Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

PRIMEIRAS EDIçõES > ASSESSORIA DE IMPRENSA

Ensaio de uma orquestra afinada

Por lgarcia em 14/10/2003 na edição 246

ASSESSORIA DE IMPRENSA

Assessoria de imprensa ? como fazer, de Rivaldo Chinem, 188 pp., Summus Editorial, São Paulo, 2003; R$ 29,40


[Do release da editora]

"Comunicação total" é o conceito de uma nova era da assessoria de imprensa que envolve ações de relações públicas, publicidade, design, recursos humanos e outras ferramentas poderosas de construção de imagem, conforme demonstra a obra Assessoria de imprensa ? como fazer, do jornalista, professor, conferencista e escritor Rivaldo Chinem.

Chinem trabalhou em assessoria de imprensa de pequenas, médias e grandes empresas, multinacionais, governos, deputados, vereadores, profissionais liberais, sindicatos e entidades de classe. Vencedor do Prêmio Wladimir Herzog, em 1982, atualmente é colunista do Portal Megabrasil. Já publicou as obras Terror Policia (com Tim Lopes), Sentença, Imprensa alternativa e Marketing e divulgação da pequena empresa. Atuou, ainda, na revista Veja e nos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo, além de dirigir o jornalismo da TV Gazeta.

Assessoria de imprensa é um livro atual, sintético e objetivo, recomendado a estudantes e profissionais da área de Comunicação. O autor aborda de forma prática questões como escolha do público-alvo, como noticiar fatos empresariais em notícias, as diferentes mídias, roteiro básico de trabalho e código de ética e a estrutura das grandes redações. Sugere, ainda, como redigir um release e organizar press kits.

Segundo o autor, a assessoria de imprensa está dentro do negócio maior da Comunicação. Ele recomenda que o assessor deve sair de uma visão atrasada e corporativista e praticar a comunicação organizacional de forma integrada: "Mais do que isso, deve participar profissionalmente de um mercado que movimenta, no Brasil, anualmente, bilhões de reais".

Difícil, mas nem tanto

O livro esclarece, por exemplo, a diferença entre assessoria de imprensa e agência de publicidade, dúvida comum entre os estudantes de Comunicação: ambas fazem a comunicação institucional, promocional ou publicitária de um produto ou de uma empresa. A publicidade trabalha com material de promoção, portanto paga pela empresa, enquanto a assessoria envia material redacional para a imprensa, que não é pago, mas sua publicação dependerá do interesse do leitor e do espaço de cada veículo. "No dia em que o empresariado entender que uma assessoria faz um magnífico trabalho, e que isso traz resultados surpreendentes, nosso campo profissional vai crescer significativamente", diz Chinem.

Sobre o papel do assessor, Chinem esclarece: "O principal é ter garra. O bom profissional tem um papel fundamental que não pode ser confundido com o do chato de plantão. Ele é o intermediário entre o jornalista e a fonte, conhecer sua função e saber se posicionar. Deve contribuir para que a informação possa chegar ao público, seja ela boa ou desfavorável para a corporação ou entidade que representa".

Atualmente é grande o número de empresas atuando na área e cada vez mais difícil conseguir espaço no jornal. Para vencer os obstáculos, Rivaldo afirma que o primeiro passo é pensar em uma boa matéria: "Ninguém resiste a uma boa pauta. A partir daí vai haver interesse. É preciso insistir, mesmo por telefone. Claro que é preciso saber que nem tudo se resolve com rapidez. Às vezes é preciso ter paciência com o retorno".

Trabalho em equipe é outro ponto ressaltado pelo jornalista. "Todas as pessoas de uma assessoria devem pensar que estão trabalhando como em uma orquestra, onde cada músico e seu instrumento são importantes."

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem