Terça-feira, 11 de Dezembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1016
Menu

PRIMEIRAS EDIçõES >

Helicópteros fora do ar

Por lgarcia em 03/10/2001 na edição 141

CENSURA NOS EUA

Faz mais de duas semanas que não sai do chão o helicóptero da estação KTVK, que confere o tráfego e possíveis notícias na região de Phoenix, EUA, para programa matinal de quatro horas. Desde os ataques do dia 11 de setembro a Administração Federal de Aviação (FAA) proibiu o vôo de helicópteros de meios de comunicação, embora já tenha liberado planadores, aviões de pára-quedismo, balões e mesmo alguns helicópteros.

Phil Alvidrez, diretor-executivo de notícias da KTVK, acha que a preocupação da FAA é em relação a jornalismo e cobertura. "Proibição de cobertura pela FAA é um precedente perigoso", diz.

A Associação de Diretores de Notícias de Rádio e TV (RTNDA) pediu ao governo que suspenda a restrição, que considera "constitucionalmente suspeita". Barbara Cochran, presidente da RTNDA, disse que o governo federal deve em breve responder ao apelo de sua associação. De acordo com David Bauder [The Associated Press, 25/9/01], Hank Price, porta-voz da FAA, disse que os helicópteros estão proibidos "para a segurança nacional".

Nos EUA, 34% das emissoras de TV têm seus próprios helicópteros ou os alugam, segundo pesquisa recente da RTNDA. Até agora, a KTVK não deixou de fazer suas reportagens, afirma Alvidrez. Mas uma vez que a área de cobertura é ampla ? grande parte do estado do Arizona ? a emissora freqüentemente usa helicópteros para transportar repórteres ao local da notícia. O aparelho também é essencial para noticiar incêndios em florestas ou eventos no Grand Canyon.

MULHERES EM PERIGO

A BBC News (28/9/01) informa que uma correspondente do Sunday Express, a britânica Yvonne Ridley, foi presa no Afeganistão, perto de Jalalabad, cidade perto da fronteira com o Paquistão, acusada pelo Talibã de entrar no país ilegalmente.

A organização Afhgan Islamic Press (AIP), sediada no Paquistão, informou que Yvonne teve a cabeça envolta por uma manta ao ser presa com dois guias. Segundo autoridades citadas pela AIP, a correspondente não levava o passaporte e teria entrado ilegalmente no distrito de Daur Baba. O Afeganistão tem expulsado jornalistas estrangeiros e se recusado a emitir novos vistos.

    
    
                     

Mande-nos seu comentário

Todos os comentários

Siga o Observatório da Imprensa
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Termos de Uso
x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem