Terça-feira, 25 de Junho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1043
Menu

PRIMEIRAS EDIçõES >

Folha de S. Paulo

Por lgarcia em 06/02/2002 na edição 158

COBERTURA DE GUERRA

"Al Jazeera dá versão de vídeo de Bin Laden", copyright Folha de S. Paulo, 2/02/02

"A rede de TV Al Jazeera, do Qatar, afirmou ontem que não divulgou entrevista com Osama bin Laden realizada em outubro de 2001 porque temia ser mais uma vez acusada por países ocidentais de ser ?porta-voz? do terrorista saudita -que admitiu, em vídeo, seu envolvimento nos atentados de 11 de setembro.

A entrevista, na qual o saudita afirma que a ?batalha contra os EUA? continuará, foi transmitida anteontem pela rede de TV americana CNN, que afirma ter obtido a fita por meio de uma fonte não governamental.

Segundo disse um jornalista da Al Jazeera para a agência de notícias Reuters, ?devido às circunstâncias da ocasião, levar ao ar a entrevista acentuaria a desconfiança de que a éramos ?porta-voz? de Bin Laden?. O nome do jornalista não foi divulgado.

Logo após os atentados de 11 de setembro, a Al Jazeera se tornou o foco das atenções internacionais por levar ao ar pronunciamentos de Bin Laden no Afeganistão.

Em comunicado oficial, a Al Jazeera afirmou não ter levado ao ar a entrevista com o saudita por considerá-la de má qualidade e com pouco conteúdo jornalístico.

Afirmando que a CNN obteve a entrevista de maneira ilegal, a rede de TV do Qatar decidiu romper anteontem suas relações com a rede de TV americana.

A CNN, que possuía acordo com a Al Jazeera, nega que tenha conseguido a fita de modo ilegal, segundo Eason Jordan, diretor de notícias da rede.

Na entrevista, Bin Laden afirmou que a ?batalha contra os EUA? continuará até a vitória ser conquistada. Questionado sobre o seu envolvimento nos atentados de 11 de setembro, o saudita afirmou: ?Se incitar as pessoas a fazer isso é terrorismo, se matar aqueles que matam nossos filhos é terrorismo, então deixemos que a história seja testemunha de que somos terroristas?."

"Al-Jazira acusa CNN de ter roubado vídeo", copyright O Estado de S. Paulo, 2/02/02

"A emissora árabe por satélite Al-Jazira, do Catar, anunciou que vai processar a TV a cabo americana CNN por ter ?obtido de maneira ilegal? e difundido na quinta-feira uma entrevista inédita com o terrorista Osama bin Laden realizada por sua equipe. A Al-Jazira rompeu o acordo de cooperação com a emissora dos EUA e a acusou de roubo.

A CNN assinalou em comunicado que o acordo de intercâmbio entre as duas empresas lhe dá direito a utilizar todo seu material, ?sem limites?.

Garantiu não ter feito ?nada ilegal? e informou haver obtido o material de uma ?fonte não- governamental?. A entrevista foi feita por um repórter da TV árabe em 21 de outubro, mas a emissora não a divulgou alegando, segundo a CNN, que a matéria não tinha valor informativo e a qualidade técnica era baixa. Mas um jornalista da Al-Jazira disse ontem, sob anonimato, que a emissora temia ser vista como porta-voz de Bin Laden, já que era criticada por ter difundido anteriormente declarações dele. Fontes da Reuters na região disseram que a entrevista pode não ter ido ao ar porque nela Bin Laden critica o apoio dado pelo Catar – país que financia a Al-Jazira – aos EUA.

Bin Laden diz no vídeo que as acusações dos EUA contra ele e outros muçulmanos – de realizar atos terroristas – não estão provadas. E acrescenta: ?Se incitar pessoas a fazerem isso é terrorismo, se matar os que matam nossos filhos é terrorismo, então, deixe a história ser testemunha de que somos terroristas.?"

Todos os comentários

Siga o Observatório da Imprensa
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Termos de Uso
x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem