Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

PRIMEIRAS EDIçõES > EM CRISE

José Paulo Lanyi

Por lgarcia em 19/02/2003 na edição 212

GZM EM CRISE

“GZM: a 1? audiência dos R$ 30 milhões”, copyright Comunique-se (www.comunique-se.com.br), 12/02/03

“Já está marcado o primeiro round judicial pelos R$ 30 milhões reivindicados pelos funcionários da Gazeta Mercantil: terça-feira (18/02), 10h15, na 26? Vara do Trabalho, em São Paulo. Em pauta, salários atrasados e o FGTS dos 376 signatários da ação do dia 10 de janeiro.

Nos bastidores, comenta-se mais um ?atraso? no cumprimento das promessas da empresa.

Na sexta-feira (07/02), o diretor de redação, Luiz Recena, disse a editores do jornal que a partir do dia 20/02 os salários vindouros passariam a ser pagos regularmente. É raro quem acredite. Primeiro porque, como se não bastassem as outras tantas juras esmaecidas, mais uma delas acabou ficando pela trilha: a do pagamento, nesta terça-feira (11/02), dos salários das faixas 5 a 12, relativos à quinzena de 20/12.

Mais uma? A conclusão do negócio com German Eframovitch, dono da Marítima e concorrente de Nelson Tanure. Naquela mesma reunião, Recena disse que o contrato seria assinado também na terça-feira que passou (11/02). Até hoje nada e, pelo jeito, há uma dificuldade geográfica atrapalhando tudo: consta que Luiz Fernando Ferreira Levy está em Miami; Eframovitch, em Cingapura.

Há uma predição que ainda está por vencer. Sob os protestos pelo não-pagamento das faixas 5 a 12, anunciou-se para esta quinta-feira (13/02) o depósito dos salários da faixa 5, referentes àquela mesma quinzena. Até o fechamento desta edição, a grana não havia saído.

Na sexta-feira, falava-se da natureza do negócio do porvir: um contrato de gestão, não uma venda pura e simples. A empresa também propôs que todos os débitos trabalhistas fossem negociados caso a caso.

A Associação dos Funcionários reuniu-se hoje na sede do escritório da Martins&Salvia Advogados, na zona sul de São Paulo. A assembléia rejeitou a negociação individual. Os funcionários querem que a empresa chegue a um acordo geral com os funcionários, representados pela Associação, e com o Sindicato dos Jornalistas, que encerrou nesta quarta-feira (12/02) o diálogo que mantinha com a empresa havia oito meses, em ?mesas-redondas? na delegacia regional do trabalho. A Gazeta Mercantil tentou, em vão, adiar o encerramento das conversas.

Se houver consenso empresa-funcionários sobre o pagamento dos débitos – e sobre a venda do jornal-, será sob a égide da ação trabalhista que está em curso.

O próximo papo é na Justiça.”

“SJPSP encerra diálogo com GZM”, copyright Comunique-se (www.comunique-se.com.br), 12/02/03

“O sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo pediu o encerramento das mesas-redondas com a Gazeta Mercantil na Delegacia Regional do Trabalho. A última etapa aconteceu nesta quarta-feira (12/02), na DRT de Santo Amaro, em São Paulo. O sindicato e o jornal negociavam um calendário para o acerto dos débitos da empresa com os funcionários.

A Gazeta Mercantil tentou o adiamento da mesa-redonda, alegando que as negociações para a venda da empresa estavam adiantadas. O sindicato recusou e pediu à DRT a fiscalização imediata dos salários e do FGTS devidos pelo jornal. Encaminhou ainda ao Ministério Público do Trabalho o pedido de um processo de investigação da situação da empresa e a cobrança de providências contra os atrasos de salário.

O presidente do sindicato, Fred Guedini, rejeita a ausência do sindicato e dos funcionários da GZM nas negociações de venda da empresa. ?Sem a participação de todos, não podemos acreditar nesse negócio?.”

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem