Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

PRIMEIRAS EDIçõES > MÍDIA & DEMOCRACIA

Manifestações do jornalismo canalha

Por lgarcia em 26/08/2003 na edição 239

MÍDIA & DEMOCRACIA


Da "orelha" de O jornalismo canalha, de José Arbex Jr., Editora Casa Amarela, São Paulo, 2003; telefone (11) 3819-0130; título da redação do OI


A cobertura jornalística da invasão do Iraque pelos Estados Unidos e Grã-Bretanha, em março de 2003, equivocadamente qualificada como "guerra" pela mídia, ofereceu, com raras exceções, um dramático exemplo da parcialidade, preconceito e mistificação com que os grandes veículos de comunicação tratam os eventos da conjuntura mundial e nacional.

Outros acontecimentos cujas coberturas são analisadas ao longo deste livro ? o atentado de 11 de setembro de 2001, o conflito na Palestina após o fracasso dos Acordos de Oslo, o frustrado golpe de Estado na Venezuela, em abril de 2002, os conflitos na Amazônia após o anúncio do Plano Colômbia, no final de 2000 e os movimentos sociais no Brasil, em particular a luta pela reforma agrária ? revelam um padrão: a "grande mídia" tende a adotar um ponto de vista servil aos interesses da Casa Branca e do capital financeiro internacional. No Brasil, é marcante a sua sustentação do "discurso de mercado" e, como conseqüência, sua total hostilidade para com os movimentos sociais.

Dado o poder que os veículos de comunicação adquiriram no mundo contemporâneo, seu comportamento coloca uma grave indagação quanto ao futuro da democracia. Mais ainda quando, nos Estados Unidos, um governo despótico impõe crescentes restrições às liberdades democráticas, contando para isso com a colaboração de uma mídia conivente e com influência mundial.

O autor de O jornalismo canalha, José Arbex Jr., é editor especial da revista Caros Amigos, editor-chefe do jornal Brasil de Fato e editor-geral do boletim Mundo ? Geografia e Política Internacional. É doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (USP) e professor de jornalismo na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Como correspondente da Folha de S. Paulo, cobriu alguns dos eventos internacionais mais importantes da segunda metade do século 20, incluindo a guerra civil na Nicarágua e a queda da ditadura dos Duvalier no Haiti (1986), o processo de transformações da União Soviética (1988-1990), a retirada soviética do Afeganistão (1988), a retirada vietnamita do Camboja, a Primavera de Pequim e a queda do Muro de Berlim (1989), a Guerra do Golfo (1991), o golpe de Estado de Alberto Fujimori, no Peru (1992). Em março de 2002, visitou a Palestina, como integrante de uma comissão especial do Fórum Social Mundial. O relato da visita está contido no livro Terror e Esperança na Palestina (Editora Casa Amarela).

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem