Sábado, 25 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

PRIMEIRAS EDIçõES > GLOBO vs. VASCO

José Alberto Bombig

Por lgarcia em 21/02/2001 na edição 109

GLOBO vs. VASCO

"US$ 19 mi alimentam a disputa Eurico x Globo", copyright Folha de S. Paulo, 13/02/01

"Uma dívida de US$ 19 milhões é o principal ponto de discórdia entre o Vasco e a Rede Globo.

O clube carioca, por meio da VGL (Vasco da Gama Licenciamentos S/A), tomou o dinheiro emprestado da Globo Esportes no final do ano passado e não pagou.

Como garantia, a VGL havia empenhado os direitos de transmissão pela TV dos jogos do clube carioca.

Na prática, isso significou uma antecipação de receitas, já que a Globo detém os direitos sobre os principais campeonatos do país nos próximos anos.

Sem receber, a Globo Esportes afirma ter o direito de transmitir os jogos do clube carioca, presidido pelo deputado Eurico Miranda (PPB-RJ), sem precisar pagar um centavo nos próximos três anos.

A Globo Esportes é o braço da emissora nos negócios envolvendo o futebol. A VGL é uma empresa formada pelo Vasco e pelo Bank of America, uma das principais instituições financeiras dos EUA, para explorar os direitos de TV, Internet, placas publicitárias e licenciamentos do clube.

O valor do empréstimo (quase R$ 40 milhões) foi repassado da Globo para a VGL.

É comum a Globo Esportes realizar operações deste tipo com clubes brasileiros. ?Nós sempre recorremos a essas antecipações, quando necessário?, diz o presidente do Cruzeiro, Zezé Perrela.

Segundo a Folha apurou, a emissora atende aos pedidos de antecipação, mas em geral os números não superam R$ 3 milhões.

No caso do Vasco, por causa do valor elevado, Globo e VGL acordaram em transformar a operação em empréstimo, tendo como garantia os direitos de TV.

Aí nasceu a confusão. Em grave crise financeira, o Vasco não reembolsou a emissora.

Por causa disso, a Globo suspendeu os pagamentos dos direitos de TV do clube já no Estadual do Rio de Janeiro e no torneio Rio-São Paulo, sobre os quais a Globo Esportes tem os exclusivos direitos de transmissão.

Eurico Miranda não aceita a perda dos direitos. Diz que se não receber logo da Globo Esportes vai proibir a emissora de transmitir os jogos do Vasco da Gama.

Eurico se recusa, porém, a dar detalhes sobre a dívida. ?O que eles dizem não me interessa?, afirmou o deputado, que diz estar sendo vítima de campanha contra ele, tramada pela Globo.

Ele, que é investigado por duas CPIs, diz que a emissora é quem está devendo ao Vasco da Gama.

Marcelo de Campos Pinto, principal executivo da Globo Esportes, afirma que a empresa não abre mão de seus direitos e que Eurico Miranda está tentando encobrir seus problemas com a criação de ?factóides?.

O próprio Campos Pinto reconhece que a ?marca? Vasco da Gama vale muito mais do que US$ 19 milhões, mas diz que a emissora não pode ser vítima dos erros de Eurico. ?Não existe perseguição contra ninguém. São negócios apenas?, disse.

Nos últimos anos, Eurico, um dos principais dirigentes do Clube dos 13, a associação dos maiores times do país, se destacou na negociação dos direitos de transmissão da entidade.

A crise nos negócios entre Vasco e Globo se agravou no início deste ano, quando o presidente do clube partiu para o ataque na final do Copa João Havelange, mas afirmou que o verdadeiro motivo da discórdia haviam sido as declarações do locutor Galvão Bueno durante a partida em que o alambrado do estádio São Januário desabou, dia 30 de dezembro.

Na ocasião, Galvão Bueno defendeu a interrupção da partida, na qual 210 torcedores do Vasco da Gama ficaram feridos.

Eurico era favorável à continuação do jogo, que acabou cancelado e disputado no dia 18 janeiro último, quando o Vasco entrou em campo ostentando a marca do SBT, concorrente da TV Globo.

Desde então, o deputado tem aparecido em programas televisivos de concorrentes da Globo.

Na última quinta-feira, ele foi ao ?Programa do Ratinho?, no SBT, e resvalou no principal problema das divergências entre as partes, mas afirmou que tinha dinheiro para receber da emissora.

No dia seguinte, a Globo divulgou nota dizendo que não deve nada ao Vasco da Gama.

A Folha não conseguiu ouvir ontem a VGL."

"?Se não pagar, não transmite?, diz vascaíno", copyright Folha de S. Paulo, 13/02/01

"O presidente do Vasco da Gama, deputado federal Eurico Miranda (PPB-RJ), não admite dar à Globo Esportes os direitos de transmissão pela TV dos jogos do clube em troca da dívida.

?Se a Globo não pagar, não vai transmitir?, disse Eurico Miranda ontem. Para ele, o acordo da emissora com a VGL (Vasco da Gama Licenciamentos S/ A) não está diretamente relacionado aos negócios do clube carioca.

A VGL, ao contrário do que diz o dirigente, foi criada pela parceria do clube com o Bank of America, para administrar os direitos de imagem do clube.

Por contrato, é a empresa quem tem o direito sobre a marca Vasco da Gama.

Segundo a Globo Esportes, os valores relativos aos direitos de transmissão são pagos à VGL desde 1999 atendendo a pedidos do próprio Eurico.

O Vasco tem vaga assegurada nas principais competições desta temporada, entre elas a Taça Libertadores.

Nesse caso, a emissora deverá acionar o seu departamento jurídico para fazer valer seus direitos."

"Emissora aponta relação ?excelente?", copyright Folha de S. Paulo, 13/02/01

"A Rede Globo diz que, apesar da dívida, vem mantendo um relacionamento profissional com o Vasco da Gama.

?Nosso relacionamento com o Vasco sempre foi excelente. E, de nossa parte, ele continuará sendo. Não temos nada contra o clube, muito pelo contrário?, disse Marcelo de Campos Pinto, diretor da Globo Esportes.

A Globo está transmitindo normalmente jogos do Vasco da Gama pelo Estadual do Rio de Janeiro e pelo torneio Rio-São Paulo, as duas competições praticamente bancadas pela emissora, que está entre os maiores investidores do futebol brasileiro.

Só pelo Brasileiro-2001, a Globo Esportes pagou US$ 70 milhões. Mas o presidente do Vasco está conclamando a torcida do clube, um dos maiores e mais tradicionais do país, a boicotar e até hostilizar a Rede Globo.

Em suas entrevistas, o dirigente, que é deputado federal pelo PPB-RJ, diz que a Globo é contra o clube e, por isso, o agride.

Em parte, a estratégia tem dado certo. Na última quarta-feira, vascaínos protestaram no Rio de Janeiro, à noite, contra a emissora. Quem preferiu ir às ruas perdeu a transmissão da partida Santos x Vasco pela Rede Globo.

O deputado afirma que está sendo vítima de uma campanha, que inclui a área de jornalismo da Globo, para desmoralizar o Vasco.

Os ataques à emissora foram a tônica do discurso de posse de Eurico Miranda na presidência do Vasco, no último dia 28. Na solenidade, ele contou com o apoio do prefeito do Rio de Janeiro, César Maia (PTB).

Ele também insinuou que deputados das CPIs do Congresso estão atuando conforme interesses da Globo. A emissora negou.

Eurico é investigado no Senado e na Câmara, onde é ao mesmo tempo integrante e alvo de apurações da CPI da CBF/Nike.

No último dia 3, o ?Jornal Nacional?, da TV Globo, mostrou documentos que ligam Eurico Miranda a uma casa e a duas empresas na Flórida. O deputado negou ter relação com as mesmas.

?Uma coisa são os negócios da Globo Esportes, outra é o jornalismo, que não está ligado a interesses comerciais.?, disse Campos Pinto."

Volta ao índice

Caderno da Cidadania ? texto anterior


Mande-nos seu comentário

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem