Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

PRIMEIRAS EDIçõES > TV ESPANHOLA

Denúncia inédita de manipulação

Por lgarcia em 20/05/2003 na edição 225

TV ESPANHOLA

A Televisión Española (TVE, pública) está convocada pela Justiça para defender-se, nesta quinta-feira, dia 22, da acusação de "manipulação informativa", em ação que lhe move a entidade Comisiones Obreras (CCOO), por grave dano à "atividade de difusão, publicidade e informação veraz", informa Rosário G. Gómez [El País, 10/5/03]. A central sindical alega que o programa Telediario-2, dirigido e apresentado por Alfredo Urdaci, desenvolveu "autêntica campanha de propaganda (…) para favorecer o governo e criar uma opinião pública contrária" aos sindicatos e à greve geral de 20 de junho do ano passado.

A queixa contra a TVE foi apresentada à Justiça em 21 de março deste ano. É a primeira vez que a Audiencia Nacional (a Justiça espanhola) recebe uma demanda contra a TVE, de quem os sindicalistas cobram postura pública a serviço dos cidadãos. Para os sindicalistas, o cidadão "teve violentado seu direito à greve, já que recebeu informação absolutamente manipulada e tendenciosa, que não respeitou os princípios que devem reger a televisão pública".

A denúncia se baseia em estudo da empresa Aideka, contratada pelas CCOO, que concluiu: do total de 15 minutos e meio que o informativo TD-2 dedicou à greve, 13 minutos e 12 segundos foram contrários ao movimento, "com notícias sobre violência e pesquisas negativas". Somente dois minutos e 23 segundos mostraram-se favoráveis aos grevistas. Entre as entidades, o PP, partido conservador do primeiro-ministro José María Aznar, ganhou 59% do tempo; os socialistas mereceram 17,5%, os sindicalistas das CCOO, 6,1%, a CEOE, 5,7%, e os independentes, 4,6%.

El País informa que a denúncia enumera as técnicas de "desinformação e manipulação" empregadas pelo telejornal da TVE: a "ocultação de dados" ? não se falou no telejornal dos motivos da greve, tampouco foram exibidas as pesquisas que lhe eram favoráveis; o "desvio de atenção" ? insistiu-se em omitir os que a convocaram, os sindicatos, atribuindo-se a mobilização aos socialistas do PSOE, que apenas apoiavam o ato; a "falsidade na informação" ? negou-se que a reforma trabalhista extinguira o subsídio agrário; e a "intoxicação ? ênfase em suposta ação violenta dos piquetes.

Porta-voz da TVE afirmou confiar em que a audiência termine em acordo, e que a queixa não tem fundamento, porque a "Televisión Española e seus serviços informativos sempre foram respeitosos com os princípios de pluralidade, objetividade e veracidade". As CCOO não querem indenização em dinheiro: pedem apenas que a TVE abandone a prática da manipulação e divulgue a notícia se a sentença do juiz lhes for favorável.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem