Terça-feira, 19 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

PRIMEIRAS EDIçõES > TELETIPO

Informante condenado

Por lgarcia em 29/01/2003 na edição 209

TELETIPO

Um ex-analista da Drug Enforcement Administration (DEA) foi condenado a um ano de prisão por ter vendido informação secreta do governo americano a um jornal londrino. Jonathan Clay Randel admitiu ter vazado informações sobre o empresário britânico Michael Ashcroft (que fez doações polpudas ao partido conservador) a um correspondente freelance do Times, em 1999. Informa a AP [16/1/03] que Randel teve acesso aos arquivos da DEA e teria vendido a informação por US$ 13 mil.

O governo americano abandonou a campanha publicitária destinada a apresentar o país de forma positiva no mundo muçulmano. Claire Cozens [Guardian, 17/1/03] revela que a iniciativa, estimada em US$ 15 milhões, envolvia comerciais de TV mostrando muçulmanos bem-sucedidos na América, a serem exibidos em diversas nações. No entanto, quando muitos governos ? como os do Egito, Líbano e Jordânia ? se recusaram a veiculá-los, e a campanha (que começou em outubro, na Indonésia) foi cancelada sem gastar metade do orçamento previsto.

Leia também

A China bloqueou o acesso ao sítio Blogspot.com, usado por milhões de pessoas em todo o mundo para criar weblogs (diários virtuais). A página saiu do ar há uma semana. Segundo o Ministério da Informação, o bloqueio pode ocorrer devido a material pornográfico ou considerado comprometedor para os interesses do governo. “O governo de Pequim jamais diria a sítios ocidentais o que podem ou não publicar. Eles têm liberdade de expressão”, disse uma autoridade. “Então, ele só tira o acesso.” Em março, 130 grandes portais de internet, como o Yahoo!, assinaram acordo de autocensura para não serem bloqueados no país. Informações da Reuters [15/1/03].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem