Sábado, 21 de Outubro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº962

PRIMEIRAS EDIçõES > DOMINGO ILEGAL

Fez-se justiça

Por lgarcia em 30/12/2003 na edição 257

DOMINGO ILEGAL

Claudio Weber Abramo (*)

Nunca assisti a programa "jornalístico" do sr. Gugu Liberato e espero nunca ser forçado a fazê-lo. Dificilmente seja lá o que for que façam poderá ser chamado de jornalismo. Logo, minha saída para o dilema proposto é semântica: dado que o tal programa não é jornalístico, mas alguma outra coisa, a medida judicial de suspensão não pode ser chamada de censura à imprensa. Pode, talvez, ser designada censura a meio de entretenimento. Ocorre que sou favorável a isso. Não vejo por que emissoras de rádio e TV devem ter liberdade de colocar no ar o que lhes dê na telha. Pau neles.

Por outro lado, a punição de quebra de faturamento do programa devido à suspensão (a crer-se nos números dos jornais de 23/9) foi certamente muito mais rigorosa do que a multa monetária direta. O que é também bem-feito. Qual seria a alternativa: obrigar o programa a fazer alguma espécie de retratação, emenda, quadro ou o que seja? O resultado seria mais faturamento ainda para o SBT, o tal de Gugu etc. Isso não faria sentido. Assim, creio que se fez justiça.

(*) Secretário-geral da Transparência Brasil
http://www.transparencia.org.br

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem