Domingo, 19 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

PRIMEIRAS EDIçõES >

Mera coincidência cabocla

Por lgarcia em 05/06/1998 na edição 46

Fernando Pacheco Jordão

 

M

al comparando, o último programa político na TV do ex-prefeito Paulo Maluf foi uma versão “dudamendonciana” do filme Mera Coincidência. Foram 20 minutos em preto e branco, em diapasão sinistro, para estimular insegurança e pânico entre os espectadores. Se no Mera coincidência montou-se em estúdio + trucagem eletrônica toda aquela seqüência da refugiada com seu gatinho, aqui os marqueteiros malufistas cravaram lápides de PMs mortos num cemitério virtual fruto das maravilhas da computação gráfica. A câmera, dramaticamente, vai revelando um cenário que sugere uma “Pistóia” de PMs paulistas que na vida real não existe. Quando a câmera sobe, como se estivesse numa grua, mostra até uma mulher em agonia abraçada a uma criança. Belo trabalho de ficção. Mas as “coincidências” não param por aí.

Assim como no filme americano o terror virtual serviu para provocar a providencial intervenção do presidente acuado pelos escândalos sexuais, o programa malufista serviu de chamariz para a vinda dos tais conselheiros da polícia de Nova York que o ex-prefeito trouxe para reforçar sua propaganda eleitoral. Ou seja, ao pânico instalado pela lente de aumento da TV malufista sobre a criminalidade em São Paulo seguiu-se o aparecimento do superprotetor e seus especialistas. Curioso é que a mídia, na cobertura da visita dos advisers americanos, simplesmente reproduziu a versão malufista de que “tolerância zero” é sinônimo de autoridade, vontade política e truculência policial, quando se sabe que o que de fato fez cair a criminalidade em NY foi a intransigência ante qualquer atentado às leis, da mais simples contravenção ao pior dos delitos.

Um bom exemplo teria sido lembrar que, na “tolerância zero”, se o prefeito Giuliani, que a implantou, fosse flagrado emitindo títulos ilegalmente a pretexto de pagar precatórios ou intermediando negócios de frangos de familiares seus com as escolas municipais de NY, certamente não ficaria impune…

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem