Quinta-feira, 19 de Outubro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº962

PRIMEIRAS EDIçõES > AMAMENTAÇÃO MATERNA

Empresas barram campanha do governo

Por lgarcia em 09/12/2003 na edição 254

AMAMENTAÇÃO MATERNA

Uma campanha publicitária para promover a amamentação materna foi modificada ? e suavizada ? após receber críticas de duas grandes fabricantes de fórmulas alimentares infantis. Onde? Nos EUA, é claro. As informações são do New York Times [4/12/03].

A Mead Johnson (da Bristol-Myers Squibb) e a Ross Products (da Abbott Laboratories) declararam que apóiam a iniciativa do governo em estimular o aleitamento materno, mas acham que a campanha original dava a impressão de que as fórmulas alimentares não seriam saudáveis e chegariam a ser nocivas às crianças.

Em nota, o Ad Council, grupo sem fins lucrativos que produziu a campanha para o governo, afirmou que a data de estréia da campanha ? que será veiculada em televisão, rádio e mídia impressa ? ainda não está certa. Originalmente, os comerciais focavam nos riscos associados à falta do leite materno na alimentação infantil. E, segundo o Ad Council, continham estudos comprovando que bebês alimentados com fórmulas apresentam um risco maior de desenvolverem asma, diabetes, leucemia e outras doenças. Com as críticas, estas doenças, consideradas mais "sérias", foram removidas da campanha, que falará agora dos riscos das crianças desenvolverem obesidade e infecções de ouvido.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem