Sábado, 25 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

PRIMEIRAS EDIçõES >

Desinformação política no ES

Por lgarcia em 20/06/1998 na edição 47

Victor Gentilli

 

A

primeira quinzena de junho foi extraordinariamente rica em acontecimentos políticos no Espírito Santo. Culminou com o afastamento da disputa sucessória estadual dos dois nomes que lideravam todas as sondagens eleitorais desde o início do ano: o senador Gérson Camata e o ex-prefeito de Vitória Paulo Hartung. O primeiro por desistência, o segundo por derrota na convenção do PSDB. Venceu o senador José Ignácio Ferreira.

Os leitores de jornais, porém, não tiveram acesso à maioria das informações. Porque os jornais insistiram na prática do jornalismo declaratório. Como ninguém falava, sequer em off, não havia matéria. Os partidos se movimentaram, as lideranças se movimentaram, o governo estadual se movimentou, mas estes movimentos, qualificados como "de bastidores", não foram noticiados simplesmente porque não havia quem os assumisse.

Ora, o compromisso do jornalista é com o seu leitor. É o leitor que paga para receber informações. A grande maioria dos jornalistas políticos acompanhava de forma plena os movimentos de bastidores. E sabia o que estava ocorrendo. Mas preferiu silenciar.

Pode ser o vício do jornalismo declaratório. Pode ter outras razões.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem