Mais prisões no Irã | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Segunda-feira, 20 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

PRIMEIRAS EDIçõES > VIOLÊNCIA CONTRA JORNALISTAS

Mais prisões no Irã

Por lgarcia em 01/07/2003 na edição 231

VIOLÊNCIA CONTRA JORNALISTAS

Amir Teirani e Reza Bouzeri foram as últimas vítimas da onda de prisões de profissionais de imprensa empreendida pelo Irã. Com pelo menos 16 presos, o país é o que tem maior número de jornalistas encarcerados no Oriente Médio.

A organização Repórteres Sem Fronteiras [24/6/03] pleiteia a imediata libertação de todos eles, acusados de terem incitado protestos estudantis contra o governo. Ali Reza Jabari, que contribuía para diversos jornais independentes, foi condenado a três anos de prisão, 253 chicotadas e multa de cerca de mil euros. Oficialmente, seu crime foi "consumo e distribuição de bebidas alcoólicas, adultério e atos imorais".

O editor do sítio Alliran e do diário reformista Jameh,
Mohsen Sazgara, está em greve de fome desde sua detenção
em 15/6/03. Sua mulher também está sem comer, em protesto contra
a prisão do marido.

 

No dia 25/6/03, uma semana após receberem voz de prisão, Sayed Mahdavi e Ali Riza Payam, responsáveis pelo semanário afegão Aftab e presos sob acusação de ofender o Islã, foram soltos, mas ainda devem sofrer processo. Segundo a AP [25/6/03], eles publicaram artigo em que acusam líderes do norte do Afeganistão de "construírem palácios com as mãos sujas de sangue" e afirmam que o mundo islâmico não viu progresso nos últimos 1.400 anos. Hamid Karzai, presidente do Afeganistão, disse que não se incomoda que seu governo seja criticado, e que "imprensa livre não significa que se pode atacar a crença de milhões de pessoas". Payam é iraniano.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem