Quarta-feira, 26 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1006
Menu

PRIMEIRAS EDIçõES > CENSURA NO RS

Lutar é Preciso

Por lgarcia em 30/10/2002 na edição 196

CENSURA NO RS

SindjusRS (*)

Na tarde de ontem, 24/10/2002, as sua últimas edições do jornal Lutar é Preciso, números 36 e 37, começaram a ser apreendidas em todo o estado. A coligação União Pelo Rio Grande do candidato a governador Germano Rigotto (PMDB) ingressou com pedido de busca e apreensão do material junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Até o fechamento deste informativo, temos a notícia de que a apreensão já ocorreu nas comarcas de Tupanciretã, Taquara, Alegrete, Bagé, Butiá, Tramandaí e Cruz Alta.

Por certo, o motivo desta demanda judicial foram as publicações dos históricos votos do candidato Rigotto (PMDB) quando exerceu mandatos de deputado estadual e federal. São notícias que circularam e circulam até hoje na grande imprensa local e nacional. São fatos que podem ser comprovados a qualquer tempo.

Institutos como o Diap (Departamento Intersindical de Assessoramento Parlamentar) e até as próprias atas das sessões da Assembléia Legislativa e da Câmara dos Deputados servem como fonte dessas informações, e estão acessíveis a qualquer cidadão. O Sindjus, como entidade representativa de trabalhadores, tem a obrigação de informá-los acerca dos assuntos de interesse da categoria.

A atuação do deputado Rigotto, quando das alterações nas aposentadorias, nas privatizações das empresas estatais e na retirada da estabilidade dos servidores públicos, só para exemplificar, é de interesse dos trabalhadores. Partimos do pressuposto de que o trabalho dos homens públicos, suas atuações e comportamentos devem estar sob constante análise e avaliação da sociedade.

Portanto, é inaceitável esse tipo de postura. Não será calando a imprensa que se chegará ao poder e à dominação de um povo. Por isso repudiamos essa atitude que atacou a liberdade de expressão e feriu o direito à informação, garantidos na Constituição Federal.

Seguiremos defendendo os trabalhadores e combatendo aqueles que querem calar a sua voz. O Sindicato dos Servidores da Justiça defende a livre expressão e a democracia, respeitando a lei e a pluralidade de pensamento.

(*) Sindicato dos Trabalhadores no Judiciário; e-mail <sindjus@sindjus.com.br>

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem