Domingo, 19 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

PRIMEIRAS EDIçõES > CINEMA

Lions Gate compra Artisan e é maior estúdio independente

Por lgarcia em 23/12/2003 na edição 256

CINEMA

O estúdio americano canadense Lions Gate Entertainment comprou a americana Artisan Entertainment por US$ 220 milhões (incluindo uma dívida de US$ 60 milhões da segunda), tornando-se o maior estúdio independente de Hollywood.

A Artisan foi criada em 1997 e, em 1999, tirou a sorte grande ao comprar os direitos do filme Bruxa de Blair, que custou US$ 250 mil e rendeu US$ 140 milhões nas bilheterias. Depois, contudo, fez apostas erradas, como Ninth Gate, de Roman Polanksi, e perdeu muito dinheiro. Em 2000, um novo presidente, Amir Malin, cortou gastos e conseguiu estancar sua dívida. A Lions Gate nasceu no mesmo ano que a Artisan, pelas mãos do ex-banqueiro Frank Giustra, mas com aspirações mais modestas. Começou a fazer dinheiro comprando filmes rejeitados pelos grandes estúdios, como Dogma, em que a cantora Alanis Morissette fez o papel de Deus, e O, uma versão moderna de Othello, na qual a trama criada por William Shakespeare foi transferida para uma escola secundária, pouco após o incidente em que dois alunos atiraram contra colegas numa escola na cidade de Columbine.

Sharon Waxman, do New York Times [16/12/03], explica que a Lions Gate deve dobrar seus lucros com o faturamento proveniente da Artisan, graças a seu catálogo de 7.000 filmes que, licenciados para distribuidoras de vídeo e emissoras de TV, rendem um bom dinheiro. Os estúdios independentes têm enfrentado dificuldades para subsistir nos EUA. Quando começam a ter muito lucro, são compradas pelas grandes corporações de mídia, como aconteceu com a Miramax, engolida em 1993 pela Disney.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem