Sábado, 19 de Agosto de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº954

PRIMEIRAS EDIçõES >   JOGO DA VIDA

Esther Hamburger

Por lgarcia em 14/10/2003 na edição 246

MTV, 13 ANOS

“MTV abre o jogo para qualquer assunto”, copyright Folha de S. Paulo, 8/10/03

“A MTV iniciou a comemoração de seus 13 anos na Semana da Criança. Ao contrário da programação televisiva infantil, que, entra ano e sai ano, pouco ou nada evolui, a programação da emissora jovem se expandiu e se diversificou -curiosamente atraindo também crianças.

O canal da música permanece solidamente estruturado em torno da exibição de videoclipes. Diversos programas e VJs se alternam nos estilos diferentes de rock. O grosso da programação é pré-gravada. Mas há também algum espaço para o improviso.

A emissora incorpora níveis diversos de interação com o público ao longo do dia. Momentos ao vivo, como os do ?Videoclash?, contemplam a interação simultânea, em tempo real, envolvendo o voto na internet e o acompanhamento da disputa na tela. A galera pode se informar no site sobre os horários de exibição de clipes estreantes, momentos em que o repertório coletivo se alarga.

Esse núcleo rockeiro ?in? atrai, além do público alvo da emissora, crianças, que entre um desenho animado e outro, vão conferir suas músicas preferidas no ?Disk MTV?. Mais velhos se interessam por sapear o universo jovial.

A linguagem muitas vezes psicodélica dos clipes, as vinhetas bem-humoradas pouco clássicas, completam o tom informal dos apresentadores, contribuindo para uma unidade de estilo que reforça a mensagem jovem. A abundância de animações, efeitos gráficos, traços de cartum, oferecem um menu caleidoscópio a quem quiser observar. Causas modernas e politicamente corretas sensibilizam espectadores de todas as idades. Vinhetas defendem as baleias jubarte.

A temperatura vai aumentando na programação noturna. Em torno da música a emissora consolidou uma série de programas ?de intervenção?, que podem ser considerados como versões descoladas de quadros que há décadas fazem o sucesso de convencionais programas de auditório.

?Fica Comigo? é um desses. Com sua vinheta cor-de-rosa protagonizada por um casal de bonecos Playmobil, promove encontros amorosos entre jovens que se apresentam para ter sua foto veiculada, na esperança de encontrar, talvez mais do que um namoro, uma oportunidade de atuar profissionalmente.

A MTV foi se transformando em um posto avançado das escolas liberais. Na emissora é possível tratar de qualquer assunto -especialmente de sexo- desde que se abra o jogo. Campanhas de esclarecimento conclamam ao uso da camisinha como medida preventiva da Aids, de outras doenças sexualmente transmissíveis, além de gravidez adolescente.

A MTV, 13 anos depois, ainda é o espaço privilegiado de padrões visuais mais diversificados. Crianças e idosos também se encantam. (Esther Hamburger é antropóloga e professora da ECA-USP)”

 

NGT / ESTRÉIA

“NGT entra no ar com moda, arte e óvni”, copyright Folha de S. Paulo, 11/10/03

“Entrou no ar na última quarta-feira, em caráter experimental, a mais nova emissora de TV aberta do país, a NGT (Nova Geração de Televisão). A NGT está operando no canal 48 (UHF) de São Paulo, com oito horas de documentários sobre arte, moda e assuntos místicos/esotéricos, como óvnis.

Essa programação é toda terceirizada. Parte dela vem da programadora de TV paga argentina Claxson, com quem a NGT firmou parceria de um ano para exibir conteúdo dos canais Infinito (esotérico) e Fashion TV (moda). A outra parte vem da rede educativa brasileira STV.

Em novembro, segundo Márcio Tavolari, diretor artístico, a NGT passa a exibir 12 horas diárias de programação inédita, sendo seis horas de terceiros e seis próprias. As produções próprias começam a ser gravadas nesta semana, nos estúdios da emissora no Butantã.

A programação própria terá atrações musicais (um programa que a cada semana aborda um gênero), de comportamento (?Hora da Tribo?, sobre jovens) e uma revista cultural, entre outros.

A NGT pretende ser uma mistura de MTV com TV Cultura mais comercial. ?Queremos o público com espírito jovem, que não gosta de jornalismo sensacionalista, de novela nem de programa feminino com culinária?, diz Tavolari.

Com transmissores na torre da TV Paulista, na avenida Paulista, a NGT substitui a UniTV, concessão educativa de Osasco.

OUTRO CANAL

Notáveis 1

O Ministério da Justiça fechou nesta semana a composição da comissão que irá rever a legislação de classificação indicativa de programas de TV e espetáculos, que tende a ficar mais rigorosa. Portaria com os nomes será publicada na semana que vem.

Notáveis 2

A comissão, que não tem representantes das TVs, tem oito membros, entre eles: Fernando de Almeida Martins (procurador da República em Minas Gerais, autor de várias ações contra emissoras), Luiz Tarcísio Teixeira (secretário de Negócios Jurídicos da Prefeitura de São Paulo), Eugênio Bucci (Radiobrás) e Maria Rita Kehl (psicanalista).

Panorâmica

Presidente mundial da área de equipamentos da Sony, Kozo Kaminaga visitou anteontem a Record, a quem vendeu recentemente pacote de câmeras e ilhas de edição. O executivo aproveitou para sobrevoar São Paulo no helicóptero Águia Dourada 1, usado pelo telejornal policial ?Cidade Alerta?.

Túnel

Foi no mínimo tosca a edição do capítulo de anteontem de ?Mulheres Apaixonadas?. Na correria das gravações em cima da hora, os editores esqueceram de legendas informando uma passagem de duas semanas entre o enterro de Fred (Pedro Furtado) e o casamento de Helena (Christiane Torloni). Os que choravam numa sequência apareceram felizes da vida logo em seguida.”

 

TV RECORD

“Record toma três afiliadas do SBT no RS”, copyright Folha de S. Paulo, 13/10/03

“A Record concluiu na semana passada negociações em que to mará todas as afiliadas (três) do SBT no interior do Rio Grande do Sul. A partir de 1? de novembro, as TV Pampa de Pelotas, Carazinho e Santa Maria trocarão o sinal da segunda pelo da terceira maior re de de televisão do país.

Rede regional gaúcha, com qua tro emissoras, a TV Pampa já era parceira da Record, como afiliada em Porto Alegre. No início deste ano, a TV Pampa de Porto Alegre migrou para a Rede TV!, mas vol tou para a Record em abril.

Com a mudança, a Record, que pretende tornar-se a segunda maior audiência no ano que vem, passa a ter 93 afiliadas. Já o SBT cai de 113 para 110. A rede de Silvio Santos fica com uma única gera dora no Rio Grande do Sul, a de Porto Alegre, que é própria.

As três novas afiliadas da Re cord no RS cobrem 74 municí pios, com 2,4 milhões de telespec tadores potenciais. A Folha apu rou que a Record vai pagar cerca de R$ 300 mil mensais para ter as três emissoras, que recebiam ape nas R$ 60 mil do SBT.

Segundo Júlio César Casares, superintendente de rede do SBT, a perda das três afiliadas não irá causar grandes transtornos aos telespectadores. Desde o início do ano, diz, o SBT desenvolve o pro jeto ?Sul Total?, que já previa a saída da TV Pampa. Ainda em novembro, segundo Casares, o SBT cobrirá todo o Estado por meio de retransmissoras.

OUTRO CANAL

Empate A novela ?Mulheres Apaixonadas? chegou ao final sem atingir o objetivo do autor, Manoel Carlos, de ultrapassar ?O Clone? (2001/02) no Ibope. Ambas as novelas tiveram média geral, do primeiro ao último capítulo, de 48 pontos no Ibope nacional. São as maiores audiências desde ?A Indomada? (1997).

Festa 1 A Globo deve incluir em seu pacote pelas comemorações dos 450 anos de São Paulo, em janeiro, uma nova proposta, chamada ?SP Instantâneo?. Seriam seis crônicas sobre a cidade, escritas por Benedito Rui Barbosa, Glória Perez, Antônio Calmon, Silvio de Abreu, Euclydes Marinho e Alexandre Machado.

Festa 2 Cada crônica teria cinco minutos e seria encenada por elenco de quatro a seis atores. Benedito Rui Barbosa pensa em escrever sobre o São Paulo Futebol Clube, do qual é torcedor.

Calor A Record já vendeu a primeira cota de patrocínio do projeto ?Bahia 50 Graus?, programação ao vivo diretamente de Salvador em janeiro: para as Casas Bahia, por R$ 1,2 milhão.

Confirmado Filho de Flávio Cavalcanti, que até hoje inspira apresentadores e programas (como o ?Boa Noite, Brasil?, da Band), Flávio Cavalcanti Jr. vai mesmo seguir a carreira do pai. Será um dos apresentadores do ?SBT Rural?, que deve estrear dia 20.”

 

CIDADE DOS HOMENS

“Estética do morro carioca invade a TV”, copyright Folha de S. Paulo, 13/10/03

“A estética das favelas e da vida nos morros cariocas está de volta à tela da TV. Depois de uma bem-sucedida primeira temporada, exibida no ano passado pela Globo com ótimos índices de audiência, a microssérie ?Cidade dos Homens?, cria do filme ?Cidade de Deus?, de Fernando Meirelles, volta ao ar amanhã à noite, após ?Casseta & Planeta?.

Protagonizados por Darlan Cunha e Douglas Silva, a dupla Laranjinha e Acerola, os episódios retratam o cotidiano de dois garotos que vivem em um morro carioca e convivem com problemas como o tráfico de drogas, a falta de dinheiro e a relação da classe média com a favela.

Os atores são quase todos vindos dos grupos Nós do Morro e Nós do Cinema, associação cultural criada no morro do Vidigal, no Rio, cujos integrantes (inclusive os protagonistas) formaram o elenco de ?Cidade de Deus?.

Serão cinco histórias, exibidas às terças na Globo até 11 de novembro. Desta vez, cada história, com duração de cerca de 30 minutos, tem a direção de um nome diferente.

?Sábado?, a primeira história a ser exibida, amanhã, é assinada por Fernando Meirelles e se passa em um baile funk, retratando a relação dos garotos -que agora não são mais crianças- com as paixões, o sexo e as conquistas amorosas.

Os próximos episódios têm direção da atriz Regina Casé (?Tem que Ser Agora?), da co-diretora de ?Cidade de Deus? Kátia Lund (?Os Ordinários?), César Charlone (?Dois pra Brasília?) e Paulo Morelli (?Chapa Quente?). Dois deles, ?Tem que Ser Agora? e ?Dois pra Brasília?, têm a participação do cineasta Jorge Furtado (diretor do filme ?O Homem que Copiava?) no roteiro. CIDADE DOS HOMENS. Quando: amanhã, às 22h35, na Rede Globo.”

 

JOGO DA VIDA

“Um cupido na guerra da audiência”, copyright Folha de S. Paulo, 12/10/03

“Emissora que ainda carrega a fama de ?canal dos esportes?, e consequentemente de ?inimiga das mulheres? (pelo menos aos domingos), a Band quer virar o jogo a partir de hoje. Aposta todas as fichas em uma ex-dona de agência de namoros que se especializou em apresentar dramas humanos na televisão.

Márcia Goldschmidt, que diz ter 40 anos, foi escalada para entrar na guerra da audiência dominical, há sete anos monopolizada por Fausto Silva (Globo) e Gugu Liberato (SBT). Hoje, às 16h, ela estréia o ?Jogo da Vida?, um programa de três horas de duração, 70% desse tempo ao vivo.

Oficialmente, a escolha de Márcia para a missão foi amparada em pesquisas de grupo que apontam identificação das mulheres adultas, principalmente da classe C, com a apresentadora. Além disso, Márcia conseguiu neste ano a façanha de levar a Band à vice-liderança no Ibope, à frente do SBT, com o vespertino ?Hora da Verdade?, mesmo após a concorrência explorar suspeitas de que histórias relatadas no programa foram interpretadas por modelos.

Márcia, agora, não quer falar sobre esse assunto. Só sobre o ?Jogo da Vida?. ?É um programa que vai buscar o lado lúdico das relações humanas, o relacionamento afetivo, interpessoal, as emoções, que vai resgatar o direito de sonhar. Quero mostrar que as pessoas podem virar o jogo. Será um programa leve, para toda a família, para cima, para se acreditar que podemos ser felizes?, diz.

A apresentadora é humilde ao falar das expectativas de audiência. ?Sou a cartada para inaugurar uma programação que a Band não tem há 15 anos. Não é o desafio da audiência, mas o de criar hábito na audiência, de abrir portas. Sem essa de que a gente vai desbancar Faustão e Gugu, que levaram muito tempo para chegar aonde estão?, afirma.

História

Band e Márcia pouco revelaram na semana passada sobre o conteúdo de ?Jogo da Vida? (não houve entrevistas, em parte para evitar perguntas sobre o ?Hora da Verdade?). A apresentadora diz apenas que terá musical de Alexandre Pires, uma garota que gravou hits de Madonna, games com casais e um casamento surpresa.

Verdade seja dita, e a concorrência admite, Márcia sabe fazer o que se propõe, relatar histórias que circulam entre donas-de-casa da periferia. ?Tenho uma história muito parecida com a do povo.?

A história de Márcia daria um belo caso para seu programa. Filha de mãe solteira, foi morar em Paris com ?vinte e poucos anos?. Lá, diz ter passado fome e dormido na rua, mas venceu. Voltou, seis anos depois, com um suíço, com quem se casou no Brasil e de quem herdou o sobrenome Goldschmidt (ela não revela seu nome de solteira).

Aqui, montou a agência de relacionamentos ?Happy End?, que, diz, formou 2.000 casais. Graças à agência, e uma competente assessoria de imprensa, ganhou espaço na mídia, o que lhe rendeu um convite, em 1995, para apresentar um programa na Rede Mulher. Dois anos depois, viu no jornal que o SBT procurava uma mulher para ser a versão brasileira da norte-americana Ricki Lake. Assim nascia o ?Márcia?, que chegou a bater a Globo no Ibope em várias ocasiões. O ?Márcia? chegou ao fim e Márcia acabou na geladeira do SBT, até mudar para a Gazeta, em 2000, e para a Band, em 2001.

Ex-morena, a neoloira Márcia escreveu dois livros de auto-ajuda. Para manter seu ?corpinho de 18 anos? (54 kg/1m70), toma 30 comprimidos por dia e malha pelo menos duas vezes por semana.”

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem