria sendo exibida atualmente. Acabou perdendo o lugar na fila para Benedito Ruy Barbosa e Manoel Carlos e estava ameaçado de ser substituído por Silvio de Abreu para suceder ?Mulheres Apaixonadas?.

Pelo rodízio de autores da faixa das oito da Globo, após Gilberto Braga será a vez de Glória Perez. Silvio de Abreu viria depois.

Nesta semana, Walcyr Carrasco, que assumiu o texto de ?Esperança?, apresentou a sinopse de uma provável novela das seis, que pode entrar no ar após ?Cidade das Mulheres?, que estréia em março. O projeto é uma adaptação da opereta ?A Viúva Alegre?, de Franz Lehár.”

 

SBT

“Silvio Santos divide SBT em 2 ?empresas?”, copyright Folha de S. Paulo, 6/02/03

“O SBT é desde ontem uma emissora de televisão dividida em duas ?empresas?. O cargo de vice-presidente, ocupado por José Roberto Maluf, foi extinto. Maluf e vários diretores da emissora, como Nelson Kawano (jurídico), Paula Cavalcanti (produção) e Luiz Eduardo Borgerth, consultor para assuntos institucionais, pediram demissão ontem à tarde.

O comando da emissora será agora dividido por Guilherme Stoliar, sobrinho de Silvio Santos e superintendente comercial, e por Jean Teppé, que dirigia a área logística de produção (como a fábrica de cenários). Stoliar assumirá a ?empresa? (que na verdade não existe juridicamente) responsável pela área comercial (que perdeu três dos cinco diretores) e pelas afiliadas. Teppé assume a ?firma? da programação e produção. As áreas administrativa e financeira podem ser absorvidas pela holding do grupo Silvio Santos. Luiz Sandoval, presidente do grupo, ficará temporariamente supervisionando Stoliar e Teppé.

Maluf pediu demissão por não concordar com esse modelo de gerenciamento, já experimentado por Silvio Santos em 1996.

As medidas foram tomadas por Silvio Santos, insatisfeito com o pequeno lucro registrado em 2002 (versão oficial; no mercado fala-se em prejuízo). Programas fracos de ibope e com baixo faturamento deverão ser extintos. A parceria com a Televisa, por telenovelas, também deverá acabar.”

 

TV CULTURA

“Cultura cria comissão para cortar custos”, copyright Folha de S. Paulo, 5/02/03

“A Fundação Padre Anchieta, mantenedora da TV Cultura e dependente de recursos do governo estadual, criou um ?grupo de planejamento estratégico? para ?aprimorar? a programação da emissora, eliminar ?totalmente déficits orçamentários? e orientar investimentos em tecnologia.

A comissão, formada pelos principais diretores da fundação, foi criada em 2002, mas era mantida em certo sigilo. Sua existência só veio à tona anteontem, em reunião do superintendente, Manoel Luciano Vieira, com membros dos sindicatos dos artistas, radialistas e jornalistas e com o representante dos funcionários no conselho curador da fundação.

?Esse diagnóstico [da comissão] está em fase de conclusão. Será apresentado ao conselho e aos funcionários. Até o momento, portanto, não há nenhuma medida definida sobre as diretrizes administrativo-financeiras, envolvendo, inclusive, cortes de custos e de pessoal?, disse à Folha, por e-mail, o superintendente Vieira.

A Cultura vem sofrendo uma onda de boatos sobre demissões e extinção de programas _o que, em parte, já ocorreu, com o fim do ?Alô, Alô? e ?Musikaos?.

A TV sofreu no ano passado um duro golpe nas suas deficitárias contas. O governo do Estado cortou o repasse de R$ 18 milhões previstos no orçamento de R$ 87 milhões. Neste ano, o Estado prevê repasse de R$ 90 milhões, mas esse valor está sujeito a cortes.”

 

TV BANDEIRANTES

“Jornalista assume programação da Band”, copyright Folha de S. Paulo, 7/02/03

“O jornalista Marcelo Parada é o novo ?todo-poderoso? da TV Bandeirantes. Ex-diretor da rádio Bandeirantes (AM), ele responde desde a última segunda-feira pelas áreas de entretenimento, jornalismo e comercial da TV.

Embora haja outras três vice-presidências no organograma da Band, a de Parada é a mais importante. Ele é o novo chefe de Rogério Gallo, diretor-geral de programação e produção, com quem já articula as mudanças na grade, com novos programas, previstas para o final de março.

Parada já tinha cargo de vice-presidente desde o ano passado. Cuidava das áreas institucional, corporativa e da rádio Bandeirantes. Assume agora as funções antes ocupadas por Paulo Saad Jafet, primo do presidente da Band, João Carlos Saad. Jafet continua como vice-presidente, mas sem poderes sobre a programação e o comercial. Os outros dois vice-presidentes são Marcelo Meira (afiliadas, administração, finanças e Canal 21) e Roberto Oliveira (novos negócios, canais pagos Band News e Band Sports).

O jornalista Parada terá a missão de impulsionar o faturamento e a audiência da Band, que vem tendo seu quarto lugar no ranking do Ibope ameaçado pela Rede TV!. Em 2002, a emissora declarou um crescimento de 4% nas receitas, o menor entre as redes comerciais, e se viu forçada a vender parte do horário nobre para uma igreja evangélica.”

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem