Segunda-feira, 28 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº988
Menu

PRIMEIRAS EDIçõES > ***

Folha Online

Por lgarcia em 15/07/2003 na edição 233

CASO SILVIO SANTOS

“Na TV, Silvio Santos pede desculpas por ?gozação?”, copyright Folha Online (www.folha.com.br), 13/7/03

“O empresário Silvio Santos, 72, foi hoje ao programa ?Domingo Legal?, apresentado por Gugu Liberato, para dizer que a entrevista à revista ?Contigo!? não passou de uma ?gozação? e pediu desculpas ao público brasileiro pelo episódio. Na entrevista, Silvio Santos dizia que vendeu o SBT e que tinha apenas seis anos de vida.

?Foi uma brincadeira que não saiu como eu queria e que passou a ser uma brincadeira de mal gosto?, disse o empresário.

Por telefone, Silvio Santos disse acreditar que jamais a ?Contigo? publicaria a entrevista por se tratar obviamente de uma brincadeira. ?A repórter perguntou se eu tinha me aposentado. Disse que sim, que vendi o SBT para o Boni [José Bonifácio Sobrinho] e para a Televisa?, afirmou.

O empresário disse que o episório lhe rendeu uma imensa ?dor-de-cabeça?. Disse que recebeu ligações de toda a imprensa nacional e internacional para confirmar a venda do SBT.

Agradeceu ao apresentador Gilberto Barros, do programa ?Boa Noite Brasil?, da Bandeirantes, pela iniciativa de enviar um repórter a Orlando e esclarecer a questão ao público brasileiro. O repórter da Bandeirantes conversou sobre a entrevista com Silvio Santos, que não sabia que estava sendo gravado.”

“Na TV, Silvio Santos afirma que entrevista à revista foi ?gozação?”, copyright Folha de S. Paulo, 12/7/03

“O apresentador Silvio Santos disse ontem ter sido uma ?gozação? a entrevista que deu à revista ?Contigo!?, afirmando que teria mais seis anos de vida e que vendera o SBT à rede mexicana Televisa e a José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni.

A explicação foi dada em uma nova entrevista, concedida em sua casa em Orlando a um repórter do ?Boa Noite, Brasil?, exibido na noite de ontem, na Band.

Na conversa com o jornalista, Silvio Santos, 72, estava de pijama. O apresentador disse que a repórter da ?Contigo!? ligou para a sua casa e ele ?deu corda?. ?Isso não é verdade, é uma mentira.?

O empresário disse que se ?aparecer alguém para comprar? o SBT ele vende. ?Pagando R$ 2 bilhões [vendo], mas ninguém paga.? Contou que o Boni tentou comprar a rede, mas que não quis pagar R$ 1 bilhão estipulado por ele. Pela oferta, disse Silvio, a Televisa entraria com mais R$ 1 bi.

O ?Boa Noite, Brasil? ficou em terceiro lugar de audiência, com média de seis e pico de nove. Normalmente, obtém cinco de média, mas o pico já chegou a 13, com a participação de Alexandre Frota (cada ponto equivale a 48,5 mil domicílios na Grande SP).

A Televisa negou ontem, em nota oficial, que esteja negociando a compra do SBT. O comunicado lembra que a emissora tem, desde 2001, um acordo de troca de programação. O contrato, válido até dezembro de 2006, também prevê que a rede mexicana tenha a prioridade de adquirir participação acionária no SBT, caso Silvio decida vender. Segundo a nota, a Televisa não está ?estudando exercer esta opção [de compra]?.”

“E ele estudando inglês…”, copyright O Estado de S.Paulo, 14/7/03

“Enquanto a mídia se deliciava com a entrevista de Silvio Santos à revista Contigo!, em que ele disse, por pura brincadeira, que está à beira da morte, o empresário se entretinha, em sua casa na Flórida, com um programa de computador para aprender inglês. Na quinta-feira, a pedido dos vizinhos do empresário no condomínio, a polícia expulsou do local um cinegrafista e um fotógrafo.

Antes mesmo que Silvio admitisse a piada, o diretor de programação da Record, Luciano Callegari, seu ex-braço direito, já apostava que não havia doença alguma nem venda do SBT. ?Desde o início de sua carreira, ele nunca vendeu nenhum de seus bens, nem um carro. Não faria isso com o SBT, que é a sua vida?, disse Callegari.

***

“Televisa afasta negociação para compra do SBT”, copyright O Estado de S.Paulo, 11/7/03

“Cidade do México – A rede mexicana Televisa distribuiu hoje de manhã um comunicado informando que não iniciou qualquer negociação para a aquisição de participação no grupo brasileiro. A Televisa detém a opção de compra da emissora, limitada a 30%, como parte de acordo de programação firmado entre a companhia mexicana e o SBT, em 2001. Mas a rede frisa que atualmente não avalia o exercício de tal opção, que expira em dezembro de 2006. As informações são da Dow Jones.

Em entrevista à revista Contigo, publicada ontem, o dono do SBT, Silvio Santos, afirmava ter vendido a emissora para o grupo mexicano e para um grupo de empresários liderados por José Bonifácio Oliveira Sobrinho, o Boni. Boni classificou as afirmações como a ?pegadinha do ano?. Na mesma entrevista, Silvio Santos dizia sofrer de um grave problema no coração e que os médicos haviam-lhe dado um prazo de seis anos de vida.”

***

“Venda do SBT, só com autorização do Ministério”, copyright O Estado de S.Paulo, 10/7/03

“Brasília – A venda do grupo SBT, anunciada pelo empresário Silvio Santos, em entrevista à revista Contigo somente poderá ser concretizada após autorização prévia do Ministério das Comunicações, e deverá ser comunicada ao Congresso Nacional. As exigências constam da Lei 10.610, de 20 de dezembro de 2002, que regulamentou a abertura do setor de mídia ao capital estrangeiro. A Emenda Constitucional 36, que entrou em vigor em maio do ano passado, permitiu que empresas de radiodifusão, entre outras, possam ter até 30% de seu capital total e vontante em mãos de estrangeiros.

A propriedade das empresas continua restrita a brasileiros natos ou naturalizados há mais de 10 anos. Mas a emenda também permitiu que as empresas sejam controladas por empresas constituídas sob as leis brasileiras e com sede no País. Até então, a posse era restrita a pessoas físicas. A lei reserva também a brasileiros natos ou naturalizados a gestão das empresas e a escolha de conteúdo.

Segundo o artigo 38, alínea C da lei 10.610, ?a alteração dos objetivos sociais, a modificação do quadro diretor, a alteração do controle societário das empresas e a transferência de concessão, da permissão ou da autorização dependem, para sua validade, de prévia anuência do órgão competente do poder Executivo?. Este órgão é o Ministério das Comunicações.

A Anatel é competente apenas para fazer fiscalização do uso das frequências pelas empresas de radiodifusão. A lei considera ainda ?nulo de pleno direito? qualquer acordo que procure burlar as restrições à propriedade e à gestão, e proíbe os órgãos de registro civis ou comerciais de registrarem operações que não respeitem as restrições.”

***

“Televisa confirma negociação com SBT”, copyright O Estado de S.Paulo, 10/7/03

“O grupo mexicano Televisa confirmou hoje que mantém negociações para aquisição de participação no SBT, segundo a Dow Jones. No entanto, conforme o porta-voz da rede mexicana, Manuel Compean, a transação não foi concluída, ao contrário do que disse Silvio Santos à revista Contigo. ?Não há um acordo ainda?, disse Compean. ?As negociações não estão concluídas e a avaliação da empresa pode levar algum tempo?, acrescentou. Segundo Silvio Santos, porém, o negócio já foi fechado e ele só aguarda o pagamento, no valor de R$ 1 bilhão.

A rede Televisa é um dos maiores conglomerados da área de comunicação no mundo de língua hispânica. A Televisa detém 74% de audiência do mercado mexicano por meio de suas quatro redes de TV. Consegue ainda abocanhar quase todo o mercado hispano dos EUA por meio da Univision, empresa líder em espanhol. O grupo distribui ainda sua programação na América Latina, Europa, Ásia e África. O Grupo Televisa é proprietário ainda da maior editora de revistas em espanhol do mundo que atua em 18 países com mais de 50 títulos.

A Televisa teria opção de compra de até 30% de participação no grupo brasileiro SBT, segundo as normas brasileiras vigentes para participação de estrangeiros em empresas de comunicação.

Segundo Silvio Santos, a venda do SBT envolveria também o ex-vice-presidente de Operações da Rede Globo, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, e o empresário carioca Alexandre Accioly. No entanto, o filho de Boni, o Boninho, atual diretor de núcleo da Rede Globo, nega qualquer negociação com Silvio Santos ou o canal mexicano Televisa para comprar o SBT ou estabelecer parcerias. À revista Contigo, também o empresário carioca nega a transação.”

Todos os comentários

Siga o Observatório da Imprensa
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Termos de Uso
x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem